Tunguska: Novo estudo não explica o que causou uma explosão igual a 185 bombas de Hiroshima

11/07/2016 16:34
 
 
 
 
A maior explosão em nossa história "documentada" permanece um mistério profundo, já que o novo estudo falhou (mais uma vez), que tinha como objetivo descobrir a causa da titânica explosão em 1908, Tunguska, que destruiu mais de 80 milhões de árvores da Sibéria.
 
Uma das explosões mais impressionantes da história documentada ocorreu em 30 de junho de 1908, na Região de Tunguska na Sibéria, Rússia. A enorme explosão rasgou o céu destruindo quase tudo em um raio de 30 milhas. O poder da explosão foi ouvido a mil milhas de distância.
 
De acordo com especialistas, cerca de 10 milhões de árvores foram atiradas para longe na explosão e inúmeros cadáveres carbonizados de renas e outros animais foram encontrados nas redondezas ....
 
Desde então pesquisador especulam o que poderia ter causado essa grande explosão que rasgou o céu em dois. Muitos propuseram que um cometa ou asteróide em chamas atravessou a atmosfera da Terra á mais de 53.913 quilómetros por hora causando uma grande explosão equivalente a 185 bombas de Hiroshima, levando uma forte pressão de calor sobre a região. Leonid Kulik propôs em 1927 que um asteróide poderia ter criado a explosão poderosa.
 
No entanto, o maior problema com a teoria é que nenhuma cratera nem restos de asteróides ou cometas foram encontrados.
 
Depois de Kulik, outros inumeros pesquisadores propuseram que um objeto vindo do espaço como um cometa composto de gelo poderia ter sido o culpado.
 
Mais de 100 anos depois, os pesquisadores ainda não conseguiram responder a um dos maiores mistérios de nosso planeta. Alguns cientistas chegaram a sugerir que um "buraco negro" poderia ter sido o fenômeno responsável pelo impacto. Esta teoria, no entanto, foi rapidamente descartada devido à falta de evidências científicas.
 
 
Caçadores de OVNIs têm especulado que a enorme explosão foi causada por fenômenos que são de "fora deste mundo".
 
Moradores tinham teorias diferentes. Quando a explosão se alastrou através da Sibéria, em 1908, as pessoas acreditavam que o evento foi marcado pela visitação de Ogdy, (um deus que temiam) que teria amaldiçoou a área.
 
Uma testemunha ocular que foi jogada de sua cadeira pela onda de calor (estava a uma distancia de cerca de 100 quilômetros do local da explosão) recordou o evento: "De repente ao norte ... o céu foi dividido em dois, e bem acima da floresta toda a parte norte do céu apareceu coberta com fogo "
 
"Naquele momento, houve um estrondo no céu e um ruido muito poderoso ... O acidente foi seguido por um barulho como o de pedras caindo do céu, ou de armas de fogo disparando. A terra tremeu."
 
Algumas novas descoberta abriram novas possibilidades que apontam para um meteoro como informa a BBC.
 
Estudos recentes descobriram que as amostras de rocha na área têm vestígios de minerais de meteoros com traços de um mineral de carbono chamado Lonsdaleite, no entanto, muitos cientistas advertem que estes resultados não necessariamente explicam a explosão, uma vez que chuvas de meteoros são comuns na região, apontando para a possibilidade de que as amostras descobertos poderiam ser os restos de objetos muito menores que passaram despercebidos.
 
A falta de uma cratera de impacto tem sido o maior problema para os cientistas. No entanto, em 2007, pesquisadores italianos propuseram que o Lago Cheko na Siberia pode ser a cratera de impacto que o objeto teria deixado para trás. Infelizmente, esta teoria foi refutada...
 
Cem anos após o evento, o mistério por trás da explosão de Tunguska permanece um mistério profundo que inúmeros cientistas de todo o mundo não conseguiram explicar . Meteoros, buraco negro, ovnis ... O que realmente teria acontecido na floresta da Siberia ? Essa é uma pergunta que pode nunca ser respondida com 100% de certeza !