Cidade Viking é encontrada no subsolo perto de um antigo navio na Noruega

Arqueólogos na Noruega identificaram um centro ritual até então desconhecido, incluindo um salão de eventos, uma casa de culto e um grande navio enterrado.
 
 
 
A descoberta foi possível por GPS (imagens de satélite) e foi feita no monte Gjellestad, lar do Monte Jell, um dos maiores túmulos da Idade do Ferro em toda a Escandinávia.
 
A descoberta publicada na revista Antiquity indica que pessoas que pertenciam à elite da sociedade Viking foram sepultadas neste local. Um radar de penetração no solo (GPR) foi usado para mapear as feições abaixo da superfície.
 
Um achado maior do que se imaginava
 
A pesquisa começou em 2017 para determinar se os planos de construção colocariam em risco qualquer monumento arqueologico perto de Jell Mound. Registros históricos indicam que três outros túmulos no local foram demolidos no século 19, sugerindo que o local é mais do que aparenta. 
 
Hallada «ciudad vikinga» cerca de un antiguo barco en Noruega
 
 
O GPR mostrou que já houve 13 túmulos em Gjellestad, alguns com mais de 30 metros de largura.
 
Antiga cidade e navio Viking 
 
Um desses montes tem uma anomalia nos dados GPR que provavelmente representa um navio enterrado. Esses 'enterros de navios' provavelmente foram reservados para indivíduos Viking poderosos. Além disso, os pesquisadores encontraram uma fazenda nos dados do GPR.
 
Eles também viram um grande edifício, provavelmente um salão de festas, e outra sala que não parecia destinada a ser habitada. Em vez disso, pode ser uma casa de culto ou outra estrutura religiosa.
 
Lars Gustavsen, principal autor da pesquisa, do Instituto Norueguês de Pesquisa do Patrimônio Cultural, disse em um comunicado:
 
"Sabíamos que havia algo especial, mas não tínhamos ideia de que haveria um navio enterrado, é bastante unico."
 
Ele acrescentou que, normalmente com o radar de penetração no solo, os arqueólogos imaginam ver apenas pontos cinzas, pretos e brancos, mas desta vez o conjunto de dados surpreendeu os cientistas.
 
A variedade de estruturas e cemitérios no local sugere que ele tem uma longa história de uso. 
 
Gustavsen disse:
 
“O local parece ter pertencido ao mais alto escalão da elite da Idade do Ferro da região e teria sido um ponto focal para o exercício do controle político e social da região”.
 
 
Escavações de teste foram realizadas e uma escavação completa do enterro do navio está em andamento. Esta é a primeira vez que um cemitério de navio Viking é escavado em quase 100 anos, oferecendo a oportunidade de fazer isso com técnicas científicas modernas.