Quase perdida das páginas da história, Mari é uma das cidades mais antigas do mundo

08/09/2021

A antiga cidade de Mari, com 7.000 anos (hoje conhecida como Tell Hariri), é uma das cidades mais antigas do mundo, localizada na margem oeste do rio Eufrates, no que antes era o norte da Mesopotâmia (agora leste da Síria). Milhares de anos de erosão quase varreram Mari das páginas da história, mas ela foi redescoberta por um beduíno local na década de 1930 e, desde então, emergiu das areias após extensas escavações. É agora reconhecida como a cidade planejada mais antiga conhecida no mundo e um poderoso centro de comércio e varios avanços.

Mari ocupava uma posição geograficamente estratégica na paisagem, ou seja, entre a Babilônia no sul da Mesopotâmia e as montanhas Taurus, que eram ricas em recursos naturais, ao norte, na atual Turquia. Como resultado disso, Mari floresceu como uma importante cidade-estado. Acredita-se que tenha sido habitado por pessoas que migraram dos reinos de Ebla e Akkad.

História de Mari

Mari está localizada na atual Síria, perto da fronteira do país com o Iraque e ao sul do famoso local de Dura-Europos. Embora seja discutível se a cidade foi habitada pela primeira vez durante o 5º milênio a.C. ou o 3º milênio a.C., é geralmente aceito que ela começou a prosperar por volta do início da última data. 

Como a cidade está localizada entre as cidades-estado do sul da Mesopotâmia e as montanhas Taurus, bem como a parte norte da Síria, Mari conseguiu controlar o fluxo de comércio. Por exemplo, madeira e pedra do norte da Síria tiveram que passar por Mari para chegar ao sul. Além disso alguns dos habitantes da cidade começaram a se especializar na fundição de cobre e bronze, aumentando assim a importância de Mari.

Entre 1760 e 1757 a.C., Mari foi destruída por Hammurabi da Babilônia. A antiga cidade só foi redescoberta em 1933, quando um beduíno local encontrou uma estátua e informou ao governo colonial francês sobre ela. Uma expedição arqueológica foi realizada no local, seguida por várias outras ao longo das décadas, todas chefiadas por franceses. A última expedição teve que ser interrompida em 2012, devido ao início da Guerra Civil Síria.

O Planejamento de Mari

Embora apenas um terço da cidade tenha sobrevivido (o resto foi arrastado pelo Eufrates), as escavações em Mari nos forneceram algumas informações sobre este antigo local. Por exemplo, os arqueólogos descobriram que Mari foi projetada e construída como dois anéis concêntricos. O anel externo destinava-se a proteger a cidade das enchentes causadas pelo Eufrates, enquanto o anel interno servia como defesa contra os inimigos humanos. As surpreendentes descobertas arquitetônicas para a idade do local incluem vários palácios e templos em várias camadas.

Acredita-se que a cidade tenha sido totalmente planejada antes de sua construção, por isso é frequentemente considerada um exemplo de planejamento urbano complexo e o primeiro conhecido do tipo no mundo.

Como Mari fica no Eufrates e dependia do comércio, também desenvolveu um sistema de canais, outra evidência do planejamento urbano. Um canal de ligação, por exemplo, permitia que os barcos que trafegavam ao longo do rio tivessem acesso à cidade, além de fornecer água para seus habitantes. Além disso, havia também um canal de irrigação para fins agrícolas e um canal de navegação que passava pela cidade no lado oposto do rio. Esse canal fornecia aos barcos uma rota alternativa para a cidade. Os pontos de entrada eram controlados pela prefeitura, e Mari lucrou com os pedágios ali cobrados.

Arquivo Mari

Outras descobertas historicamente significativas feitas por essas expedições incluem 15.000 tabuas, conhecidas coletivamente como as 'Tábuas de Mari' e vários marcos religiosos da cidade. As tabuas provaram ser extremamente esclarecedoras, pois fornecem um relato detalhado da história, geografia, economia, política, religião, vida militar e social de Mari e do norte da Mesopotâmia. Um conjunto único de inscrições na coleção fala de mensagens proféticas que vieram de pessoas que tiveram sonhos ou mensagens diretas de divindades. As mensagens foram entregues aos governantes locais, que as transmitiram ao rei.

Zimri-Lim

De forma devastadora, a guerra na Síria não só interrompeu as escavações arqueológicas, mas também causou danos ao local, em particular por saques e ocupação. O impacto dessa destruição, no entanto, ainda não foi totalmente avaliado.

ATENÇÃO: Respeite o conteúdo do SITE, não copie sem autorização (conteúdo 100% protegido)