Textos antigos relatam possíveis viagens para outras dimensões

04/05/2019 14:39

Se você olhar para a história e diferentes textos antigos, poderá encontrar uma série de referências de viagens interdimensionais catalogadas por diferentes culturas em todo o mundo.

 
 
Numerosos textos antigos mencionam como a viagem no tempo tem sido realizada há milhares de anos. A evidência disso pode ser encontrada em numerosos manuscritos antigos e textos, inclusive na Bíblia, e a prova de que os cientistas ainda estão interessados ​​em viajar no tempo são os inúmeros estudos que foram escritos nos últimos anos.
 
No antigo texto indiano do Mahabharata, escrito em algum momento durante o século VIII A.C., o Rei Raivata é descrito como tendo viajado aos céus para se encontrar com o deus criador Brahma, apenas para retornar à Terra centenas de anos no futuro.
 
A viagem no tempo e as poderosas máquinas que poderiam ajudar uma pessoa a viajar no tempo tem sido um dos grandes temas recorrentes de ficção científica e inúmeros filmes há muitas décadas. Mas há uma razão para isso.
 
A possibilidade de viajar no tempo atraiu a humanidade por inúmeros séculos.
 
Embora muitos possam achar absurdo acreditar na viagem do tempo, alguns dos cientistas mais brilhantes do mundo investigaram se a humanidade poderia realmente viajar no tempo, no futuro próximo.
 
O grande Albert Einstein concluiu que o passado, presente e futuro existem simultaneamente.
 
Agora, com a tecnologia certa, como uma nave espacial muito rápida – o tipo que ainda estamos para inventar na Terra – uma pessoa que viaja no espaço poderia experimentar vários dias, enquanto outra experimentaria, simultaneamente, apenas algumas horas ou minutos.
 
 
 
No entanto, a sabedoria e as convicções de Einstein tiveram muito pouco impacto na cosmologia ou na ciência em geral quando se trata de viajar no tempo.
 
Se fosse verdadeiramente possível viajar no tempo, pouco podemos vislumbrar o que isso poderia significar para a humanidade e, acima de tudo, para aqueles que tiveram o poder de viajar ao longo do tempo e o poder de reescrever a história como quiserem.
 
E, embora isso possa parecer atraente, não conhecemos as consequências da alteração de eventos passados ​​e de como eles afetariam o futuro, se, é claro, realmente tivermos os meios para fazê-lo.
 
Se você olhar para a história e diferentes textos antigos, poderá encontrar uma série de referências de viagens do tempo catalogadas por diferentes culturas em todo o mundo.
 
Na mitologia hindu, há uma história sobre o Rei Raivata Kakudmi que viaja para conhecer o criador, Brahma. Embora esta viagem não tenha durado muito, quando Kakudmi voltou à Terra, 108 yugas passaram. Cada yuga representa cerca de 4 milhões de anos.
 
A explicação dada é que o tempo passa de forma diferente sobre os diferentes planos de existência.
 
Além disso, temos referências de viagem no tempo no Alcorão. A história refere-se a um grupo de indivíduos, que em 250 D.C. estavam sendo perseguidos, e retiraram-se, sob a orientação de Deus, para uma caverna onde ele os fez dormir. Eles acordaram 309 anos mais tarde.
 
Mais evidências podem ser encontradas na Bíblia de acordo com Erick von Daniken:
 
"Na Bíblia, o profeta Jeremias estava sentado junto com alguns de seus amigos, e havia um menino. Seu nome era Abimeleque, e Jeremias disse a Abimeleque: “Vá para fora de Jerusalém, há uma colina e recolha alguns figos para nós.” O menino saiu e recolheu os figos frescos. De repente, Abimeleque ouve algum ruído e vento no ar, e ele se torna inconsciente, ele teve um apagão. Depois de um tempo, ele acorda de novo, e viu que era quase noite. Então, quando ele corre de volta para a sociedade, a cidade estava cheia de soldados estranhos. E ele diz: “O que está acontecendo aqui? Onde estão Jeremias e todos os outros?” E um homem velho disse: “Isso foi há 62 anos.” É uma história de viagem no tempo escrita na Bíblia."
 
 
Outra história vem da lenda japonesa de Urashima Taro. Diz-se que um homem visitou o palácio debaixo d’água do Dragão Deus Ryujin. Ele ficou lá por três dias, mas quando voltou para a superfície, 300 anos se passaram.
 
No texto budista Pali Canon está escrito que no céu dos trinta Devas (o lugar dos deuses), o tempo passa a um ritmo diferente, onde cem anos da Terra são contados lá como um único dia.