Cientistas encontram misterioso objeto com uma órbita de 20.000 anos se movendo em nossa direção

19/10/2016 10:36

Pesquisadores descobriram um objeto misterioso nos confins do Sistema Solar. Ele tem uma órbita extrema uma vez que leva 20.000 anos para orbitar o nosso Sol. Estranhamente o objeto está mudando sua trajetória se movendo em direção ao Sol a partir da Nuvem de Oort no cinturão de Kuiper. Nenhum objeto já foi visto fazendo isso.

 
 
 
Os astrônomos descobriram um mundo distante, conhecido como L91, que orbita muito além planeta anão Plutão, nos confins do nosso sistema solar. O objeto parece estar em um processo de mudança gradual movendo-se em direção ao Sol apartir da Nuvem de Oort  no Cinturão de Kuiper. Nenhum objeto já foi visto fazendo isso.
 
É um dos objetos mais extremos já descoberto que orbitam o Sol, além da influência da gravidade de Netuno, o planeta mais distante em nosso sistema solar.
 
Os investigadores estão atualmente debatendo sobre a órbita anômala do objeto tentando chegar nas teorias mais plausíveis.
 
"Toda vez que encontramos um objeto como esse, ele se torna uma nova parte do quebra cabeça", diz Meg Schwamb, um cientista planetário do Observatório Gemini, em Hilo, Havaí.
 
L91 foi detectado oficialmente em setembro de 2013 pela pesquisa "As origens do Sistema Solar Exterior" - Telescópio Canadá-França-Havaí.
 
Os pesquisadores realizaram um estudo detalhado de uma pequena porção do céu, a fim de catalogar e descrever os objetos que compõem o cinturão de Kuiper.
 
De acordo com um relatório da Nature, a órbita elíptica de L91 não permite a ele se aproximar da Terra mais de 50 vezes a distância entre a Terra e o Sol
 
Michele Bannister, astrônoma da Universidade de Belfast, do Reino Unido disse que a localização e trajetória do objeto enigmático é o que o tornam tão fascinante..
 
Enquanto alguns pesquisadores argumentam o que é o objeto, uma das grandes perguntas é sobre seu tamanho, que ainda é oficialmente desconhecido..
 
Ao tentar explicar como L91 está se movendo, seus descobridores sugerem que no passado este pequeno mundo poderia ter sido jogado até 2.000 UA (Unidade Astrônomica) do Sol, na nuvem de Oort, por interações gravitacionais com Netuno, e atualmente ele se retrai novamente em direção ao sol pela passagem de uma estrela ou interações com a via Láctea. 
 
Konstantin Batygin, astrônomo do Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena, e um dos dois cientistas que em janeiro propôs a existência de um nono planeta no sistema solar, pensa que a influência deste planeta "9" pode ter alterado a órbita de L91.
 

Resumindo 

 
Enquanto alguns pesquisadores argumentam que o objeto pode ter sido "jogado" cerca 2.000 unidades astronômicas do Sol por interações gravitacionais com Netuno no passado distante, Konstantin Batygin, argumenta que um planeta "invisível" - como planeta nove , também conhecido como Planeta X - pode ter alterado a órbita de L91.