Marinha dos EUA divulga informações impactantes de três encontros com OVNIs oficialmente reconhecidos

 
 
Em 11 de setembro de 2018, a Marinha dos EUA divulgou as datas de três encontros com OVNIs oficialmente reconhecidos, ou o que eles chamam de “fenômenos”.
 
Em várias declarações recebidas exclusivamente pelo The Black Vault, a Marinha excitou os interessados ​​em OVNIs ao admitir oficialmente que os vídeos chamados “FLIR1“, “Gimbal” e “GoFast” eram, de fato, “Fenômenos Aéreos Não Identificados” ou FANIs (sigla em inglês UAPs). Agora, a Marinha ofereceu breves detalhes adicionais sobre os casos, alguns dos quais, eram anteriormente desconhecidos.
 
Os três vídeos mencionados foram levados a público originalmente pelo New York Times e pela To The Stars Academy (TTSA) a partir de dezembro de 2017.
 
Dois dos três vídeos, ‘FLIR1‘ e ‘Gimbal‘, foram publicados primeiro. Mais tarde, em março de 2018, o vídeo ‘GoFast‘ foi revelado no site da TTSA, mas ofereceu detalhes limitados.
 
A maioria das pessoas reconhece a sigla para ‘Objeto Voador Não Identificado’ ou OVNI, com muito mais facilidade do que UAP (sigla adotada pela Marinha dos EUA para Unidentified Aerial Phenomena/Fenômeno Aéreo Não Identificado). No entanto, a Marinha dos EUA aparentemente adotou essa sigla nos últimos anos.
 
Segundo Joseph Gradisher, porta-voz oficial do vice-chefe de operações navais para guerra de informação:
 
"A terminologia ‘Fenômenos aéreos não identificados” é usada porque fornece o descritor básico para avistamentos / observações de aeronaves / objetos não autorizados / não identificados que foram observados entrando / operando no espaço aéreo de vários intervalos de treinamento controlados por militares."
 
Quando perguntado sobre o que os três vídeos representavam, Gradisher declarou ao The Black Vault:
 
"A Marinha não divulgou publicamente caracterizações ou descrições, nem divulgou nenhuma hipótese ou conclusão em relação aos objetos contidos nos vídeos mencionados."
 
Embora a Marinha não registre nenhuma conclusão que eles tenham tirado, Gradisher ofereceu um vislumbre de como eles caracterizam os vídeos, acrescentando:
 
 
 
A Marinha considera os fenômenos contidos / representados nesses três vídeos como não identificados ” (grifo nosso).

 

Também foi revelado que ‘FLIR1‘, ‘Gimbal‘ e ‘GoFast‘ não são os nomes oficiais usados ​​pelas forças armadas dos EUA para fazer referência a esses vídeos.
 
Gradisher disse:
 
"Os identificadores oficiais da Marinha para os vídeos referenciados não correspondem aos nomes mencionados (FLIR1, Gimbal e GoFast) … a Marinha identifica esses vídeos pelas datas respectivas das observações / avistamentos."
 
A Marinha não ofereceu os números de designação exatos para os vídeos, mas revelou as datas dos três incidentes:
 
"[As] datas são 14 de novembro de 2004 para “FLIR1”, 21 de janeiro de 2015 para ambos, “Gimbal” e “GoFast”.
 
O vídeo “FLIR1” foi gravado durante o que é conhecido como o “Incidente Tic-Tac” que ocorreu na costa de San Diego, e a data desse encontro já é conhecida há algum tempo. No entanto, as datas dos vídeos ‘Gimbal‘ e ‘GoFast‘ não eram conhecidas.
 
De acordo com o site da TTSA, “a data, o local e outras informações foram removidas pela autoridade de origem como parte do processo de aprovação da liberação”. Essa frase é usada literalmente nas páginas ‘Gimbal‘ e ‘GoFast‘.
 
Com esta nova revelação da Marinha, agora mostra os casos “Gimbal” e “GoFast” ocorridos no mesmo dia e, possivelmente, são dois aspectos do mesmo evento. A ideia foi divulgada por alguns pesquisadores de que os vídeos estavam relacionados, devido à análise crítica das exibições na tela e ao fato das vozes contidas nos vídeos parecerem semelhantes, mas o fato não foi oficialmente confirmado até agora.
 
Foi solicitado à Marinha detalhes mais específicos, como detalhes sobre o local em que os vídeos foram gravados, mas a resposta a essa linha de questionamento foi breve.
 
Gradisher respondeu:
 
"Não forneceremos detalhes sobre relatórios individuais"
 
E foi aí que as informações pararam de fluir nos três vídeos.
 
A notícia é uma surpresa para muitos pesquisando atualmente o andamento sobre esses casos de OVNIs. Embora a Marinha não faça comentários sobre detalhes específicos sobre o local ‘Gimbal‘ e ‘GoFast‘; um pesquisador acha que descobriu.
 
De acordo com o cineasta Dave Beaty, que relançou o filme “Nimitz Encounters” sobre o “Incidente Tic-Tac” no início deste ano, outra peça do quebra-cabeça surgiu com essas declarações recentes.
 
 
Beaty disse:
 
"O fato de sabermos agora as datas dos vídeos “Gimbal” e “GoFast” ajuda a montar mais uma peça do quebra-cabeça.
 
Os registros do convés do USS Normandy, o cruzador do USS Roosevelt Strike Group, mostram que ele estava em um local específico ao largo da costa da Flórida e da Geórgia. Especificamente, um pouco mais de 160 quilômetros a leste, equidistante entre Jacksonville e Savannah.
 
Este é o JAX OPAREA. O cruzador fica porta-aviões o tempo todo durante as operações. Portanto, agora não só sabemos a data, mas também a posição estimada do UAP (FANI/OVNI)."