As múmias de Nazca: Após diversos testes e estudos realizados nas múmias, o resultado é: elas são mesmo anômalas e diferentes de todos os outros seres existentes na Terra

20/11/2018 08:57
 
 
Dr. José de Jesúz Zalce Benitez – especialista da Escola Nacional de Medicina Forense do México, apresenta pontos interessantes sobre uma das múmias.
 
Ontem, foi transmitido ao vivo uma apresentação que durou quase 5 horas, a qual ocorreu no Congresso da República do Peru, liderada pelo congressista peruano Armando Villanueva, onde foi mostrado por vários cientistas que analisaram as famosas múmias de Nazca de que estas são mesmo anômalas e, especialmente as menores (de 60 cm de altura), são completamente diferentes de qualquer humano já estudado.
 
Durante a apresentação dos resultados dos testes, várias informações impactantes foram proferidas com o apoio de slides mostrando os resultados dos testes. A baixo está um breve resumo dessas informações.
 
1) Os resultados de DNA confirmam que as amostras não guardam uma relação direta a nenhum organismo do tipo animal conhecido ou descrito até o momento.
 
2) Os resultados dos testes de Carbono 14 possuem um período de datação aproximado, o qual implica uma origem taxonômica distinto ao conhecido ou descrito nas espécies terrestres já estudadas e referidas pela ciência.
 
3) Os ossos das múmias são ocos, como os de aves, porém muito rígidos, assim como os de alguns dinossauros. Há também um desgaste natural entre o conjunto de juntas e ossos, mostrando que as amostras não poderiam ter sido montadas, mas sim pertenciam a entes completos que estavam vivos.
 
4) Os estudos das imagens e sua reconstrução tridimensional identificou que a anatomia óssea, assim como as estruturas ovoides (4 ovos encontrados dentro de uma das múmias de 60 cm), a anatomia da pele, gordura, músculos, vasos sanguíneos, cavidade oral, aparelho digestivo, aparelho reprodutor, duto do ovário e as estruturas das articulações (músculos, tendões, ligamentos e cartilagem) possuem uma relação direta entre sua posição e trajetória, manifestando assim sua autenticidade e funcionalidade orgânica única e irrepetível entre indivíduos.
 
5) Todos os dados angariados indicam a viabilidade e veracidade de que seja um ente de uma espécie nova ou desconhecida, com uma origem biológica evolutiva única e distinta do que é conhecido na espécie humana, ou qualquer outra.
 
.
Transmissão que ocorreu no Congresso da República do Peru
 
Como mencionado pelo deputado peruano Armando Villanueva Mercado, para a apresentação foi convidado o Ministério da Cultura do Peru, o qual não compareceu. Contudo, outros convidados acadêmicos, como universidades do Peru com representantes de suas faculdades de arqueologia, compareceram. E, como era de se esperar, ao final da apresentação os arqueólogos reclamaram que não tiveram participação dos testes e assim se mantinham duvidosos dos achados.
 
.
 
 
Contudo, apesar deles terem razão em parte ao dizerem que os protocolos científicos padrão não foram observados no início, um indivíduo entrevistado por Jaime Maussan ao final da apresentação lembrou que as instituições educacionais do Peru foram convidadas desde o início para acompanharem as análises, mas se negaram, inclusive com o Congresso Mundial sobre o Estudo de Múmias emitindo um parecer negativo, sem sequer analisar os corpos, e ameaçando processar a equipe que fez a descoberta. Porém, cientistas internacionais parecem ter abraçado a causa e deram sua contribuição para a resolução da mesma.