Linhas de Nazca: os grandes geoglifos do Peru

 
 
 
Localizado na planície costeira peruana, cerca de 400 km ao sul de Lima, os geoglifos de Nazca abrangem cerca de 450 km. Estas linhas, que foram riscadas sobre a superfície do solo entre 500 aC e 500 AD, estão entre os maiores enigmas da arqueologia por causa da sua quantidade, natureza, dimensão e continuidade. Os geoglifos mostram seres vivos, plantas estilizadas e seres imaginários, bem como figuras geométricas com vários quilometros de comprimento.
 
Eles são considerados o grupo mais notável de geoglifos em qualquer lugar do mundo e são incomparáveis em sua quantidade, tamanho e diversidade. A concentração e a justaposição das linhas, bem como a sua continuidade cultural, demonstram que esta foi uma atividade importante e de longa duração, podendo ter durado em torno de mil anos.
 
 
Arqueólogos estão a um bom tempo intrigados com o verdadeiro propósito das Linhas de Nazca. Alguns pesquisadores têm argumentado que as linhas de Nazca formam um labirinto. Outros afirmaram que as linhas e figuras coincidem com as constelações no céu, ou que as linhas de Nazca faziam parte de uma rota de peregrinação antiga.
 
No entanto, outra idéia é que as linhas estão conectadas com rotas de águas subterrâneas, algo vital para a vida no deserto, e pode ter desempenhado um papel nos rituais à base de água. O simbolismo animal é comum nos Andes, e são encontrados desenhados sobre toda planície de Nazca: aranhas são acreditadas como sendo um sinal de chuva, beija-flores estão associados com a fertilidade, e os macacos são encontrados na Amazônia, uma área com abundância de água .
 
O povo Nazca pertencia a uma antiga cultura pré-histórica que foi bem sucedida em técnicas de engenharia para trazer a água subterrânea até a superfície para irrigação.