Descobertas Revolucionárias em Dzhankent, Cidade Medieval Abandonada

25/11/2023

Uma equipe de arqueólogos do Cazaquistão, Rússia e Alemanha fez descobertas importantes em Dzhankent, uma antiga cidade medieval agora deserta.

Localizada no Cazaquistão, às margens do rio Syr Darya e próxima do antigo Mar de Aral, Dzhankent ou Jankent era conhecida como a capital dos turcos Oghuz no século X, chamada na época de Yengi-kent, que significa "Cidade Nova". Os turcos Oghuz eram um povo que falava o dialeto Oghuz e se destacou a partir do século VIII, formando um estado tribal na Ásia Central.

As ruínas de Dzhankent cobrem 16 hectares e são protegidas por altas muralhas. Estrategicamente, a cidade estava no encontro de duas importantes rotas de comércio: a Rota da Seda do Norte, ligando a China a Bizâncio, e uma via que ia do Báltico até a Ásia Central.

Redescoberta por topógrafos russos no início do século XIX, Dzhankent foi alvo de escavações detalhadas por instituições como o Instituto de Etnologia e Antropologia da Academia Russa de Ciências, a Universidade Estadual de Kyzylorda, a Universidade de Tübingen na Alemanha, e o Instituto de Arqueologia Margulan do Ministério da Educação e Ciência do Cazaquistão.

Pesquisas recentes sugerem que a cidade foi fundada no século VI e reconstruída no século IX por arquitetos de Khorezm, do oásis do rio Amu-darya. As escavações revelaram curiosidades como o primeiro gato domesticado encontrado na Rota da Seda do Norte e ovos de galinha com inscrições árabes em um recipiente cerâmico do século X.

Entre os achados está também uma pequena figura de urso em cerâmica, que lembra artefatos da Idade do Ferro do sul da Sibéria, e um fragmento de cerâmica com a inscrição "Allah".

O Prof. Dr. Heinrich Härke, da Universidade de Tübingen, destaca que as descobertas são especialmente relevantes pois fornecem evidências do início do Islã na região do Mar de Aral, conforme indicado por fontes escritas do século X.

Fonte: Heritage Daily