Uma nave de origem desconhecida pode ter sido descoberta na orbita da Terra..??

O interessante é o que foi apontado em um artigo de 1969 na revista Icarus, no qual o astrônomo John Bagby alegou ter encontrado 10 luas em órbita ao redor da Terra, que ele calculou terem se espalhado a partir de uma única fonte
 
 
 
Muitos podem não perceber, mas bem acima de nós, no espaço em órbita ao redor do nosso planeta, longe de onde os olhos podem ver, há enorme ferro-velho. Lá, entupindo nossa órbita há todo tipo de lixo, inclusive naves não funcionais, estágios abandonados de veículos de lançamento, detritos, satélites abandonados e uma mistura de milhões e milhões de pedaços de lixo que descartamos no espaço.
 
Isso se espalha em um vasto mar de lixo que, embora invisível para nós, cria um risco para naves espaciais e satélites. No entanto, de acordo com alguns relatos, existe muito mais do que apenas lixo lá em cima, girando sobre o nosso planeta, longe de onde os olhos podem ver, e um dos mais estranhos deles é uma suposta nave espacial alienígena danificada completa com corpos alienígenas que orbitam a Terra.
 
Em 1979, o astrofísico soviético Sergei Boshich apresentou a espetacular alegação de que havia encontrado evidências do que chamava de uma nave alienígena acidentada que se partira em pedaços e pairava em órbita. Pelas suas estimativas, ele havia conseguido rastrear 10 pedaços de destroços da espaçonave, vários dos quais ele estimava ter cerca de 30 metros de comprimento.
 
 
Boshich disse que havia calculado as trajetórias dos destroços e chegado à conclusão de que eles haviam se espalhado de algum tipo de explosão espacial em 18 de dezembro de 1955, e ainda mais bizarro era sua afirmação de que essa misteriosa nave abandonada provavelmente era agora o túmulo contendo os corpos dos ocupantes da nave.
 
Havia outros que apoiaram essas descobertas, inclusive um astrofísico soviético e escritor Aleksandr Kazantsev, que dizia:
 
Seu tamanho sugeriria vários andares, possivelmente cinco. Acreditamos que corpos estranhos ainda estarão a bordo.
 
Os cientistas foram rápidos em descartar a possibilidade de ser um lixo espacial originário da Terra, já que a suposta explosão antecedeu o primeiro objeto humano no espaço, que teria sido o Sputnik 1 lançado em 1957. Eles também negaram que pudesse ser um meteoro, pois mantinha uma órbita constante.
 
Segundo Boshich e sua equipe de cientistas, todas as evidências apontam para uma nave alienígena explodida no espaço, e um físico de Moscou, o Dr. Vladimir Azhazha, disse:
 
Os meteoros não têm órbitas. Eles despencam sem rumo, lançando-se erraticamente pelo espaço. E eles não explodem espontaneamente. Todas as evidências que reunimos na última década apontam para uma coisa – uma nave alienígena acidentada. Deve guardar segredos que nem sonhamos. Uma missão de resgate deve ser lançada. A nave, ou o que resta dela, deve ser remontada aqui na Terra. Os benefícios para a humanidade podem ser estupendos.
 
Aparentemente, a descoberta também gerou interesse dos americanos, e de acordo com relatos, houve algum grau de cooperação entre eles para elaborar um plano para salvar a espaçonave danificada e possivelmente até embarcar nela. Um problema era que os soviéticos estavam sendo muito cuidadosos com as informações que tinham, o que gerou ceticismo por cientistas britânicos. Um cientista britânico teria dito:
 
Existem mais de 4.000 pedaços de destroços orbitando a Terra. Cada um tem um número de catálogo para identificá-lo. Gostaríamos de saber o número de catálogo deste naufrágio. É possível datar os destroços após um número considerável de observações.
 
Bem como os americanos, estaríamos interessados ​​em analisar isso se os russos disponibilizarem as informações.
 
O interessante é o que foi apontado em um artigo de 1969 na revista Icarus, no qual o astrônomo John Bagby alegou ter encontrado 10 luas em órbita ao redor da Terra, que ele calculou terem se espalhado a partir de uma única fonte na data de 18 de dezembro de 1955, no mesmo dia que Boshich reivindicou 10 anos depois.
 
 
O relato do que passou a ser chamado de “The Boshich Wreckage” (“Os destroços de Boshich”) foi impressa em várias fontes de notícias da época e gerou uma quantidade razoável de especulações. Uma era a de que, embora não houvesse confirmação oficial de que uma missão de resgate real havia sido lançada, os americanos e os soviéticos secretamente o fizeram. 
 
É claro que também não podemos descartar a possibilidade de que toda a história seja uma grande farsa. Embora a descoberta tenha sido impressa em uma ampla variedade de publicações, tudo se originou com um artigo no tabloide britânico Reveille, que é, de várias maneiras, como o The National Enquirer e não é conhecido por ser uma fonte de notícias particularmente confiável.