Hiperbórea a misteriosa cidade dos deuses, onde moravam seres gigantes de origem desconhecida...

13/08/2018 11:19

Textos antigos sugerem que antes da história escrita, existiam civilizações antigas em todo o mundo, grande parte dessas civilizações eram extremamente avançadas e talvez de origem alienígena..

 
 
Hiperbórea é considerada o lar dos Deuses, e a rival da poderosa Atlântida.
 
Lendas, mitos e até mesmo textos antigos sugerem que antes da história escrita, antes da história moderna, existiam civilizações antigas em todo o mundo - grande parte dessas civilizações eram extremamente avançadas. 
 
Uma dessas civilizações teria se desenvolvido em Hiperbórea, uma terra mencionada por vários autores na antiguidade clássica.
 
Sua história e existência é um grande mistério, e sua verdadeira origem reúne teorias de alienigenas que estiveram na Terra no passado e civilizações extremamente avançadas.
 
Neste artigo, reunimos fatos fascinantes sobre a Hyperborea que você não deve perder.
 
Os habitantes da terra de Hyperborea eram uma raça mítica de gigantes.
 
Para os gregos, esses seres poderosos habitavam uma terra “além do vento norte”.
 
Pindar, um poeta grego, descreveu a perfeição do outro mundo (hiperbóreo): “... Nunca a musa está ausente de seus caminhos (...). Nem a doença nem a velhice são misturadas em seu sangue sagrado; longe do trabalho e da batalha, eles vivem ... ”
 
Os historiadores gregos estavam convencidos de que Boreas - o Deus do Adamastor - vivia em uma terra chamada Trácia, e Hiperbórea era uma região que ficava bem ao norte de Trácia.
 
Hecateu de Abdera também descreveu como os hiperbóreos construíram em suas terras “um magnífico recinto sagrado de Apolo e um templo notável que é adornado com muitas oferendas votivas; é de forma esférica”. Curiosamente, alguns estudiosos identificaram este templo como Stonehenge.
 
As descrições de Hiperbórea sugerem que era uma terra perfeita. Lá, o sol brilha vinte e quatro horas por dia.
 
Esta descrição de Hiperbórea levou alguns autores a sugerirem que o local pode ter sido uma área de terra conhecida nos tempos antigos que estava localizada em algum lugar dentro do Círculo Ártico (onde não anoitece).
 
Certos sistemas de crenças esotéricas e tradições espirituais sugerem que a Hiperbórea era o início da civilização terrestre e celestial. Foi considerada o lar original dos deuses.
 
Madame Blavatsky, a fundadora da Sociedade Teosófica, afirmou que a "segunda raça raiz" originou-se em Hiperbórea, antes das raças posteriores de Lemúria e de Atlântida.
 
A mais antiga fonte mencionando a poderosa terra dos Hiperbóreos em detalhes aparece nas Histórias de Heródoto (Livro IV, Capítulos 32-36), que datam de cerca de 450 aC.
 
Heródoto também escreveu que o poeta do século 7 aC, Aristeas, escreveu sobre os hiperbóreos em um poema (agora perdido) chamado Arimaspea sobre uma jornada aos Issedones, que se estima ter vivido na Estepe do Cazaquistão.
 
No entanto, Hiperbórea foi mencionada por um número de contemporâneos de Heródoto, incluindo Píndaro, Simônides de Ceos e Hellanicus de Lesbos durante o quinto século aC.
 
Apesar do fato de que a localização exata da Hiperbórea permaneceu um profundo mistério, muitos autores inicialmente sugeriram que os Hiperbóreos viviam em algum lugar, em uma terra além das Montanhas Riphean.
 
Durante o século II dc, o filósofo estóico, Hierocles sugeriu que os hiperbóreos estavam ligados aos Montes Urais - ou Montanhas Riphean.
 
 
 
Curiosamente, os Montes Urais na Rússia abrigam uma série de estruturas antigas e massivas, que alguns dizem ter sido construídas por uma raça de gigantes.
 
Curiosamente, os Montes Urais são famosos não apenas por causa de seus sítios megalíticos e civilizações perdidas que mantiveram os cientistas ocupados por anos, mas a região também é incrivelmente famosa por uma série de artefatos avançados (como nanotecnologia) que foram recuperados na área.
 
De acordo com o poeta grego clássico Pindar: “… nem de navio nem a pé encontraria a estrada maravilhosa para encontrar os hiperbóreos…”
 
Além de serem verdadeiros gigantes, não há outras descrições físicas dos hiperbóreos.