Estranha cratera na Sibéria cuja origem não pôde ser explicada pelos cientistas

13/01/2022

A área tem alto magnetismo e durante anos misteriosamente teve altos níveis de radiação.

Os avanços da ciência e da tecnologia permitiram ao homem desvendar alguns dos mistérios ligados ao processo evolutivo do planeta. No entanto, ainda há muitas perguntas a serem respondidas e enigmas escondidos em diferentes lugares, que os cientistas ainda não conseguiram resolver. Um desses misteriosos enigmas é uma estranha formação geológica, cuja origem continua a confundir a comunidade científica até hoje. É a Cratera Patomskiy, localizada na Sibéria, nas proximidades das florestas de Irkutsk.

Cratera Patomskiy: diferentes teorias tentam explicar sua origem.

A cratera foi descoberta em 1949 pelo geólogo Vadim Kolpakov enquanto fazia um mapa daquela região pertencente à Rússia. De acordo com a sua forma particular, muitos locais chamam de "O ninho da águia ", pelas características apresentadas.

Esta formação geológica é uma colina em forma de cone composta de calcário. Com uma base de 150 metros de largura, 80 no topo e aproximadamente 10 metros de profundidade no centro. Desde que foi descoberto, tem havido muita especulação sobre sua origem , com uma série de abordagens incríveis.

Para alguns a estranha formação foi criada por civilizações antigas, outros apontam que foi construída por prisioneiros que estavam em um gulag escondido. Há também a teoria de que ela foi produzida por um meteorito quando colidiu com a Terra, embora haja quem afirme que a cratera foi resultado de uma explosão vulcânica ou da colisão de uma nave alienígena.

O impacto de um meteorito;

Muitos cientistas que estudaram a estrutura da Cratera Patomskiy consideram que sua origem foi causada pelo impacto de um corpo celeste. A este respeito, existem várias discrepâncias por parte dos especialistas. Por um lado, é verdade que a área foi impactada por um corpo celeste em 1908 e a localização exata nunca foi encontrada na região da floresta. Isso se refere à famosa bola de fogo de Tunguska, um objeto que explodiu sobre a região de Krasnoyarsk em 1908 e depois retornou ao espaço, cuja cratera nunca foi localizada.

O problema dessa teoria é que, segundo análises feitas por especialistas nos últimos anos, a estranha formação geológica tem cerca de 250 anos. Então, se foi mesmo um meteorito, deve ter acontecido há muito tempo. Os cientistas pensaram que a cratera provavelmente foi formada por um objeto esférico denso que só poderia se originar no espaço.

Mais tarde, outros especialistas analisaram o local determinando que provavelmente eram 2 objetos que estavam viajando a mais de 23.000 km por hora, um caiu e formou a cratera e o segundo desacelerou no solo. No entanto, a teoria foi descartada, pois outros pesquisadores indicaram que é altamente improvável que dois meteoritos tenham caído exatamente no mesmo local.

Colisão de naves alienígenas?

A proposição de que uma nave alienígena caiu naquele local e está no fundo da cratera é outra teoria popular que tenta explicar a origem dessa estranha estrutura. Os que defendem esta opção baseiam os seus argumentos na grande quantidade de radiação que durante algum tempo esteve presente na zona montanhosa. O médico de biologia Viktor Voronin, que também atua como chefe do Laboratório do Instituto Siberiano de Fisiologia e Bioquímica Vegetal, realizou estudos e analisou amostras de árvores do local da cratera nas proximidades.

Os resultados mostraram que em meados do século XVIII algo impressionante deve ter acontecido nos arredores da cidade. As árvores apresentaram certas deformações em seus anéis de crescimento, além de um aumento súbito nos níveis de urânio e estrôncio, até quatro vezes seu valor normal. Esses altos níveis desapareceram depois de 20 ou 30 anos, ainda hoje são normais.

Um vulcão misterioso;

Alguns geólogos estão inclinados pela teoria, de um vulcão que explodiu certos tipos de gases - em vez de lava - dando origem a essa estranha formação. Um dos maiores defensores dessa explicação é Alexander Pospeev, um renomado doutor em ciências geológicas e minerais da Rússia.

O especialista menciona que possivelmente um dos gases expelidos por esse raro vulcão seria o hidrogênio. Resta descobrir que outros tipos de gases poderiam ter escapado do interior da cratera. Sem dúvida, até agora a ciência não foi capaz de dar uma resposta clara e contundente para a existência dessa estranha formação. A área tem alto magnetismo e durante anos teve altos níveis de radiação.

Por isso e muito mais, a área onde está localizada a Cratera Patomskiy continua sendo um local de interesse, tanto para a ciência quanto para os amantes de enigmas.

Atenção: não copie sem pedir autorização, material 100% protegido (direitos autorais)