Evidencias indicam que Göbekli Tepe faria parte de uma civilização desenvolvida perdida..

28/08/2021

Na atual Anatólia - Turquia - encontram-se os restos do sítio megalítico mais antigo da Terra. Acredita-se que tenha sido construído há cerca de 13.000 anos por um povo misterioso, o antigo local identificado como Göbekli Tepe está envolto em mistério por mais de um motivo.

É um dos locais mais enigmáticos do planeta e não se encaixa em nenhum lugar da linha do tempo histórica apresentada pelos historiadores atuais. Isso ocorre porque não há nada parecido lá fora.

Göbekli Tepe é tão antigo que nem deveria existir. Os especialistas afirmam que o enorme local - que só foi escavado cerca de 5% até agora - foi construído por um grupo de pessoas "incivilizadas", provavelmente caçadores-coletores. Mas foi mesmo? Para descobrir, devemos voltar nossos livros de história para o ano de 1994, quando o arqueólogo alemão Klaus Schmidt "descobriu" o enorme complexo enterrado sob a superfície.

Embora oficialmente descoberto e catalogado em 1994, o local foi "encontrado" por arqueólogos americanos nos anos 60. Naquela época, no entanto, não era dada muita importância ao local porque os especialistas pensavam que as seções do local que se projetavam da superfície não eram mais do que lápides que datavam da época do Império Bizantino. O local acabou sendo deixado inexplorado até que Schmidt apareceu cerca de trinta anos depois.

Ao contrário de seus colegas americanos, Schmidt sabia que o local era muito mais antigo do que os arqueólogos pensavam inicialmente, ao ver os fragmentos de pedra. As características da superfície de Göbekli Tepe levaram Schmidt a deduzir rapidamente que se tratava de um sítio pré-histórico, e não medieval como se pensava anteriormente. A cada exploração, a importância do local era revelada ainda mais.

Estranhamente, por centenas de anos, a importância do local passou despercebida. A colina que constitui o local foi cultivada por gerações e os habitantes locais removeram algumas das rochas, amontoando-as para limpar os campos. Isso é uma pena, já que muitas evidências arqueológicas foram destruídas durante esse processo.

Após décadas de explorações e escavações, os arqueólogos afirmam que cerca de 5% do local foi escavado. Embora a maior parte permaneça no subsolo, os especialistas classificaram o antigo local como o templo mais antigo do planeta, enquanto outros sugerem que pode ter sido um observatório astronômico.

A complexidade do local, seu tamanho enorme e seus recursos intrincados contam uma história mais fascinante do que qualquer estudioso poderia classificar. 

Göbekli Tepe; Civilização desenvolvida ou caçadores-coletores?

Os principais especialistas argumentam que é impossível que, há 12.000 anos, sociedades complexas existissem perto da fronteira entre a atual Turquia e a Síria. A narrativa dominante explica que a civilização como a conhecemos não existia nesta época da história. A existência de Göbekli Tepe é um indicador óbvio de que não é assim. O tamanho e complexidade do local nos diz que os caçadores-coletores não foram os responsáveis, mas uma civilização avançada.

Qual a probabilidade de que, entre 12.000 e 13.000 anos atrás, um pequeno grupo de caçadores-coletores decidiu erguer um local supermassivo no sopé das Montanhas Taurus? Os construtores do local tinham a capacidade de extrair pedras maciças: as mais pesadas foram estimadas em cerca de 50 toneladas.

Essa civilização não apenas tinha a capacidade de extrair as pedras, mas também possuía os meios para transportar o material maciço até o local onde as estruturas foram erguidas. Isso só poderia ser feito por uma civilização muito bem desenvolvida.

Caçadores-coletores desorganizados ou grupos de caçadores-coletores não teriam necessidade de construir tal local, nem teriam sido motivados em primeiro lugar. Se for esse o caso, por que não estamos vendo estruturas supermassivas semelhantes erguidas ao redor do globo, construídas por "caçadores-coletores"?

Pedras supermassivas

Göbekli Tepe antecede as pirâmides egípcias em vários milhares de anos. Sabemos que a civilização que construiu as pirâmides era uma sociedade complexa, desenvolvida e habilidosa, apoiada por uma economia florescente e ampla disponibilidade de matérias-primas. Os antigos egípcios usavam pedras de várias toneladas para construir as pirâmides e, embora a forma como essas estruturas incríveis foram construídas permaneça um profundo mistério, podemos propor várias teorias sobre como eles tornaram isso possível.

Göbekli Tepe, no entanto, está ainda mais envolta em mistério.

Vários milhares de anos antes dos antigos egípcios, a misteriosa sociedade que ergueu Göbekli Tepe desenvolveu a tecnologia para extrair, transportar e posicionar pedras supermassivas.

A maior parte das pedras utilizadas na construção do canteiro pesam em média cerca de 10 toneladas. A análise do local sugere que há um total de 20 círculos dentro dos quais estão centenas de pilares de pedra. No entanto, apenas quatro desses círculos foram escavados até o momento.

Centenas de pessoas

É quase impossível ter uma ideia da quantidade de trabalho necessária para construir um local tão complexo e enorme. Os arqueólogos estimam que foram necessárias mais de 500 pessoas para extrair as pedras entre 10 e 20 toneladas (embora algumas pesem mais de 50 toneladas) das pedreiras locais e transportá-las entre as pedreiras e o local de construção.

Os caçadores-coletores eram realmente capazes de organizar uma força de trabalho tão grande há cerca de 13.000 anos? E se sim, o que os motivou a fazer isso? Alguns especialistas argumentam que escravos podem ter sido usados para completar sua construção, mas não há evidências para apoiar essa teoria até o momento.

Planejamento, engenharia e senso de arquitetura

Você não constrói um local do tamanho do Göbekli Tepee aleatoriamente. Construir algo de tais proporções requer planejamento; requer prática e um senso de arquitetura e engenharia. O tamanho incrível de Göbekli Tepe é evidência de que seus construtores tinham conhecimento - conhecimento avançado - de planejamento, engenharia e um senso refinado de arquitetura e arte.

O local não foi construído aleatoriamente, mas todos os seus pilares e círculos seguem um padrão que revela a complexidade do sitio. A obra presente no local sugere que seus construtores eram uma sociedade bem versada em várias ciências, incluindo geometria e até matemática.

Pré-metalurgia e escrita

Essas estruturas em Göbekli Tepe não apenas são anteriores à invenção da cerâmica, metalurgia, escrita ou da roda, mas foram erguidas antes da chamada Revolução Neolítica. Ou seja, a construção do Göbekli Tepe implica uma organização em um nível de complexidade não associado, até agora, às sociedades pré-neolíticas.

Isso nos leva a questionar se caçadores-coletores comuns, que não possuíam conhecimento de escrita - e, portanto, de planejamento - poderiam ter erguido um local tão complexo.

Maravilha geométrica

A complexidade do Göbekli Tepe foi confirmada em um estudo de 2020 que demonstrou que seus construtores tinham um conhecimento profundo de geometria aplicada. O estudo publicado no Cambridge Archaeological Journal revela que Göbekli Tepe era muito mais avançado do que se pensava originalmente e que sua construção exigia planejamento e recursos muito mais complexos do que as estimativas anteriores - muito mais.

Conforme explicado anteriormente, o planejamento necessário para construir Göbekli Tepe era diferente de tudo o que se viu naquela parte da história.

Os pesquisadores demonstraram que os círculos de Göbekli Tepe não foram construídos individualmente e aleatoriamente, mas foram planejados como uma única unidade e foram construídos simultaneamente.

Um dos pesquisadores do estudo revelou que "a descoberta inicial do local foi uma grande surpresa, e agora estamos mostrando que sua construção foi ainda mais complexa do que pensávamos".

Göbekli Tepe é uma verdadeira maravilha geométrica, que não foi construída por caçadores-coletores - mas sim por uma civilização altamente desenvolvida.

A conexão Stonehenge e Gobekli Tepe

Talvez um dos sinais mais fascinantes que apóiam a teoria de Gobekli Tepe como uma civilização são os resultados de um artigo científico publicado na revista Nature Ecology & Evolution. Os pesquisadores oferecem evidências conclusivas de que os ancestrais dos construtores de Stonehenge se originaram da atual Anatólia, na Turquia, a região onde fica Gobekli Tepe.

Um extenso estudo de DNA dos britânicos do final da Idade da Pedra indica que os ancestrais das pessoas que construíram Stonehenge seguiram uma longa rota migratória ao longo do Mediterrâneo - começando na Turquia - semeando ao longo do caminho o conhecimento da construção megalítica. Além disso, os pesquisadores acreditam que os viajantes distantes da atual Turquia provavelmente foram aqueles que introduziram a agricultura ao povo da Grã-Bretanha há milhares de anos.

O tesouro de um artista

Além das pedras maciças que pesam 10, 20 e até 50 toneladas, a variedade da fauna descrita, de leões e javalis a pássaros e insetos, torna uma única explicação problemática. No entanto, os símbolos em Göbekli Tepe atestam uma sociedade bem versada em simbolismo e arte. Uma série de artefatos de pedra menores, estátuas e itens levantam mais perguntas do que respostas. A mistura de artefatos encontrados em Göbekli Tepe não pode ser atribuída a um período.

Porque foi enterrado?

Construir um local de tamanha complexidade e tamanho 13.000 anos atrás é estonteante, para dizer o mínimo. Foi necessário um grande esforço para construir o local e mantê-lo. O tamanho de Göbekli Tepe sugere que foi de grande importância para as pessoas que o construíram. Então, por que foi enterrado por volta de 8.000 aC? Se fosse construído por caçadores-coletores, como sugerem os principais estudiosos, não iriam essas pessoas nômades simplesmente abandoná-lo e seguir em frente?

Construir um local assim exigiu um esforço enorme, mas enterrá-lo por inteiro foi uma conquista ainda maior. Isso levanta outra questão importante; porque foi enterrado? Não podemos responder a esta pergunta hoje, mas talvez novas escavações do local revelem mais pistas que nos ajudarão a entender a queda de Göbekli Tepe.

Göbekli Tepe; outros locais desenvolvidos...

Talvez o que mais apóia a teoria de que os construtores de Göbekli Tepe faziam parte de uma civilização antiga é a existência de muitos outros locais semelhantes, embora menores. Um exemplo é um sítio chamado Nevalı Çori. Este local é particularmente interessante devido à presença de uma série de estatuetas que foram queimadas a temperaturas entre 500 e 600 ° C. Foi aqui que os arqueólogos também descobriram o mais antigo trigo Einkorn.

Sua existência fornece evidências conclusivas do desenvolvimento da tecnologia de queima de cerâmica anterior ao advento da cerâmica.

A semelhança entre os monumentos em Göbekli Tepe e aqueles em Nevalı Çori, sem dúvida, sugere que os construtores eram parte da mesma "civilização".

Os estratos no local sugerem a presença humana há mais de 12.000 anos.

Talvez seja hora de reanalisar nossas origens e reescrever nossos livros de história.

ATENÇÃO: Respeite o conteúdo do SITE, não copie sem autorização (conteúdo 100% protegido)