Algo anômalo aconteceu na Antártica: Um vórtice dimensional pode ter sido descoberto

26/10/2018 14:20

O objeto foi então liberado e aspirado no vórtice pelo mal tempo. Após alguns minutos, um resultado perturbador: o cronômetro marca a data de 27 de janeiro de 1965 e todos os dados calculados indicam valores incompatíveis com as características normais de um turbilhão.

 
 
 
Antártica nunca deixará de nos dar novas surpresas. O continente mais frio, remoto e inóspito da Terra, com temperaturas de até -80 graus Celsius, poderia esconder um verdadeiro museu arqueológico sob o espesso manto de gelo em torno de 95% de seu território e atinge uma profundidade média de mais de 2000 metros
 
Lá, 4.000 cientistas de 46 países em todo o mundo realizam a pesquisa mais impensável há mais de cinquenta anos e, naquele local, sempre ocorrem fenômenos científicos estranhos e inacreditáveis, alguns dos quais ainda não têm explicação. Foi o que aconteceu com uma equipe de cientistas britânicos e americanos em maio passado na Antártica.
 
Estudiosos estavam trabalhando em um projeto conjunto de climatologia, quando eles testemunharam um evento estranho: um vórtice incomum, parado no alto, sem se mover um único centímetro, apesar das altas rajadas de vento. Inicialmente, pensava-se em uma tempestade polar, mas a natureza estática e o nevoeiro incomum que o cercava levaram os pesquisadores a investigar o fenômeno.
 
Os homens prepararam um balão meteorológico preso a um guincho, com uma sonda de rádio para medir as propriedades físicas (temperatura, umidade relativa, pressão e velocidade do vento) e um cronômetro científico para registrar os tempos de leitura. O objeto foi então liberado e aspirado no vórtice pelo tempo estritamente necessário para as medições.
 
Após alguns minutos, um resultado perturbador: o cronômetro marca a data de 27 de janeiro de 1965 e todos os dados calculados indicam valores incompatíveis com as características normais de um turbilhão.
 
O experimento foi repetido várias vezes e sempre com os mesmos resultados. Uma das cientistas que participou nos vários testes, a americana Mariann McLein, não só confirma o incidente, mas também destaca que todo o incidente foi relatado ao serviço de inteligência militar e à Casa Branca.
 
Parece que o fenômeno se trata de uma ‘porta’ espaço-tempo, isto é, um ‘túnel’ que permite não só uma mudança geométrica através do espaço, mas também uma mudança de tempo. Uma espécie de viagem no tempo (ida e volta) e espaço. Para alguns, pode parecer paradoxal, mas o que aconteceu na Antártica poderia encontrar uma explicação racional na teoria da ‘ponte de Einstein-Rosen’.
 
No início do século passado, os dois cientistas criaram um ‘túnel gravitacional ou buraco de minhoca’. isto é, um ‘atalho’ de um ponto no universo para outro, que permitiria que você viajasse entre eles mais rápido do que a luz levaria para percorrer a distância através do espaço normal. Como você pode ver, estes não são conceitos da coluna de mistérios, mas verdadeiras noções de física que cada um de nós pode também conhecer mais através da web.
 
 
Este fato sensacional coincide com outra descoberta surpreendente feita por satélites americanos e publicada pela revista Daily Galaxy: a presença de uma estrutura antiga sob o solo antártico. A descoberta despertou a curiosidade dos ovniólogos/ufólogos e defensores das teorias da conspiração, segundo a qual soldados norte-americanos estão escondendo a descoberta de um OVNI ou um grande dispositivo tecnologicamente avançado jamais visto antes.
 
No momento, as autoridades americanas negam qualquer descoberta arqueológica nessas latitudes, mas, como disse um funcionário do Parlamento Europeu, a descoberta é de tal magnitude que toda a comunidade científica ainda está se perguntando, o que é que está vindo para luz nessa área.