Esse é um dos casos mais surpreendentes de Viagem Temporal já registrados no Triangulo das Bermudas, e a pessoa sobreviveu para contar!!

08/11/2018 22:20

Uma das poucas pessoas a ter saído viva de um dos fenômenos mais inexplicáveis do Triangulo das Bermudas conta o que ocorreu dentro da nuvem temporal: "A visibilidade era quase zero. Havia relâmpagos lá dentro. Eram fortes clarões de luz. Então notei um enorme túnel se formando a nossa frente" 

 
 
 
Poderiam as nuvens de tempestade, relâmpagos e as poderosas correntes oceânicas, localizadas dentro do Triangulo das Bermudas, provocarem efeitos inesperados e sobrenaturais??
 
Em 4 de dezembro de 1970, um piloto chamado Bruce Gerson voava em uma aeronave entre a ilha dos Andros e a ilha de Bimini, quando teve uma experiencia absolutamente assustadora e até hoje inexplicavel.
 
Durante a viajem os controles de seu avião enlouqueceram completamente. Isso ocorreu durante sua passagem no misterioso Triangulo das Bermudas. O que ocorreu em seguida foi tão inexplicável que vários pesquisadores tem tentado encontrar uma resposta para explicar o fenômeno.
 
Em março de 2018, o teórico dos antigos astronautas e autor David Childress foi até um aeródromo em West Palm Beath, na Flórida para um encontro frente a frente com um dos poucos homens que conseguiu sobreviver após ter experimentado o estranho poder do Triangulo das Bermudas.
 
Bruce Gernon: Eu sou a unica pessoa viva que voou através do coração do Triangulo das Bermudas e saiu vivo daquilo que eu chamo de Vórtice Temporal.
 
David Childress: Então, Bruce, o ano era 1970, e você partia de um voo saindo de Andros. Quem estava com você no voo?
 
Bruce Gernon: Meu pai e nosso parceiro de negócios foi com a gente, era um voo de rotina. Foi desta área que decolei (aeródromo em West Palm Beath) e comecei minha subida.
 
Após a decolagem comecei a subir e ganhar altitude, não havia muito coisa nos arredores apenas água no ponto em que estavamos. Era uma área bem remota das Bahamas.
 
David Childress: Certo, e você achou que algo estranho fosse acontecer com você aquele dia?
 
Bruce Gernon: Não, nunca poderia prever que algo assim ocorreria. Uma nuvem estranha se formou a nossa frente, e parecia uma nuvem de formato lenticular. Estava bem a frente, pairando. Parecia um pouco estranha.
 
 
Assim que fiquei acima dela, ela começou a se expandir. Antes que eu percebesse, estava dentro da nuvem. A partir dai, não conseguia ver mais nada. A visibilidade era quase zero. Havia relâmpagos lá dentro. Eram fortes clarões de luz.
 
Os clarões ficavam cada vez mais intensos quanto mais entravamos. Era quase como noite e dia. Meu pai disse: "Talvez devêssemos virar e voltar para Andros". Eu não queria virar e voltar através da nuvem que estava me apavorando, sabe? Sem duvida teria sido pior.
 
David Childress: Você sentiu que não havia mais volta?
 
Bruce Gernon: Eu disse para meu pai: "Bem, espera mais um momento, ainda não".
 
Em vez de voltar para Terra, Bruce decidiu atravessar a nuvem que havia envolvido o avião, e continuar em sua trajetória de voo. Seu avião foi cercado por todos os lado por uma enorme tempestade de luzes que parecia não ter fim.
 
 
 
Bruce Gernon: Senti como se estivéssemos realmente presos dentro de uma estranha tempestade. Então notei um grande túnel com cerca de 1,6 km de largura por 16 km de comprimento. Então eu disse "vamos passar por aquilo". Quando entramos no túnel, uma coisa estranha aconteceu. Uma série de nuvens formou um redemoinho que girava lentamente no sentido anti-horário.
 
Senti como se deslizássemos sobre a água. De alguma forma estávamos em gravidade zero. Flutuávamos e íamos para frente, de alguma forma. Eu sai do túnel, e olhei para trás e vi o túnel se desfazer. O controlador de radar voltou ao microfone, e ele gritava muito alto. Ele estava muito agitado, então disse: "Tenho um avião diretamente sobre Miami Beach".
 
Então eu olhei para meu relógio e disse: "Não, ainda tenho mais 30 minutos para chegar. Estou a pelo menos 130 km a leste de vocês". Mas então olhei para baixo e lá estava Miami Beach, logo abaixo de mim. Viajei 160 quilômetros em apenas 3 minutos.
 
O avião de Bruce teria que estar viajando a 3.200 km\h para atravessar essa distância em um tempo tão curto, uma velocidade que seu pequeno avião não era nem remotamente capaz de alcançar.
 
Bruce Gernon: Todos os relógios estavam 20 minutos atrasados. Agora creio que o que estava acontecendo era uma anomalia temporal. Isso diz muito sobre o mistério do Triangulo das Bermudas e por que poucos sobrevivem.
 
 
Fonte: History Channel \ Caçadores de Mistérios