Piloto da Força Aérea faz revelações incríveis sobre aeronaves nunca antes vistas espaço aéreo..

"Por algum motivo era impossivel focar no objeto de maneira normal. Como eu disse, era sinistro. Estava imóvel em relação a nós."

 
 
Brian Burdett, de 83 anos, estava pilotando um Royal Air Force VC10 a 35.000 pés (10.000 m), quando um misterioso objeto em forma de ‘tambor de óleo’ surgiu a 40 quilômetros ao norte da Córsega.
 
Ele estava pilotando um Royal Air Force VC10 a 35.000 pés quando o OVNI surgiu.
 
Brian estava a caminho da base RAF Akrotiri, no Chipre, para a RAF Brize Norton, em Oxfordshire, e estava transportando pessoal de serviço da RAF e suas famílias. Estes eram voos diários.
 
Brian, que atuava como líder do esquadrão, ficou sem palavras com o objeto brilhante que nunca havia visto antes.
 
Falando pela primeira vez sobre o avistamento, ele relatou:
 
"Imagine um tambor de óleo de 56 galões, aquele que chega ao seu quadril e tem aquelas pequenas protuberâncias em intervalos regulares.
 
Imagine também que não era preto ou sujo, mas brilhava com um brilho imenso. Ele estava suspenso em nossa posição de 11 horas e acima de nós.
 
…a incapacidade de estimar sua distância relativa era assustadora, porque (por alguma razão) não conseguimos resolver isso.
 
Concluímos que poderia ter estado a uma milha (1,6 km) ou várias, dependendo do tamanho, fosse o que fosse. O perdemos de vista quando não conseguimos mais erguer a cabeça.
 
Era impossível focar no objeto de maneira normal. A impressão era de que poderia ter qualquer tamanho e distância. Como eu disse, era sinistro. Estava imóvel em relação a nós."
 
 
Ele relatou o incidente ao ATC de Nice e dois caças foram despachados de imediato para interceptar o OVNI, mas os pilotos não pegaram nada no radar.
 
Encontro estranho
 
Brian avistou o OVNI primeiro, seguido pelo co-piloto Vic Stanton, o navegador tenente de voo J.Moore e o engenheiro de voo sargento Janes.
 
Ele acrescentou:
 
"Todos nós quatro na cabine de voo observamos exatamente o que eu descrevi; sem duvida concordamos com a descrição.
 
Além disso, quando relatei ao Nice ATC, um voo da Pan-Am relatou que podia ver exatamente o que eu via e concordou comigo. Não duvido que toda a sua equipe tenha observado o objeto também.
 
Não há dúvida de que se isso não fosse extraterrestre, é estranho que nunca tenha sido desenvolvido na Terra e se tornado de conhecimento comum para todos.
 
Era muito antinatural e totalmente fora do que estamos acostumados a ver, e além das nossas expectativas normais sobre o que as coisas são ou parecem ser. Você tem que ver isso para acreditar!"
 
Brian relatou seu avistamento estranho também através de “canais normais”, mas nunca recebeu resposta da RAF ou do Ministério da Defesa.
 
O evento de 1970 não foi a primeira vez que Brian, de Leigh-on-Sea, Essex, viu um objeto voador não identificado.
 
Brian relatou:
 
"Vi outras duas coisas que me deixaram certo de que não eram deste mundo: uma em 1951, que era uma luz suspensa à distância que disparou a uma velocidade de dobra.
 
Em 1957, eu estava na RAF Trimingham escoltando alguns pilotos visitantes da Bélgica. Estávamos sendo informados diante das enormes telas quando um alarme soou.
 
Fomos levados imediatamente, mas vi um retorno branco na tela disparar em direção norte da Holanda a uma velocidade enorme e depois parar instantaneamente. Poucos segundos depois, disparou novamente do limite do Wash para cerca de Scarborough, em três ou quatro segundos."
 
Houve mais de 3.500 avistamentos documentados de OVNIs por pilotos militares, civis e comerciais de companhias aéreas, mas os pesquisadores acreditam que muitos outros relutam em reporta-los oficialmente por medo de ridícularização ou dano a suas carreiras.
 
Mas Brian, que relatou com detalhes sobre seus encontros íntimos em seu livro “Forty-Seven Years Aloft” (Quarenta e Sete Anos no Ar), disse:
 
 
"Nunca acreditei que os pilotos relutassem em relatar avistamentos estranhos.
 
Você não encoraja ou desencoraja os pilotos em relação a ocorrências estranhas; eles sempre os denunciavam, na minha opinião. Certamente, nunca vi ordens a favor ou contra.
 
Conversei sobre isso em raras ocasiões socialmente, mas não com outros pilotos, particularmente." (Fonte)