Estranhos eventos estão ocorrendo no céu ao redor do globo.. Fortes clarões, terremotos, e feixes de energia: segundo alguns uma possível guerra espacial estaria acontecendo

19/01/2018 15:03

Os 3 eventos inacreditáveis que ocorreram na atmosfera terrestre recentemente, num período de 9 dias, podem não ter sido meramente casos de meteoros. Bem, pelo menos é isso que dizem alguns pesquisadores....

 
 
O que é misterioso é por que esses eventos de rocha espacial inusitadamente violentos e visíveis ocorreram em apenas nove dias? Onde está a equipe de alerta de meteoros da NASA? Estamos no meio de uma chuva de meteoro desconhecida? Devemos esperar mais?…
 
Na noite de 7 de janeiro de 2018, uma luz azul intensa atravessou as repúblicas da Bascortostão, Udmúrtia e Tartaristão, fortemente povoadas, do sudoeste da Rússia. Como é o caso na Rússia, o incidente foi capturado em câmeras nos painéis dos automóveis, mostrando que a noite mudou brevemente para a luz do dia. 
 
O Siberian Times relata negações usuais de que o fenômeno tenha sido responsabilidade do programa militar e espacial russo, pois poucas testemunha, se qualquer, relataram ter ouvido uma explosão ou qualquer outro tipo de som. 
 
Em Dallas (EUA), no dia 12 de janeiro, por volta das 20h34, um enorme estrondo foi ouvido, com algumas testemunhas relatando um enorme clarão primeiro e logo depois a sensação de percussão. Embora houvesse apenas algumas câmeras de segurança que capturam o evento, o vídeo foi suficiente para convencer o astrônomo Ron DiIulio da Universidade do Norte do Texas de que era um meteoro ou um pedaço de lixo espacial. Com base no clarão e no som do estrondo sônico, Dilulio imaginou que a ‘coisa’ era do tamanho de uma toranja … muito menor que o que passou sobre essas repúblicas russas.
 
Provavelmente foi muito menor que aquele que passou sobre o sudeste do estado de Michigan (EUA) em 16 de janeiro, pouco depois das 20h00. Os relatórios do clarão foram enviados para a American Meteor Society dos estados de Michigan, Ohio, Wisconsin, Illinois, Indiana, Pensilvânia e da cidade de Ontário, no Canadá, mas o objeto parece ter atingido a atmosfera e quebrado sobre New Haven, Michigan. Embora o Meteoroid Environment Office da NASA tenha estimado que o asteróide não tinha mais de dois metros de diâmetro quando começou a romper. Pelo menos um pedaço caiu no condado de Livingston, com o impacto ou o estrondo sônico sendo registrado como um terremoto de magnitude 2.0.
 
Três meteoros grandes, com várias testemunhos, causadores de explosão em diferentes partes do mundo durante um período de nove dias. Eles poderiam estar relacionados? Não há uma chuva de meteoros conhecida em andamento que poderia ter causado isto..
 
Devemos estar preocupados com esse aumento na frequência de grandes meteoros? Com a frequência de falsos alarmes de mísseis recebidos ultimamente, a resposta é óbvia."
 

Mas há quem diga que não foram só meteoros....

 
 
 
Ao mesmo tempo, que um meteoro atravessou o céu em Michigan, o United States Geological Survey relatou a ocorrência de um terremoto de magnitude 2.0 às 20h09, em 16 de janeiro de 2018.
 
A mídia corporativa acreditou que era um meteoro, mas imagens obtidas no momento do evento do ‘meteoro’ mostram algo mais, algo que parece ser um raio de energia iluminando o chão, e “pelo que eu saiba um meteoro não pode cair em um ângulo perfeito de 90 graus”, diz o investigador Jeffery Pritchett.
 
Parece que dois incidentes separados aconteceram no mesmo dia, pois o meteoro não causou o terremoto de magnitude 2.0, disse William Yeck, um geofísico no National Earthmake Information Center da US Geological Survey em Golden, no estado do Colorado.
 
Um meteoro que explode no céu pode ser explicado, (se fosse um meteoro), mas um terremoto de magnitude 2.0 e raios de feixes de energia é algo que parece impossível de acontecer ao mesmo tempo.
 
Há muita discussão sobre o que poderia ter sido os raios de feixes de energia. Foi apenas o meteoro, uma arma de energia ou tem algo a ver com uma próxima guerra espacial?
 
 
Ou poderia ser, de acordo com um novo relatório das Forças de Defesa Aeroespacial (ADF) que circulou no Kremlin há dois dias: 
 
Nenhuma explicação científica moderna conhecida pode ser encontrada no porquê de um dos cometas descobertos mais antigos do nosso sistema solar, denominado 41P / Tuttle-Giacobini-Kresák, diminuiu misteriosamente sua velocidade até quase parar, e começou a ‘disparar’ contra a Terra com seu primeiro ‘ataque de descarga elétrica’ ​​(comumente conhecido como ‘Teoria do Universo Elétrico’), que ocorreu em 7 de janeiro em vastas regiões da Rússia Oriental, transformando o céu noturno em um clarão azul elétrico e agitando o chão, e então atingiu o Texas, em 10 de janeiro, transformando o céu noturno em luz do dia e agitando o chão e, em 16 de janeiro, atingindo grandes regiões dos Estados Unidos – mais particularmente o estado de Michigan.