Conhecimento Banido: Livros de onipotência que faraós e pessoas do mais alto grau de importância proíbem pessoas comuns de ler

 
 
Continha dados sobre como se comunicar com os espíritos, ressuscitar os mortos e influenciar a consciência das pessoas.. 
 
Muitos governantes adoravam queimar livros. Mas esses volumes eram estritamente proibidos: acreditava-se que continham a chave do poder absoluto.
 
O Livro Sagrado de Thoth trata de como reviver a humanidade e se comunicar com os espíritos.
 
De acordo com as crenças dos antigos egípcios, Thoth era uma espécie de mediador que transmitia a "palavra dos deuses" ao povo. Ele próprio pertencia a eles: era reverenciado como o deus da sabedoria e o patrono das ciências.
 
No antigo Egito, havia uma lenda de que Thoth conhecia o segredo da Atlântida, que foi ele quem se tornou o guardião do conhecimento antigo de uma civilização destruída de forma desconhecida. 
 
Mas o mais misterioso e poderoso de seus livros é a "Placa de Esmeralda" ou "O Livro Sagrado de Thoth", escrita há dez mil anos em finas placas de ouro (havia 78 deles).
 
Em muitas dessas placas estavam escritos os segredos dos atlantes: foram eles, segundo a lenda, que permitiram aos egípcios construir uma civilização tão desenvolvida.
 
Infelizmente, praticamente nenhuma das sabedorias acima sobreviveu até hoje - grande parte foi perdida. A informação nas placas de ouro foi copiada em papiro, mas então a Inquisição apressou-se em destruir essas folhas, zelosamente lutando contra a "heresia". As páginas douradas também foram gradualmente perdidas.
 
Mas o "Livro de Thoth" continha o segredo do renascimento da humanidade, continha dados sobre como se comunicar com os espíritos, ressuscitar os mortos e influenciar a consciência das pessoas ...
 
 
Mistérios do verme
 
Tertius Sibelius nasceu por volta de 280 d.C. e ele estava destinado a se tornar um guerreiro romano. Sibelius estava interessado em rolos de papiro, nos quais informações raras de conteúdo religioso e filosófico podiam ser encontradas.
 
Entre esses papiros, Sibelius tinha uma atitude especial em relação aos livros negros. Sob a orientação de uma das bruxas etíopes, ele mesmo escreveu o livro "Mistérios do Verme", que se tornou um guia para os fundadores de todos os tipos de seitas satânicas.
 
Os imperadores cristãos então baniram a criação de Sibelius e tentaram destruir o livro "negro". Mas, como dizem, ainda hoje "aparece" aqui e ali, em algumas livrarias abandonadas..
 
O Necronomicon é uma farsa ou um livro de feitiços perigoso?
 
O autor do livro dos grimórios (isto é, contendo os textos de feitiços e ritos mágicos para invocar entidades sobrenaturais) é Howard Lovecraft. Diz-se que Lovecraft, tendo terminado de escrever o "Necronomicon" e percebendo que tipo de "bomba-relógio" ele havia criado, ficou mortalmente assustado e destruiu seu próprio trabalho.
 
Não se sabe o que é verdade ou boato, só se sabe que outros escritores começaram a criar seu próprio com "Necronomicon" e afirmam que seus livros podem ajudar a convocar os antigos deuses terríveis para o mundo real e mudá-lo para sempre.
 
"O manuscrito Voynich" (Embora tenham divulgado que foi decifrado, não é totalmente certo que a interpretação seja correta)
 
Autor desconhecido. O idioma é desconhecido. Ele consiste em muitas mensagens criptografadas e desenhos incompreensíveis. Embora recentemente se tenha dito que foi decifrado, não é totalmente certo que a interpretação seja correta.
 
O Manuscrito Voynich, que leva o nome de um livreiro que encontrou um livro antigo por acidente, entre as ruínas dos livros, confundio os cientistas mais importantes envolvidos na criptografia, bem como os criptanalistas da Segunda Guerra Mundial. O livro está atualmente mantido na Biblioteca da Universidade de Yale. Uma das versões diz que o Manuscrito Voynich é algo como um antigo livro de medicina ou farmacologia. No entanto, esta versão é apenas um palpite. Alguns acreditam que o livro ensina poder sobre o mundo.
 
Em 2016, uma das editoras espanholas recebeu o direito de publicar cerca de mil exemplares do Manuscrito. Boatos sobre esse livro misterioso despertaram grande interesse, de modo que pessoas comuns tiveram acesso a este manuscrito e puderam tentar desvendar seu segredo
 
"Apócrifos": a igreja os proíbe, mas os mantém
 
A Igreja não reconhece os "apócrifos", porque eles contam histórias sobre tópicos que não foram incluídos na Bíblia e apareceram antes do Cristianismo tomar forma como religião.
 
Alguns dos "apócrifos" que a igreja classifica como "satânicos" foram incluídos nos livros Cabalísticos. É proibido ler os "apócrifos" na Igreja e, se um dos ministros violar essa proibição, é expulso. No entanto, às vezes o conteúdo dos "Apócrifos" é usado como uma ilustração de eventos sobre os quais a Sagrada Escritura silencia, mas que são considerados confiáveis.
 
 
Alguns "apócrifos" estão armazenados nos Arquivos do Vaticano. Na Idade Média, as pessoas comuns não podiam acessar os apócrifos e, quando o faziam, eram imediatamente queimados na fogueira.
 
Fonte: Ancient Code
 
Não copie sem autorização, respeite o conteúdo do SITE