Nasa e Vaticano teriam encontrado algo absolutamente aterrador no espaço há muito tempo atrás: NASA e Vaticano seguem a trajetória orbital de um super planeta conhecido como Nibiru

15/03/2018 10:05
 
 
Há evidências de que a NASA sabe onde o Planeta X (Nibiru) está localizado e está monitorando com a colaboração do Vaticano. Em 1983, quando Plutão ainda era o nono planeta e cada nova descoberta poderia legitimamente receber o apelido de "Planeta X", os pesquisadores que trabalhavam no 'Infrared Astronomical Satellite (IRAS)' achavam ter encontrado algo grande e aterrador. 
 
Em 1990, a IRAS iniciou uma nova pesquisa: a suspeita era que um décimo planeta poderia ser encontrado na constelação de Centaurus e que se dirigia para a constelação de Leão. Neste ponto, foram solicitadas simulações por computador, o que sugeriu a existência de um planeta que era muito maior (pelo menos dez vezes maior do que a Terra) e estava a dez bilhões de quilômetros do Sol.
 
A partir das declarações recebidas de alguns pesquisadores, a Fundação do Observatório do Vaticano teria construído o telescópio super avançado LUCIFER 1 pelo mesmo motivo que o telescópio espacial chamado Sky Hole foi projetado e, em seguida, os telescópios espaciais IRAS e SILOE, pelo único motivo de caçar um planeta chamado Nibiru, que orbitaria em torno de uma pequena estrela anã Bruna (parceira do nosso Sol) chamada Dark Star ou Nemesis.
 
Esses objetos (Nibiru) podem ser detectados com a ajuda de LUCIFER 1 e VATT: um conjunto incrivel de câmeras infravermelhas super-refrigeradas, - também conhecido como 'telescópio binocular infravermelho' - com uma câmera poderosa e sensível, capaz de capturar imagens espetaculares para a pesquisa extragaláctica. Lembre-se de que Nibiru não é visível a olho nu ou através de telescópios normais, mas visível somente através de óptica infravermelha.
 
Já na época do Papa Pio XII, o SIV (Serviço Secreto do Vaticano) estava ciente da aproximação de um planeta que poderia causar sérios estragos. Foi por esta razão que, no início dos anos 90, o Vaticano lançou o Programa Espacial "Siloe", uma missão secreta que fazia parte de um grande projeto espacial chamado "Kerigma".
 
 
De acordo com alguns pesquisadores, o programa espacial "Siloe" do Vaticano foi secretamente construído dentro da Área 51, longe dos olhos de cientistas civis da NASA, que poderiam ter divulgado informações ao público. Para o lançamento da sonda "Siloe" do Vaticano no espaço, nenhum foguete transportador da NASA teria sido usado, mas teria sido levado para o espaço por um avião militar super-secreto "Aurora", que é um tipo de aeronave que pode deixar a atmosfera da Terra e viajar no espaço, injetando satélites e armas espaciais em órbita.
 
O objetivo do programa espacial Siloe (SONDA) era aproximar-se de Nibiru e fotografar o corpo celestial. A primeira informação recebida de Siloe (incluindo fotos)  foi em outubro de 1995.
 
As fotografias da sonda SILOE revelaram a realidade de um planeta incrivelmente gigante que esta se dirigindo para a Terra. Esta informação secreta foi considerada muito perigosa, e o Vaticano classificou como nível 1 (secretum omega), que é o nivel de segredo máximo do Vaticano.