A possível nova era de humanos híbridos com DNA alienígena: Eles têm a capacidade de pensar e raciocinar muito acima da média normal

28/11/2018 22:00

De fato, esta nova raça humana deriva de abduções e experimentos alienígenas, algo que Rodwell pode testemunhar indiretamente pelas sessões de terapia de regressão que ela teve com muitos pacientes que tinham sido abduzidos por alienígenas

 
 
Mary Rodwell, escritora, ovnióloga e hipnoterapeuta, diz acreditar que uma nova espécie de seres humanos está vivendo entre nós. Sua tese foi revelada na entrevista que ela deu à escritora best-seller e jornalista de notícias alternativas, Alexis Brooks.
 
Rodwell estudou por muito tempo as “Crianças das Estrelas” – uma raça de seres híbridos com DNA alienígena, a qual acredita-se ser uma nova espécie humana com capacidades cognitivas superiores.
 
Segundo ela, há um aumento no número de crianças que alegam ser alienígenas, e isto ocorre independentemente do contato com os meios de comunicação. De fato, esta nova raça humana deriva de abduções e experimentos alienígenas, algo que Rodwell pode testemunhar indiretamente pelas sessões de terapia de regressão que ela teve com muitos pacientes que tinham sido abduzidos por alienígenas. As experiências que os pacientes compartilharam foram evidências boas o suficiente para a pesquisadora acreditar que uma nova espécie de seres humanos está vivendo entre nós.
 
Ela disse:
 
"Fazem a 'melhoria' deles. Eles têm a capacidade de pensar e raciocinar muito acima da média normal. As crianças tinham muito mais consciência de experiências multidimensionais. Enquanto os seus pais temiam as experiências repassadas pelas crianças, as crianças falaram naturalmente sobre elas."
 
Uma coisa que distingue essa gente do resto de nós é a percepção diferente que elas têm do mundo. Rodwell acredita que um número de condições, inclusive a Síndrome de Asperger e o Distúrbio de Déficit de Atenção – DDA, com os quais essas crianças são diagnosticadas, sejam de fato um sinal de capacidades ocultadas que diretamente resultam da manipulação genética por uma raça alienígena tecnologicamente avançada.
 
Se isto for verdadeiro, o assim chamado ‘DNA lixo’ no nosso genoma pode fornecer uma variedade de funções cognitivas que nunca foram estudadas pela ciência. Diferentemente de décadas passadas, hoje temos muito mais informações sobre essas síndromes. Contudo, temos muito mais para aprender, pois ainda não temos nenhuma evidência como um gene influi no outro e quão profundas são as raízes. Em geral, a ciência moderna ainda não chegou ao nível onde pode entender totalmente e explicar o mecanismo sutil pelo qual a vida constantemente faz uma atualização (upgrade).
 
O professor Sam Chang, do Projeto do Genoma Humano, um dos primeiros especialistas a promover a ideia de que o DNA lixo seja de origem extraterrestre, é da mesma opinião.
 
Segundo ele, “Essas sequências alienígenas têm os seus próprios sistemas e resistem a certas drogas.”
 
 
Embora a evolução dependa em grande parte da adaptação, esses processos levam milhares de anos para se tornarem um padrão. Considerando-se que há uma grande lacuna entre duas gerações sucessivas, a única explicação razoável para isso é a de que deve haver um fator externo responsável por esta manipulação do genoma humano.
 
O que ainda estamos nos perguntando é se toda a humanidade acabará por se tornar ativada por uma ‘inteligência superior’ quando os alienígenas chegarem. Ou vamos nos tornar peças de museu ao lado dos neandertais que tornamos extintos com nossos cérebros e apetites maiores?  E o mais importante, estamos nos dirigindo para o fim de nós mesmos, como resultado de nossos desejos?
 

Fonte