A Grande Pirâmide de Gizé brilhou como uma ESTRELA milhares de anos atrás como um farol para os DEUSES

 
 
 
A Grande Pirâmide de Gizé brilhava no Egito antigo. Os egípcios a chamavam de Ikhet ou "luz gloriosa".
 
Textos egípcios antigos e evidências da Necrópole de Gizé indicaram que, há 4.500 anos, a pirâmide de Quéops e as outras duas pirâmides brilhavam como estrelas na Terra, com uma luminosidade capaz de ser observada do espaço e de outros reinos ao redor do Egito. 
 
Elas podem ter servido até mesmo como faróis para os deuses... Que tecnologia os egípcios usaram para conseguir isso?
 
Como os egípcios fizeram as pirâmides brilhar?
 
A resposta está no fato das pirâmides serem cobertas com blocos de calcário branco que foram polidos e lixados cuidadosamente por pedreiros egípcios. Este calcário veio das pedreiras de Tura perto de Memphis.
 
Pequenas piramides de ouro no topo das Piramides..
 
"Pequenas pirâmides revestidas com ouro ou bronze geraram um reflexo poderoso e dourado" - Essas pirâmides eram bem pequenas e foram colocadas como algo decorativa nas pontas das estruturas (como pode ver abaixo).
 
 
 
O documentário do Smithsonian Channel expõe o antigo processo de lixamento de pedras do egiptólogo de Harvard Jacquelyn Williamson. Segundo suas investigações, a superfície dos blocos de calcário foi polida com abrasivos, como tijolo, arenito e areia fina. Este procedimento exigiu muito tempo, esforço e um alto nível de habilidade avançada.
 
O brilho poderia ter sido visto do espaço.. Uma construção altamente avançada
 
As duas tecnicas, uma verdadeira estrutura avançada: o refinado revestimento de calcário branco e as pirâmides de ouro (no topo) produziram um intenso reflexo da luz do sol, como um enorme espelho tridimensional. O brilho das Grandes Pirâmides de Gizé era tão brilhante que seria visto até mesmo da Lua.
 
A imagem das pirâmides brancas no deserto deve ter sido surpreendente e indescritivel, como um tipo de artefato gigantesco para entrar em contato com o céu e os deuses.
 
Da mesma forma, o brilho pode ter sido visto de outros lugares, como as montanhas de Israel, e observado por povos como a Caldéia e tribos da Líbia e da Arábia.
 
O brilho provavelmente foi usado como um tipo de sinal para os deuses egípcios. Os deuses viviam no céu e, portanto, são considerados alienígenas antigos. Talvez essas divindades usassem as pirâmides como um tipo de farol visto do espaço.
 
Além disso, existe a hipótese de que a grande pirâmide de Quéops funcionava como uma antiga usina. De fato, um grupo de cientistas da Universidade ITMO da Rússia e também do Instituto Laser Zentrum Hannover na Alemanha descobriram que Cheops tem uma física e geometria capaz de concentrar energia eletromagnética. Concentraria o eletromagnetismo através de ondas de rádio que produziriam um poderoso estado de ressonância. 
 
 
Outra hipótese diz que a Grande Pirâmide era como uma Torre de Tesla e que o calcário interno possui cristais e metais que permitem o aumento de energia.
 
Acredita-se também que os eixos internos de granito sejam levemente radioativos. A fonte de energia teria vindo da água dos canais subterrâneos de aqüíferos sob o platô de Gizé.
 
Fontes: 
 
*https://news.itmo.ru/en/science/photonics/news/7731/
*https://www.ancient-code.com/the-great-pyramid-of-giza-shone-like-a-star-thousands-of-years-ago/
*https://www.realmofhistory.com/2016/06/06/great-pyramid-shone-like-star-morning/
*https://www.khanacademy.org/humanities/ap-art-history/ancient-mediterranean-ap/ancient-egypt-ap/a/old-kingdom-pyramid-of-khufu
*https://www.apollo-magazine.com/great-pyramid-giza-egypt-casing-stone/