O Alerta em Saint Hubert: O avistamento coletivo que colocou em alerta o sistema de defesa aérea do Canadá...

21/04/2019 21:52

Casos Ufológicos: Um avistamento coletivo coloca em alerta o sistema de defesa aérea do Canadá, em 12 de abril de 1959.

 
 
Como aconteceu na Base Aérea de North Bay, várias observações de UFOs também foram registradas sobre a Base do Comando Aéreo e Secional Móvel de Quebec, em Saint Hubert, a oitenta milhas a leste de Montreal. O Toronto Star ao descrever o mais célebre destes casos noticiava:
 
"As autoridades da Força Aérea ficaram perplexas hoje com um objeto voador não identificado e misterioso que surgiu como uma bola de luz vermelha no espaço aéreo do Canadá, sobre uma instituição de defesa próxima a Montreal, desaparecendo rumo ao norte numa velocidade superior à do som".
 
O objeto foi inicialmente observado por volta das oito da noite pelo pessoal da torre de controle. Muitas centenas de outros funcionários do aeroporto e moradores locais observaram assombrados um aparelho silencioso, vermelho e luminoso flutuando sobre o campo de pouso, a uma altitude calculada dentre três a sete mil pés. Fato inacreditável é que o objeto, enquanto flutuava sobre a base aérea, não foi registrado pelas telas dos radares da torre de controle. Depois, tão inesperadamente quanto tinha aparecido, desapareceu rumo ao norte na direção de Montreal, "numa velocidade superior à de qualquer jato interceptador da base do Comando Aéreo"
 
As descrições do aparelho iam desde "uma bola negra com uma luz vermelha" até a um "charuto vermelho e comprido". As testemunhas foram unânimes em afirmar que o que tinham visto era inteiramente não convencional. Trevor T., que avistou o aparelho em Montreal setentrional, descreveu-o assim:
 
"Uma esfera grande dependurada no céu a sudoeste. A princípio parecia estar imóvel, então lentamente foi-se afastando até desaparecer de vista".
 
 
 
E Claude M., que avistou o objeto com mais dez vizinhos, declarou o seguinte:
 
v "Ele parecia-se com uma bola grande, com dez pés. Dava a impressão de que havia luz amarela dentro dele. Enquanto o objeto passava sobre o campo pequenos jatos de fogo saíam do seu interior".
 
A impressão de Mr. Mercier foi que o objeto pretendia aterrissar num campo das proximidades, porém, após hesitar durante alguns minutos, afastou-se numa velocidade muito alta.
 
Os funcionários do governo foram forçados a afastar qualquer tipo de explicação convencional. Um porta-voz de St. Hubert foi citado como tendo dito: "Tratava-se de um verdadeiro UFO, pelo que nos diz respeito". O relato feito pelo Toronto Star, afirmava que o serviço meteorológico oficial do Aeroporto Internacional de Dorval considerava que o misterioso objeto...
 
"...talvez se tratasse de um balão meteorológico que tinha sido solto uma hora antes do misterioso objeto ter sido avistado. Contudo, uma fonte autorizada, declarou que o balão era branco e levava uma luz branca e não vermelha como os relatos dos OVNIs".
 
 
A observação originou os comentários feitos por Wilbert B. Smith, ex-superintendente de Engenharia e Regulagens de Rádio do Departamento dos Transportes (DOT), que tinha chefiado o projeto Magnet, encarregado das pesquisas sobre os UFOs realizadas entre 1950 e 1954 sob o patrocínio do DOT. 
 
Calcado na sua pesquisa extensiva, afirmava que tais objetos pareciam vermelhos quando parados e mudavam para laranja enquanto se deslocavam. Eram ou redondos ou com o formato de um charuto, com até 150 pés de comprimento. "Meu staff é de opinião que eles são naves espaciais".
 
 
 
A Real Força Aérea Canadense, visivelmente perturbada com o incidente e com as revelações feitas pelo pessoal militar, tratou mais do que depressa de adotar a atitude do Serviço Secreto do Estados Unidos com relação à informações deste tipo e conhecido como JANAP 146 (D). Esta decisão foi tomada afim de silenciar, de uma vez por todas, as futuras revelações de que os funcionários que divulgassem assuntos relacionados com os UFOs estariam sujeitos a pesadas punições.