Marinha dos EUA secretamente projetou uma nave com tecnologia super avançada que lembra um OVNI, revelam documentos

20/04/2019 15:23
 
 
Os inventores militares apresentaram planos para uma máquina voadora altamente incomum que usa um ‘dispositivo inercial de redução de massa’ para viajar a ‘velocidades extremas’.
 
O que isso significa é que a aeronave usa tecnologia complexa para reduzir sua massa e, com isso, diminuir a inércia (resistência de um objeto ao movimento) para poder voar a grandes velocidades.
 
A patente é altamente complexa e descreve métodos para reduzir a massa de uma aeronave usando várias técnicas, inclusive a geração de ondas gravitacionais, as quais foram detectadas pela primeira vez em 2016, após terem sido produzidas quando dois buracos negros colidiram.
 
A patente explica:
 
"É possível reduzir a massa inercial e, portanto, a massa gravitacional de um sistema/objeto em movimento, por uma perturbação abrupta do pano de fundo não linear do espaço-tempo local."
 
A nave descrita na patente apresenta uma parede cavitária preenchida com gás, que é então feita para vibrar usando ondas eletromagnéticas poderosas. Isto cria um vácuo ao redor da nave, permitindo que ela se impulsione em altas velocidades.
 
A nave pode ser usada na água, ar ou mesmo espaço.
 
A patente ainda informa:
 
"É possível imaginar uma nave híbrida aeroespacial/submarina (Hybrid Aerospace Undersea Craft – HAUC), que devido aos mecanismos físicos habilitados com o dispositivo de redução de massa inercial, pode funcionar como uma nave submersível capaz de velocidades subaquáticas extremas… e capacidades stealth aprimoradas.
 
Esta nave híbrida mover-se com grande facilidade através dos meios ar/espaço/água, sendo envolvida por uma bolha/bainha de plasma a vácuo."
 
 
Embora a Marinha dos EUA tenha solicitado a patente em 2016 e tenha sido concedida no ano passado, isso não significa necessariamente que a nave tenha sido construída e testada. No entanto, a tecnologia é mais uma prova do interesse dos militares em desenvolver tecnologias ‘exóticas’.
 
Conversamos com Nick Pope, ex-investigador de OVNIs no Ministério da Defesa do Reino Unido, e perguntamos se ele viu alguma semelhança entre o projeto patenteado e o OVNI Tic Tac filmado pela equipe de pilotos do porta-aviões USS Nimitz.
 
Ele disse:
 
"Um veículo híbrido, capaz de voar tanto no ar quanto embaixo d’água, é estranhamente semelhante ao que foi relatado no incidente com o USS Nimitz de 2004.
 
Houve um incidente semelhante de um OVNI voando para baixo d’água em Porto Rico em 2013. A possível conexão entre o incidente do USS Nimitz e essa patente é intrigante, e é interessante que a Marinha dos EUA pareça ser o elo aqui.
 
É possível que a patente seja inspirada pelo incidente e faça parte de uma tentativa de descobrir a tecnologia por trás dos objetos que foram perseguidos pelos F-18 da Marinha. Isso é conhecido como ‘engenharia reversa’."
 
Nesta patente, o autor Salvatore Cezar Pais menciona Harold Puthoff, uma figura chave no AATIP (projeto de estudos de OVNIs do Pentágono) que encomendou os 38 documentos que exploram tecnologias exóticas, os quais foram então utilizados durante os briefings da Defense Intelligence Agencyno Congresso dos EUA.
 
Os documentos captaram a atenção da mídia relacionada à antigravidade, invisibilidade, motor de dobra espacial e buracos de minhoca, mas um ponto-chave é que muitos dos documentos estão relacionados a sistemas de propulsão exóticos – não apenas a tecnologia que nos permitiria construir aviões, drones ou mísseis mais rápidos, mas a tecnologia que precisaríamos para fazer viagens interestelares, acrescentou Pope.
 
"Essas patentes podem ser os primeiros passos para levar a humanidade às estrelas."
 
Perguntamos se ele acreditava que a nave da patente já havia sido construída:
 
"Esta patente para uma “nave usando um dispositivo inercial de redução de massa” é fascinante, e é uma das três patentes registradas pelo cientista Salvatore Cezar Pais, da A outra de suas patentes que chamou minha atenção foi a de um “gerador de ondas gravitacionais de alta frequência”.
 
 
Às vezes é difícil dizer onde está o limite entre a ciência avançada e a ficção científica. Além disso, mesmo que a física teórica se mostre sólida, os engenheiros aeronáuticos ainda precisam ser capazes de construir alguma coisa, se é que isso tem algum efeito tangível.
 
Se eles construíram a tecnologia descrita nas patentes, tenho certeza de que o programa é altamente confidencial. O resultado é que, se tudo isso funcionar, estamos em um território que muda totalmente o jogo."