Tabuas de 4.000 anos revelaram a localização de 11 cidades antigas perdidas

10/01/2022

Um grupo de arqueólogos das universidades de Stanford e Harvard conseguiu identificar 11 cidades perdidas. Sabe como? Por tabuas de argila, datadas de 4.000 anos, criadas pelos mercadores do império assírio.

Então, se você é um daqueles que ama os mistérios antigos, fique aqui. As informações que você vai ler a seguir estão repletas de dados que vão te impressionar e fazer com que você queira saber mais a respeito.

Fatos sobre as tabuas

As tabuas com seus 12.000 textos foram encontradas em uma escavação no sítio arqueológico de Kültepe, na cidade de Kanesh, na atual Turquia. Elas detalham os entrepostos comerciais localizados no reino da Assíria, no Oriente Médio. Uma vez que os textos foram decifrados, essa informação deixou os arqueólogos completamente espantados, pois perceberam que havia mais centros urbanos nomeados do que os registrados até então.

O que exatamente foi descoberto??

Após uma tradução meticulosa desses antigos textos de argila, foi descoberto lucais até então desconhecidos. Mas não, não eram quaisquer locais, eram cerca de 11 cidades antigas. E essa revelação é interessante, já que o registro dessas cidades havia se perdido. Felizmente, 11 cidades foram encontradas após anos e talvez séculos perdidas no tempo.

Eles continham outros dados

Eles foram desenvolvidos em uma escrita cuneiforme antiga e, de acordo com a história, foram escritos pelos antigos sumérios. Além disso, havia certos documentos, como transações comerciais, contas, selos, contratos e até certidões de casamento. Essa informação foi um acontecimento que marcou toda a linha de informações que temos até agora sobre aquela época.

Uma reviravolta em toda a compressão da história

Com esses novos dados, possivelmente uma mudança será dada a tudo o que sabemos sobre o antigo império assírio. Depois de decifrar todas as informações obtidas, os responsáveis ​​pela investigação começaram a juntar as peças. Era como um quebra-cabeça, complexo, mas interessante. Os registros apontaram distâncias entre as cidades da Mesopotâmia já descobertas. E estes estavam relacionados com aqueles que ainda não haviam sido encontrados até então.

Novas revelações

Curiosamente, além de todas as informações mencionadas, essas tabuas antigas revelaram muito mais. Por exemplo, foi revelado que a cidade de Kanesh já foi um pequeno assentamento comercial. Além disso, eles nos dão uma viagem de volta ao passado. Eles até descrevem como a cidade "era uma economia de mercado próspera".

E depois de decifrar tudo?

Gojko Barjamovic, que era o professor sênior de Assiriologia da Universidade de Harvard, fez um comentário. Suas opiniões surgiram após estudar as mais de 12.000 placas de argila encontradas em Kanesh. Segundo ele, havia a possibilidade de estruturar um mapa das cidades da Mesopotâmia a partir dos dados. Com todas essas informações, os arqueólogos tiveram que começar a escavar nos locais indicados. A fim de encontrar e expandir os dados que existem sobre esta civilização.

Com os dados encontrados, foi possível identificar pelo menos 26 cidades antigas e 15 delas já haviam sido cadastradas anteriormente. Os arqueólogos descobriram que havia várias interações comerciais entre as 26 localidades. As 15 cidades conhecidas são as seguintes: Hanaknak, Hattus, Hurama, Kanes, Karahna, Malitta, Qattara, Salatuwar, Samuha, Tapaggas, Timelkiya, Ulama, Unipsum, Wahsusana, Zimishuna. E as 11 cidades perdidas são: Durhumit, Hahhum, Kuburnat, Mamma, Ninassa, Purushaddum, Sinahuttum, Suppiluliya, Tuhpiya, Washaniya, Zal.

No entanto, a pesquisa encontrou um grande obstáculo, as tabuas não têm coordenadas exatas. Por esse motivo, demorará algum tempo para encontrar a localização física exata dessas cidades antigas.

Os próximos passos a seguir

Com todos esses dados incríveis, descobertas e o 'quebra-cabeça' quase montado, eles devem dar o próximo passo. Realizar todas as expedições que forem necessárias, e escavar até descobrir todas as cidades perdidas. E quando finalmente os encontrarem, poderão estudá-las e poderão nos dar dados mais interessantes que ainda não conhecemos.

ATENÇÃO: Não copie o conteúdo do site, material protegido (direitos autorais)