Os antigos egípcios sabiam como desencadear o poder da Glândula Pineal

06/09/2016 16:34

A Glândula Pineal é considerada como uma forma de viajar entre as dimensões, referidas por muitos como projeção astral ou visão remota. A visão remota permitiria a um observador usar alguma capacidade sobre-humana para reunir informações de um determinado local, um objeto, lugar, pessoa, ou tempo., que estaria longe da visão física do observador.

 
 
A antiga civilização egípcia estava à frente de muitas outras civilizações em todo o mundo quando ela floresceu nas bordas do Rio Nilo a milhares de anos atrás.
 
Entre os seus conhecimentos em astronomia, engenharia, arquitetura e medicina, os antigos egípcios tinham um lugar muito especial para a religião e a espiritualidade, sabendo exatamente o quanto era importante na vida cotidiana. Para muitos especialistas os egípcios sabiam até mesmo como desencadear o poder da Glândula Pienal. 
 
A Glândula Pineal, também conhecida como o terceiro olho, é uma pequena parte em forma de cone no nosso cérebro que é responsável pela produção de melatonina derivado da serotonina que lidam diretamente com nossos hormônios que por sua vez controlam o sono, os padrões de vigília, e as nossas funções sazonais.
 
Localizado perto da parte central do nosso cérebro, a glândula pineal ocupa uma pequena área entre os dois hemisférios.
 
É considerada por muitos como um portal que conecta o mundo físico e o espiritual no ser humano. Quando ativada, a glândula pineal oferece uma sensação de euforia e unidade na mente da pessoa, tambem oferecendo uma sensação de conhecimento e iluminação. 
 
A Glândula Pineal é considerada como uma forma de viajar entre as dimensões, referidas por muitos como projeção astral ou visão remota.
 
Curiosamente, se olharmos para a Glândula Pineal e o Olho de Horus vamos encontrar uma semelhança fascinante.
 
O "Olho de Horus" é um símbolo que representa a proteção, o poder real e a saúde. O olho normalmente é personificado na deusa Wadjet, e também é conhecido como o "Olho de Ra".
 
 
 
Para alguns especialistas (como Schwaller de Lubicz) os contrutores do Templo de Luxor de fato usaram a "geometria sagrada" que por sua vez também se reflete nas proporções exatas do corpo humano. 
 
Existem tambem muitas pistas que a antiga civilização egípcia processava estados alterados de consciência com a ajuda da Glândula Pineal, que tambem foi usada por essa antiga civilização para explorar o reino dos espíritos