Vale da Morte, Sibéria: O lugar que teria provas reais que fomos visitados no passado por extraterrestres

A Sibéria, localizada na Rússia, é um local ainda pouco explorado pelo fato de haver muitos animais selvagens. E por ser uma extensa floresta, não há população habitando o local. Porém, além desses detalhes, existem alguns mistérios pela floresta, que amedrontam e afastam ainda mais a ida de pessoas até o local. 
 
 
 
O Vale da Morte - O lugar que seria a peça chave na busca de provas que apoiam que fomos realmente visitados por extraterrestres no passado!!
 
A taiga siberiana é uma vasta região do Norte da Rússia e do Cazaquistão que conta com uma floresta inexplorada e misteriosa com mais de 100 mil km² de área. Algumas regiões, como a de Yakutia, no oeste, são completamente desabitadas. Não há trilhas ou lugares para passear, apenas pântanos, árvores enraizadas umas nas outras, e mosquitos.
 
É nesse lugar que um mistério da natureza alimenta as lendas do Vale da Morte. Segundo os registros de expedições do século passado e de aventureiros que se dispõem a explorar o local, a taiga conta com estruturas metálicas que brotam do solo congelado por temperaturas de 40 graus abaixo de zero.
 
Essas estruturas podem ser encontradas em galerias subterrâneas, cujo acesso é feito por escadas sinuosas. Dentro delas, a temperatura ambiente é agradável e quente. Também chamados de “caldeirões”, essas estruturas de metal estão desaparecendo com o tempo e, em seu lugar, manchas avermelhadas no solo é tudo o que tem restado.
 
 
Por alguma razão, esses lugares são perigosos para animais e seres vivos. Basta ficar um pouco próximo a uma dessas manchas para que você sinta tonturas e desmaie. Há relatos de sequelas de uma doença desconhecida e letal.
 
Para os anciãos da tribo dos Yukatians, a explicação é que todo o ambiente seria a morada de demônios antigos, conhecidos como Niurgun Bootur e Tong Duurai. Ufólogos russos defendem outra tese, a de que os caldeirões nada mais são do que OVNIs destruídos em uma antiga batalha aérea.
 
Atualmente, o nível de radiação no local vem crescendo e a vida selvagem está deixando a floresta, como se prenunciasse que algo grandioso está para acontecer. Enquanto não se descobre a verdadeira origem dos caldeirões, – acredite, não há muitas expedições indo para lá, e as poucas que foram, não ganharam muito crédito por parte da comunidade científica – o mistério permanece.
 
Tudo o que se sabe por enquanto é que o Vale da Morte é provavelmente um tesouro geológico, com montanhas magnéticas e minérios de titânio em abundância. Trata-se de um mistério ainda não explorado e que, devido às suas condições adversas, não encontra financiadores para expedições mais complexas.
 
 Os Caldeirões Alienígenas
 
 
 
Uma equipe de cientistas e pesquisadores acabaram de voltar de uma expedição na Sibéria e do Vale dos Mortos e estão alegando ter encontrado provas de que pelo menos cinco dos caldeirões lendários foram supostamente construídos por aliens.
 
“Saímos para o Vale da Morte para realmente ver e investigar os caldeirões que as pessoas dizem existir lá, e realmente encontramos cinco objetos metálicos enterrados no pântano”, disse o cientista Michale Visok em uma entrevista a um jornal russo sobre o que tinham encontrado.
 
Michale deu os seguintes detalhes sobre esses objetos de metal:
 
Eles estão submersos em pequenas piscinas no pântano com água, a quase 1 metro de profundidade. Eles são definitivamente metálicos. 
 
Os cientistas andaram em cima dos objetos, e foi possível ouvir sons metálicos ao colidir com os objetos.
 
 
Os objetos são muito suaves ao toque, mas há pontos afiados ao longo das bordas externas. Dois dos membros da equipe ficaram doentes durante a investigação.
 
A equipe foi composta por três geólogos, um astrofísico, um mecânico engenheiro e 3 assistentes de pesquisa.
 
Ufólogos russos acreditam que esses “caldeirões” são os restos de OVNIs, destruídos em um acidente ou uma antiga batalha aérea. O pesquisador Dr. Valerey Uvarov argumenta que eles estão conectados a uma usina localizada nas profundezas da Terra, uma arma para proteger o planeta dos perigos no espaço exterior.
 
Extraterrestres teriam os construído nos tempos antigos, e agora eles funcionam automaticamente... Teriam derrubado o meteorito em Tunguska (1908), o meteorito Chulym (1984), o meteorito Vitim (2002) e possivelmente em 2011 o meteorito Irkutsk.
 
A localização dos caldeirões parece coincidir com grandes meteoritos que cairam nas proximidades – o que torna a ideia ainda mais plausível.
 
Algumas expedições no passado e recentes resultaram em algum tipo de doença por radiação para as pessoas que visitam a área.  
 
Tudo sobre os calderões 
 
Sibéria, um lar de paisagens congeladas e a origem de inúmeros mistérios. Uma terra bonita mas misteriosa na Rússia que tem tudo. Desde histórias de civilizações perdidas, inúmeras explosões estranhas como Tunguska, até incontáveis avistamentos de OVNIs e fenômenos estranhos, como dissemos, a Sibéria tem tudo isso e muito mais.
 
Yakutia é uma região no norte da Rússia praticamente inexplorada, inóspita e cheia de pântanos. É um local que os habitantes locais evitam a todo custo, pois, segundo eles, qualquer pessoa que entre nunca mais volta.
 
Lá, na enigmática e misteriosa paisagem congelada, as pessoas afirmam ter encontrado, entre muitas outras coisas misteriosas, esferas metálicas cujo objetivo e origem são tão controversos quanto inexplicáveis para a ciência.
 
Quem se aventura nesse local pode encontrar muitas esferas de metal misteriosas, que muitos dizem serem de origem extraterrestre.
 
Uma base de defesa alienígena? 
 
Parece quase um filme de ficção científica, mas as poucas pessoas que se aventuraram em terras desconhecidas na região viram as esferas misteriosas e afirmam que estão estrategicamente posicionadas. 
 
Esse fato deu origem a várias teorias da conspiração que sugerem que as esferas metálicas enigmáticas não são apenas de origem alienígena, mas foram colocadas ali para proteger a região dos perigos do espaço e até de energias "hostis".
 
Além de qualquer especulação, a verdade é que essa misteriosa área de terra tem sido protagonista de vários eventos catastróficos, como a grande explosão de Tunguska em 1908, Chulum em 1984 e Vitim em 2002. É quase como se toda a região fosse um ímã para a destruição.
 
As pessoas que vivem nas proximidades deste lugar perigoso acreditam que algo fora do comum realmente ocorre: Esse local é responsavel por inúmeras mortes e doenças que marcaram o destino de quem ousou passear dentro dessa zona proximo a essas esferas de metal que, de acordo com rumores, são de origem extraterrestre.
 
Em 1853, R. Maak, um conhecido explorador da região, escreveu: “Em Suntar [um assentamento Yakut] me disseram que nas partes superiores de Viliuy existe um riacho chamado Algy timirbit (que se traduz como "o grande caldeirão") fluindo no Viliuy. Perto de sua costa, na floresta, há um tipo de caldeirão gigante de cobre. Seu tamanho é desconhecido, pois apenas a borda é visível no chão, mas várias árvores crescem dentro dela.”
 
 
 
Em 1936, próximo ao rio Olguidakh, um geólogo liderado por anciões nativos encontrou uma meia esfera metálica suave e avermelhada, projetando-se do chão com uma borda tão afiada que “uma unha poderia ser cortada”. Suas paredes externas tinham aproximadamente dois centímetros de espessura e se projetavam do chão aproximadamente um quinto de seu diâmetro. O geólogo enviou uma descrição para Yakutsk, o centro regional.
 
Em 1979, uma expedição arqueológica de Yakutsk tentou encontrar mais esferas como as encontradas. Os membros da equipe foram acompanhados por um guia que havia visto as estruturas várias vezes em sua juventude. No entanto, desde que os anos se passaram e a topografia da região mudou, o grupo não conseguiu encontrar essas outras estruturas.
 
O mesmo foi registrado por ND Arkhipov, pesquisador que estudou as culturas antigas de Yakutia, que escreveu: “Entre a população da bacia de Viliuy, há uma lenda antiga sobre a existência nas partes superiores daquele rio de caldeirões de bronze ou olguis. Essas lendas merecem total atenção, já que a chance de realmente haver calderões é alta"
 
Os caçadores solitários que se aventuraram na área onde se diz que as esferas de metal estão localizadas dizem que algumas das esferas misteriosas estão submersas na água, enquanto outras estão meio enterradas no chão. Alguns já foram devorados pela vegetação e permanecem ocultos. No entanto, eles assolam toda a área.
 
Diz-se também que o metal dessas esferas é extremamente resistente e duro, e ninguém foi capaz de analisá-lo, por medo de se aproximar das esferas. Os poucos testes realizados foram ignorados por laboratórios que não conseguiram identificar sua composição e origem.
 
Caçadores locais dizem que, com o tempo, essas esferas de metal afundam no chão e desaparecem da vista. Elas (as esferas) deixam para trás estranhas anomalias onde a vegetação misteriosamente não pode crescer, a razão pela qual muitos anciãos tribais amaldiçoaram as esferas e terras onde elas são encontrados.
 

History Channel \ Caçadores de Mistérios