Descoberta Histórica: Espada do Século IX Encontrada no Rio Vístula

20/01/2024

Em uma revelação impressionante, o Centro de Esportes e Recreação de Włocławek, na Polônia, anunciou a descoberta de uma espada antiga no rio Vístula. Esta importante descoberta ocorreu durante a dragagem de uma marina em Włocławek, onde a espada foi encontrada entre os sedimentos do rio. A descoberta foi imediatamente comunicada ao Escritório Provincial para a Proteção de Monumentos (WUOZ).

Para investigar mais a fundo, a espada foi enviada para análise na Universidade Nicolaus Copernicus em Torun. Através de exames de raios-X, os especialistas estimaram que a espada data de aproximadamente 950 d.C.

Os especialistas do Escritório Provincial para a Proteção de Monumentos acreditam que esta espada pertence ao tipo Ulfberht. Estas são conhecidas por serem armas de transição, marcando a evolução das espadas vikings para as espadas medievais dos cavaleiros. Essas espadas, geralmente associadas à origem franca, foram predominantemente encontradas no Norte da Europa, e acredita-se que eram exportadas principalmente como objetos de saque, resgate ou contrabando.

Sambor Gawiński, um membro do Escritório Provincial de Monumentos, destacou que até o momento foram descobertas cerca de 170 espadas Ulfberht na Europa, principalmente ao redor do Mar Báltico e da Escandinávia.

Um aspecto notável dessas espadas é a composição específica do aço, enriquecido com uma mistura definida de carbono, conferindo-lhes força, flexibilidade e durabilidade. Embora fossem usadas pelos Vikings, a produção dessas espadas não era feita por eles. Acredita-se que tenham sido produzidas em algum lugar da Europa Ocidental, mas a localização exata ainda é desconhecida.

O Professor Wojciech Chudziak, da Universidade Nicolaus Copernicus em Toruń, levantou a hipótese de que a espada poderia ter pertencido a um guerreiro viking. Esta teoria é reforçada pelo fato de Włocławek estar localizada em um ponto estratégico, onde importantes rotas marítimas e terrestres se encontravam, conectando Kujawy, Mazovia e até mesmo a região de Kievan Rus'.

Fonte: Heritage Daily