Alienígenas do Passado: As antigas aeronaves de Atlântida e de outras civilizações... Arqueologia proibida?

A tecnologia de voo poderia não ter sido uma invenção exclusiva dos humanos atuais; existem algumas indicações de que civilizações antigas teriam dominado isso há milhares de anos, uma delas seria Atlântida.
 
 
 
Segundo alguns estudosos, os irmãos Wright talvez não tenham sido os primeiros a voar em um avião rudimentar....
 
As civilizações antigas, hoje perdidas, deixaram alguns vestígios que mostrariam que também voaram usando a tecnologia avançada no passado.
 
Pesquisadores alternativos e teóricos dos antigos astronautas argumentaram que a humanidade hoje teria apenas redescoberto a tecnologia de voo, que outras civilizações milhares de anos atrás, já estavam usando.
 
Balões de ar quente nas planícies de Nazca...
 
 
Essa é uma possibilidade que foi levantada pelos pesquisadores: Os antigos habitantes de Nazca projetaram e construíram balões de ar quente que lhes permitiram sobrevoar as planícies e, no processo, alcançaram o grande feito do mundo antigo: As Linhas Nazca.
 
Segundo o pesquisador Jim Woodman, isso seria TOTAMENTE possível usando os materiais que o povo de Nazca possuía na época. Woodman consultou Julian Nott, pioneiro do movimento Globo Moderno (saiba mais clicando aqui).
 
Nott, inicialmente cético, decidiu testar a sugestão de Woodman. Um balão foi construído com os mesmos materiais daquela região...
 
Nott disse em um comunicado:
 
Quando Jim Woodman me abordou com a ideia de que as pessoas que criaram as Linhas da Nazca o fizeram com a ajuda de balões de ar quente, fiquei intrigado, mas continuava cético. Até voamos com sucesso em um balão que poderia ter sido construído pelo povo de Nazca há mil anos. E embora eu não veja nenhuma evidência de que a civilização de Nazca tenha voado, é indiscutível que eles poderiam ter voado.
 
 
 
Nott acrescenta que "se o povo de Nazca voou, por que outras civilizações não o fizeram?"
 
Aeronaves da Atlântida..
 
'Atlantis', a cidade mítica que foi enterrada pelas águas após uma terrível catástrofe, continua a fazer parte de um grande mistério até os dias de hoje.
 
As referências a esse local antigo remontam a Platão, que o descreveu como "uma grande ilha além das colunas de Hércules".
 
Ao longo dos anos, outros pesquisadores propuseram sua localização além da Espanha, perto das Ilhas Bimini, no Caribe.
 
Além do enigma de sua própria existência, é mencionado que a Atlântida possuía tecnologia avançada, criada por uma civilização sofisticada. Essa civilização teria artefatos tecnológicos, naves e outros dispositivos que superariam até os que existem atualmente.
 
O "continente perdido" (como alguns o chamam) é descrito possuindo submarinos, embarcações motorizadas, e uma fonte enorme de energia que alimentava toda a cidade (segundo alguns teóricos vindo de cristais). Mas isso não é tudo, os dirigíveis também podem ter cruzado o céu de Atlântida e dessa forma eles (os atlantis) teriam explorado grande parte do mundo.
 
Um dos primeiros autores que discutiu a possibilidade da tecnologia de voo nos tempos antigos foi William Scott-Elliot em seu livro "A História da Atlântida e a Lemúria Perdida" publicado em 1909.
 
Scott-Elliot menciona tecnologia avançada: 'aviões que cruzavam os céus em silêncio sendo impulsionados por uma energia perdida no passado.'
 
No entanto, a versão de Scott-Elliot não é baseada em evidências diretas, é baseada em sessões de "Visão Remota", nas quais ele afirmava visualizar as máquinas antigas de Atlântida - lembrando que visão remota foi usada para espionagem com resultados surpreendentes.
 
Segundo Scott-Elliot, as naves de Atlântida não eram feitas de metal ou madeira, mas de um material não conhecido atualmente, de grande dureza, resistente e bem leve. Alguns metais também foram utilizados, mas em uma liga estranha, principalmente de cor vermelha e branca.
 
 
Ele também menciona que as naves tinham a forma de um navio e brilhavam no escuro como se fossem revestidos com uma tinta especial.
 
Alguns estudiosos acreditam que a Atlântida pode ter existido ao mesmo tempo que as civilizações perdidas da Índia antiga, então eles foram capazes de estabelecer relações comerciais; isso 15.000 a 20.000 anos atrás.
 
E se ambas as civilizações existissem ao mesmo tempo realmente, isso sem duvida explicaria a presença da tecnologia de voo nas duas culturas antigas.
 
Talvez realmente não tenhamos sido os primeiros a voar, e esse grande feito foi apenas uma lembrança que perdemos no tempo.
 
Fonte: https://codigooculto.com/2020/01/tecnologia-ancestral-antiguas-naves-atlantida/