Casos ufológicos: O caça que foi desintegrado enquanto perseguia um objeto voador de origem desconhecida

Um caça MIG-21 que estava perseguindo um OVNI é completamente desintegrado no ar e tudo é observado por outro piloto de caça que também estava em missão (1967)

 
 
Em março de 1967, os operadores de interceptação do Destacamento “A”, localizado na Estação Aérea Naval de Key West, na Flórida, ouviram os controladores de radar de defesa aérea cubana relatarem um 'objeto' não identificado se aproximando de Cuba a nordeste. 
 
A aeronave não identificada entrou no espaço aéreo cubano a uma altura de cerca de 10.000 metros e disparou a quase Mach 1 (quase 660 mph). A força aérea cubana enviou dois caças MIG-21 para interceptar o objeto. Os jatos foram guiados para dentro de cinco quilômetros (três milhas) do UFO pelo pessoal do controle de radar cubano em terra para a interceptação. 
 
O líder do voo disse que o objeto era um disco esferóide metálico brilhante, sem marcas ou apêndices visíveis. Quando uma tentativa de contato por rádio falhou, o quartel-general da defesa aérea cubana ordenou que o líder do voo armasse suas armas e destruísse o objeto.
 
 
 
O líder informou a equipe do radar que estavam com seus misseis preparados e prontos para abrir fogo. Segundos depois, o braço direito (o outro jato que estava junto com o líder) gritou em panico para o controlador de solo que o avião de seu líder tinha explodido. Mas após ter se acalmado seu relato mudou, ele informou por rádio que não havia fumaça ou chamas, que o avião de seu líder MIG-21 simplesmente se desintegrou no ar. O radar cubano, em seguida, informou que o UFO rapidamente acelerou e subiu acima de 30.000 metros (98.000 pés). No último relatório, ele estava indo para o sudeste para a América do Sul.
 
Em poucas horas, o pessoal do destacamento recebeu ordens para enviar todas as fitas e dados pertinentes à NSA e listar a perda de aeronaves cubanas nos arquivos do esquadrão devido ao "mau funcionamento do equipamento"
 
 
Pelo menos 10 a 15 pessoas do destacamento afirmaram que o incidente não foi completamente esclarecido, e nada indica que foi de fato um problema de "mal funcionamento", já que seria bem dificil um avião se desfazer no ar.  Presumivelmente, os dados enviados para NSA incluia medidas de averiguação de direção que poderiam mais tarde combinar com os dados de outro local para triangular a localização e altitude dos MIG-21, assim como rotas de voo.
 
A estação da Força Aérea em Richmond, Florida, rastrearam vários UFOs sobre o sul da Flórida (sendo claramente visíveis no estado de Miami) e no Golfo do México. No canada 4 objetos não identificados foram captados na direção sul ao longo da costa leste dos Estados Unidos a uma velocidade de 5000 mph, mas logo os objetos reduziram a aproximadamente 1500 mph. 
 
 
 
Era quase um jogo de gato e rato, os objetos eram rastreados por vários radares, seria um relatório bem grande o que iriam escrever sobre o caso, já que a perseguição durava quase uma noite inteira. Em Miami alguns avistamentos foram notificados de pessoas que avistaram objetos misteriosos cruzando os céus.