Trem Fantasma Abandonado

26/01/2015 17:09
Durante anos foram o terror dos inimigos de Adolf Hitler, pois entrar em seus vagões significava partir para uma morte certa no campo de extermínio de Auschwitz. No entanto, daqueles que em seus dias de operação foram usados pelos nazistas para transportar milhares de judeus até a câmara de gás, hoje só restam despojos enferrujados e abandonados em uma velha estação da Hungria.
 
Ao menos, assim acredita o fotógrafo britânico Mathew Growcoot quem, depois de pesquisar o paradeiro dos conhecidos como "trens da morte", afirma tê-los encontrado em uma oficina de reparo de maquinaria ferroviária que abriu suas portas no ano de 1900 e foi testemunha de mais de 80 anos da História ferroviária húngara.
 
O local em questão é conhecido como Istvántelek, está localizado ao norte de Budapeste e faz parte de um complexo bem mais grande utilizado pela ferrovia do país. Ao que parece, esta parte esquecida e abandonada da estação não era desconhecida, mas (até agora) ninguém havia notado que os trens que albergava em seu interior, eram idênticos aos utilizados pelos nazistas há mais de 60 anos.
 
Segundo publicou o Daily Mail - onde fizeram ênfase de que ainda não foi corroborada a sua procedência, embora sejam exatamente iguais - os grandes vagões se encontram hoje em dia abandonados e em pleno estado de descomposição.
 
Por sua vez, e sempre segundo o fotógrafo Mathew Growcoot, os vagões em que um dia se acotovelaram mais de 440.000 judeus húngaros (alguns historiadores elevam a cifra para muitíssimos mais) se encontram sob uma estrutura maltratada pelo passar do tempo. "O teto cai aos pedaços, embora que, o sol atravessando-o lhe dá um ar dramático perfeito."
 
Por outro lado, o fotógrafo também expressou sua surpresa depois de encontrar o que pode ser um tesouro histórico: "Eu havia lido sobre os vagões que haviam sido utilizados pelos nazistas, e alguns deles são iguais aos que podem ser vistos nas fotografias tomadas em Auschwitz... Foi impactante pensar nos horrores que puderam ter tido lugar nos vagões que eu estava fotografando".
 
Fonte Curionautas