Nibiru - Parede de plasma gigantesca se manifesta no Sol

09/04/2018 15:21

 

 

Isso é um grande mistério e os astrônomos não esperavam nem imaginavam tal coisa... O tamanho extraordinário do plasma quente permite que todos os fotógrafos astronômicos tirem um grande número de fotografias de boa qualidade da estrutura incomum.
 
Como mostram as fotografias de vários observatórios astronômicos, pode-se concluir que a parede quente de plasma muda muito rapidamente com o tempo. Observar esses estranhos fenômenos no Sol permite que os especialistas façam previsões para o futuro próximo sobre o estado dos objetos espaciais no espaço ilimitado do nosso sistema solar. Mas esta é certamente uma anomalia solar nunca registrada antes.
 
 

Anomalias solares devido a um misterioso "distúrbio gravitacional"... Sinais de Nibiru?

 
O astrônomo Gilles Couture, da Universidade de Quebec, em Montreal (Canadá), admitiu que no passado houve uma segunda penetração de estrelas no sistema solar. A penetração a curto prazo no sistema solar foi de uma estrela duas ou três vezes menor que o Sol (anã vermelha). Sua velocidade era de aproximadamente 100 quilômetros por segundo. 
 
Esse evento teria levado mudanças anormais na orbita de um corpo celeste localizado na região do cinturão de Kuiper, por trás da órbita de Netuno. Supõe-se que este corpo celeste misterioso seja o Planeta X e, segundo o astrônomo Gilles Couture, seja 16 vezes maior que a Terra.
 
 
A pesquisa do cientista mostra que os parâmetros observados nas trajetórias dos objetos 'transneptunos' (localizados além da órbita de Netuno) podem ser explicados pela perturbação gravitacional da estrela errante (Nemesis). A estrela negra (Nemesis) que penetrou no nosso sistema solar no passado, hoje cria uma forte perturbação gravitacional que empurra cometas, asteroides e outros corpos celestes para a parte interna do sistema solar. Esta estrela escura cria um distúrbio gravitacional que afeta o Sol e os planetas do sistema solar.
 
Ultimamente, graças às observações do telescópio Kepler, uma equipe de cientistas húngaros registrou algumas mudanças na direção desses corpos celestes que são dirigidos por uma misteriosa força gravitacional que os desvia de suas órbitas na área de Kuiper. A equipe de astrônomos liderada por Robert Szabo, não entende as razões para a mudança de direção desses corpos celestes, que são um perigo potencial para a Terra.
 
 
 
Foi notado que rochas espaciais, tanto no cinturão de Kuiper como no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, se moveram e mudaram de direção por um curto período de tempo, talvez devido a um distúrbio gravitacional devido à presença de algo incomum que está girando do lado de fora, nas bordas do sistema solar, talvez um planeta desconhecido, mas muito grande.
 
O distúrbio gravitacional da estrela negra (Nemesis) e a presença de um planeta massivo (Planeta X) poderiam causar anomalias climáticas e magnéticas nos planetas do sistema solar. Por exemplo, os muitos terremotos e erupções vulcânicas que estão ocorrendo na Terra, mais as grandes rachaduras continentais africanas e o movimento de placas tectônicas, para não mencionar anomalias nos oceanos.

 

Fonte\Fonte