OVNIs foram documentados pelos primeiros astrônomos no lado escuro da Lua: As observações iniciais datam do século XVI, e são inexplicáveis

 
 
 
Cinquenta anos atrás, a NASA publicou um catálogo de fenômenos na Lua, com base nas observações dos primeiros astrônomos que datam do século XVI (desde 1540).
 
Mesmo depois de examinar os relatórios e qualificar sua precisão com fontes secundárias, a NASA encontrou registros de avistamentos bizarros no lado escuro da Lua, incluindo pontos tremeluzentes, flashes brilhantes e luzes em movimento. 
 
O que poderia explicar essas estranhas observações? A NASA até tentou explicar algumas mas sem muito sucesso aos olhos de muitos..
 
Os relatos de OVNIs e estranha atividade no lado escuro da Lua
 
É discutível quem primeiro concebeu o telescópio, embora seja amplamente aceito que ele foi inventado no início dos anos 1600.
 
E embora os primeiros modelos fossem lunetas rudimentares com três lentes, a tecnologia progrediu rapidamente nas décadas seguintes, graças ao trabalho de Galileu e Kepler.
 
Ao adicionarem uma combinação de lentes convexas, os dois foram capazes de aumentar drasticamente a capacidade de ampliação dos primeiros telescópios, permitindo a observação do cosmos como nunca antes.
 
 
 
Também é evidente em suas anotações que Galileu foi capaz de ver as LUAS DE JÚPITER, o que significa que ele deve ter tido uma visão bastante clara de nossa superfície lunar.
 
Lendo o arquivo da NASA, percebe-se registros estranhos nos anos 1600, começando com um “ponto brilhante como estrela”, avistado por vários habitantes da Nova Inglaterra observando o lado escuro da Lua.
 
Outro relatório cita “Quatro pontos brilhantes. Comportamento peculiar do terminador” (o terminador é onde o lado escuro da lua encontra o lado claro).
 
Próximo dos anos 1800, Piazzi relata “pontos brilhantes no lado escuro, vistos durante cinco diferentes lunações”. E em 1821, Gruithuisen diz que viu “pontos brilhantes e piscantes” no lado escuro.
 
Quase um século depois, Bianchini relata uma “trilha de luz avermelhada, como um raio, cruzando o meio da área obscura (sombreada) (cratera na escuridão)”, enquanto observava a cratera de Platão na cordilheira de Monte Alpes (Lua).
 
 
Essas observações antigas são descritas de forma muito semelhante ao que é observado e registrado em video e em foto hoje em dia por profissionais e amadores. Parece que não faltam evidencias de que existe algo desconhecido na Lua.