Top 10 filmes de terror baseados em fatos reais

05/06/2015 01:29

 

 

1. O Exorcista (1973)

 
Sinopse: Em Georgetown, Washington, uma atriz vai gradativamente tomando consciência que a sua filha de doze anos está tendo um comportamento completamente assustador. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que também um psiquiatra, e este chega a conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível possessão.
 
A história real em que foi baseado: O filme O Exorcista foi inspirado em um caso real, não envolvendo uma garotinha de 12 anos, mas um menino de 13, conhecido por R., ocorrido em Mount Rainier, no estado de Maryland, subúrbio de Washington, DC.
 
Seu comportamento estranho começou em 1949, após a morte de uma tia. Ele começou a ouvir arranhões na parede e objetos voavam pela casa. Cadeiras e camas se moviam quando o garoto estava nelas.
 
A família desesperada pede ajuda a igreja católica. A primeira tentativa de exorcismo acabou em desastre. Ele rasgou o padre do ombro ao pulso com uma mola da cama. Foram necessários mais de 100 pontos o local.
 
Palavras começaram a surgir em seu corpo e uma delas, Louis, fez a família mudar de volta para Saint Louis, acreditando haver algo lá.
 
Entre em cena um estudioso jesuíta que na época tinha 27 anos, Walter Halloran, que estudou na Universidade de Saint Louis e tratou de R.
 
Narrando o caso, ele diz que "o garoto cuspia com precisão e acertava seu corpo a 1,5 metros... Certa vez ví uma marca em seu ombro e parecia a caricatura do demônio. Eu podia ver suas mãos e não era ele que fazia... Ouvimos a voz e ela falou que não ia embora até que uma certa palavra fosse dita.".
 
Foram 23 noites seguidas exorcizando o menino, até que na páscoa, uma outra voz tomou o garoto e disse a palavra Dominus. Neste momento ouviu-se um tiro e o garoto ficou curado.

2. O Exorcismo de Emily Rose (2005)

 
Sinopse: Emily Rose (Jennifer Carpenter) é uma jovem que deixou sua casa em uma região rural para cursar a faculdade. Um dia, sozinha em seu quarto no alojamento, ela tem uma alucinação assustadora, perdendo a consciência logo em seguida. Como seus surtos ficam cada vez mais frequentes, Emily, que é católica praticante, aceita ser submetida a uma sessão de exorcismo. Quem realiza a sessão é o sacerdote de sua paróquia, o padre Richard Moore (Tom Wilkinson). Porém Emily morre durante o exorcismo, o que faz com que o padre seja acusado de assassinato. Erin Bruner (Laura Linney), uma advogada famosa, aceita pegar a defesa do padre Moore em troca da garantia de sociedade em uma banca de advocacia. À medida que o processo transcorre o cinismo e o ateísmo de Erin são desafiados pela fé do padre Moore e também pelos eventos inexplicáveis em torno do caso.
 
A história real em que foi baseado: Emily Rose foi baseada em Anneliese Michel, que nascera em 1952, na Baviera, recanto alemão de arraigada tradição católica. Por volta dos dezesseis  anos,  desencadeou-se em Anneliese uma torrente de sintomas que, ao menos na aparência,  sugeriam problemas mentais.  A Clínica Psiquiátrica de Würzburg chegou a um diagnóstico:  Anneliese padecia de epilepsia associada à esquizofrenia. Inciou-se um tratamento intensivo, que durou um ano.  Supostamente  recuperada, Anneliese completou o segundo grau. Posteriormente, ingressou na  Universidade de Würzburg,  iniciando o curso  de Pedagogia.
Mas os estudos foram interrompidos. As vozes e visões demoníacas se tornaram cada vez mais constantes e opressoras. Anneliese assumira  um comportamento agressivo. Consta que a moça  “insultava, espancava e mordia os outros membros da família, além de dormir sempre no chão e se alimentar com moscas e aranhas, chegando a beber da própria urina. Anneliese podia ser ouvida gritando por horas em sua casa, enquanto quebrava crucifixos, destruía imagens de Jesus Cristo e lançava rosários para longe de si. Ela também cometia atos de auto-mutilação, tirava suas roupas e urinava pela casa com freqüência”
 
Frustrado o tratamento psiquiátrico, os pais de Anneliese buscaram o auxílio da Igreja. O padre Ernest Alt acompanhou o caso. Em 1974, ele chegou à conclusão de que havia indícios veementes de possessão demoníaca,  o que requereria  a realização de exorcismo.  Mas somente em setembro do ano seguinte o bispo de Wüzburg autorizou o ritual, conforme os procedimentos previstos no Rituale Romano.
 
Ao longo de 67 seções,  que se prolongaram por longos nove meses, realizadas uma ou duas vezes por semana, os padres Ernest e Arnold pelejaram contra entidades que assumiam a identidade de Lúcifer, Caim, Judas, Nero, Adolf Hitler e Fleischmann, um bruxo do século XVI. Durante as sessões, Anneliese, muitas vezes,  “tinha que ser segurada por até três homens ou, em algumas ocasiões, acorrentada” (2).  Argumenta-se que ela “lesionou seriamente os joelhos em virtude das genuflexões compulsivas que realizava durante o exorcismo, aproximadamente quatrocentas em cada sessão”.
 
Anneliese predissera quando se daria a sua libertação: 1 de julho de 1976.  Consta que, à meia-noite, os demônios finamente abandonaram o corpo da estudante, deixando-a em paz e livre das convulsões impingidas durante tantos anos. Exausta, Anneliese adormeceu.  E teve, em seqüência,  uma morte tranqüila. Era o fim de um insuportável suplício.  “A autópsia considerou o seu estado avançado de desnutrição e desidratação como a causa de sua morte por falência múltipla dos órgãos. Nesse dia o seu corpo pesava pouco mais de trinta quilos."

3. Horror em Amityville (2005)

 
 
Sinopse: Em 13 de novembro de 1974 a polícia do condado de Sufolk recebeu uma chamada telefônica que a levou ao endereço 112 Ocean Avenue, Amityville, Long Island. Dentro da casa a polícia encontrou um crime brutal: o assassinato de uma família inteira enquanto dormia. Poucos dias depois, Ronald Defeo Jr. (Brendan Donaldson) admitiu que usou um rifle para matar os pais e seus 4 irmãos, alegando ter ouvido vozes que vinham de dentro da casa e que o influenciaram a cometer os crimes. Um ano depois George (Ryan Reynolds) e Kathy (Melissa George) se mudam com os filhos para a antiga casa dos Defeo. Não demora muito para que estranhos eventos comecem a acontecer, afetando a vida da família e indicando que uma presença maligna está oculta na casa.
 
A história real em que foi baseado: Em 1977 foi lançado o livro "The Amityville Horror: A True Story" de Jay Anson. A obra descrevia as assustadoras experiências paranormais que George Lutz e sua família teriam vivenciado numa casa mal assombrada na Avenida Ocean 112, em Amityville, Nova Iorque, EUA. O livro obteve estrondoso sucesso, foi traduzido em vários idiomas (inclusive em português) e foi tema de alguns filmes cinematográficos. O incidente atraiu famosos parapsicólogos, sensitivos e caçadores de fantasmas, alguns dois quais confirmaram a presença de "energias malígnas" no local. Segundo o autor, o livro descreve acontecimentos verídicos.
 
Tudo teria começado em 13 de novembro de 1974 quando seis moradores da casa foram friamente assassinados enquanto dormiam. Ronald DeFeo Jr., (o "Butch") de 23 anos, matou a tiros o pai Ronald DeFeo, a mãe Louise Brigante-DeFeo, os dois irmãos Marc e John e as duas irmãs Dawn Theresa e Allison Louise. O assassino, que cumpre pena, teria sido mentalmente impelido a cometer o crime por forças "sobrenaturais", provavelmente oriundas de "um velho cemitério indígena sobre o qual foi construído o imóvel".
 
Jay Anson escreveu que a família Lutz ficou apenas 28 dias na moradia porque não suportou mais a violência dos constantes fenômenos. Portas foram arrancadas, móveis se arrastavam, uma estranha substância verde escorria do teto, nuvens de insetos atacavam as crianças e vozes demoníacas soavam pelos cômodos. As forças do mal teriam até expulsado um padre que tentou exorcizá-las.

4. A Maldição dos Mortos Vivos (1988)

 
 
Sinopse: Wes Craven (A Nightmare On Elm Street) dirige esta aterradora história sobre a jornada macabra de um homem ao mundo misterioso da magia negra. Um antropólogo de Harvard é enviado ao Haiti para recuperar um estranho pó que dizem ter o poder de ressuscitar seres humanos. Na busca pela droga milagrosa, o cético cientista adentra o submundo oculto dos zumbis, dos rituais sangrentos e das maldições remotas. Baseado na experiência real de Wade Davis e filmado no Haiti, o filme retrata uma pavorosa excursão ao universo da magia e do sobrenatural.
 
A história real em que foi baseado: No dia 30 de abril de 1962, Clairvius foi até o hospital Albert Schweitzer queixando-se de dores no corpo, febre e um grande mal-estar geral. Dois dias depois, os médicos constataram sua morte e sua irmã assinou o atestado de óbito. Clairvius foi enterrado em 2 de maio de 1962. A morte teria sido encomendada por seu irmão, que estava de olho em uma terra de Clairvius, a um bruxo (bokor). Só que este bruxo o drogou e após o cerimonial, desenterrou o pobre Clairvius e o fez ingerir uma mistura química que o transformou em zumbi. Ele foi obrigado a trabalhar junto com outros zumbis que o bruxo tinha em uma plantação de açúcar, até que em 1964 o bruxo morreu, e Clairvius foi lentamente recuperando a consciência, pois não era mais administrada doses de veneno pelo bruxo. Depois de anos vivendo como andarilho, ele voltou para sua terra natal e sua irmã Narcisseâ o reconheceu, e ele contou sua história.
 
O caso ficou famoso e despertou o interesse de cientistas, entre eles o famoso antropólogo americano Wade Davis, que em 1982 viajou para o Haiti e fez uma investigação séria sobre o assunto, confirmando sua veracidade e ainda mais, descobrindo as substâncias químicas envolvidas na zumbificação.
 
Segundo Davis, após entrevistar diversos feiticeiros da região, verificou que todos falavam em comum de uma espécie do peixe Baiacu. Assim, ele descobriu que esse peixe possui no fígado e nos órgãos sexuais um potente veneno, chamado tetrodoxina, que paralisa o sistema nervoso central e pode fazer as pessoas parecerem mortas. Outra substância usada é a bufotoxina, encontrada em sapos, que tem efeito parecido com o da tetradoxina. Depois, ele descobriu que os feiticeiros administravam outra substância para manter as pessoas drogadas, e esta substância é extraída da planta Datura stramonium, uma planta com fortes substâncias psicoativas.
 
Wade Davis escreveu um famoso livro sobre o caso e suas descobertas, chamado "The Serpent and the Rainbow", que por sua vez foi transformado no filme "A Maldição dos Mortos-Vivos".

5. A Última Profecia (2002)

 
 
Sinopse: John Klein (Richard Gere) é um respeitado jornalista que trabalha no Washington Post. Ele e sua esposa, Mary (Debra Messing), procuram uma nova moradia e acabam encontrando a casa de seus sonhos. Porém, pouco depois de decidirem pela compra são vítimas de um acidente de carro e o estado de Mary é grave. No hospital, ao fazer exames, se descobre que ela é portadora de um tipo de tumor no lóbulo temporal muito raro. Ela passa a ter visões e logo depois morre. Chocado com o ocorrido, John vai até o hospital retirar os pertences de Mary e descobre esboços com variações de uma estranha imagem, que ela havia desenhado Isto o impressiona, pois apesar de mostrarem uma criatura alada de forma nenhuma se assemelha com um anjo. Dois anos depois, ao dirigir para Richmond para um encontro profissional, se desvia inexplicavelmente 650 quilômetros da sua rota, indo para Point Pleasant, uma pequena localidade em West Virginia. Ele parou ali pois seu carro aparentemente apresentava problemas, mas ao pedir para telefonar é ameaçado por Gordon Smallwood (Will Patton), que lhe aponta uma arma dizendo que é o estranho que, pela terceira vez, aparecia na sua casa às duas e meia da madrugada. A situação é contornada por Connie Parker (Laura Linney), uma policial. Além disto tenta entender como percorreu uma distância tão grande em menos de duas horas. No outro dia, ao tentar resolver o problema do seu carro, descobre que o veículo não tinha nenhum defeito. Ao saber que estranhos fenômenos ocorreram, ele fica no local a fim de investigar e fica sabendo que tais fatos estão relacionados às imagens desenhadas por Mary pouco antes de sua morte.
 
A história real em que foi baseado:  Baseado nas aparições do Mothman (Homem Mariposa, Homem Borboleta ou Homem Traça) que é uma suposta criatura sobrenatural, que segundo relatos, apareceu em Charleston e Point Pleasant, entre novembro de 1966 e dezembro de 1967. Sua aparição está associada ao acontecimento de futuros desastres. A suposta criatura é estudada e investigada pela Criptozoologia, sendo portanto um criptóide.

6. Possessão (2012)

 
Sinopse: Clyde (Jeffrey Dean Morgan) e Stephanie Brenek (Kyra Sedgwick) estão separados, mas conseguem se relacionar para o bem das duas filhas do casal. Quando ele compra uma casa nova, sua filha mais nova Em (Natasha Calis) o convence a comprar algumas coisas para lá, entre elas, uma caixa de madeira muito bem trabalhada e ao mesmo tempo misteriosa, que não se pode abrir. Encantanda pelo artefato, a jovem descobre como se abre, passa a ouvir vozes e, em seguida, estranhos acontecimentos começam a acontecer na casa. Desconfiado do comportamento da caçula, totalmente diferente, ele conversa com a ex que não dá ouvidos e eles começam uma nova crise. Quando a mãe se dá conta de que ele falava a verdade, já é tarde demais, pois a jovem está possuída por um espírito do mal, que se alimenta de seus hospedeiros. Começa então uma corrida contra o tempo para salvá-la e um exorcismo pode ser a solução.
 
 
A história real em que foi baseado: A história foi baseada em uma caixa de vinho assombrada por um Dibbuk. A caixa foi comprada na Espanha, por uma mulher chamada Havela que foi enviada para um campo de concentração nazista durante a 2ª Guerra Mundial. Foi a única sobrevivente de sua família. Quando saiu do campo, escapando com alguns outros prisioneiros, ela fez um caminho que a levou para a Espanha, onde viveu até o fim da guerra. Lá ela compra um pequeno armário de vinho, e não suportando mais a guerra, invoca um demônio para acabar com ela, mas sem controle sobre ele o aprisiona nesta caixa de vinho, que junto com um baú e uma caixa de costura, trás com ela quando imigra para os Estados Unidos.
 
Já nos Estados Unidos ela disse para sua neta que a caixa continha um Dibbuk e que nunca deveria ser aberta, jamais. A Sr. Havela guardava a caixa dentro de seu cômodo de costura, sempre a vigiando. Além disso, ela dizia para a neta que era para enterrar a caixa junto com ela.
 
Com 103 anos, a Sr. Havela morreu e sua neta decidiu fazer uma venda de garagem para se desfazer das coisas de sua avó, e desta forma, a frente de sua casa, localizada na cidade de Portland - Oregon, ficou cheia de coisas, entre elas a misteriosa caixa de vinho, que foi vendida na internet via eBay a alguns compradores. Saiba a história completa clicando na legenda da imagem abaixo.

7. Invocação do Mal (2013)

 
Sinopse: Antes de Amityville, houve Harrisville. “Invocação do Mal” narra o conto horripilante de Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson, Vera Farmiga), investigadores paranormais de renome mundial, que foram chamados para ajudar uma família aterrorizada por uma presença maligna em uma fazenda isolada. Forçados a confrontar uma poderosa entidade demoníaca, os Warrens encontram-se presos no caso mais terrível de suas vidas.
 
A história real em que foi baseado: baseado em um dos casos mais difíceis já enfrentados pelos Warrens, o da fazenda Harrisville. O filme vai mostrar a história do ponto de vista dos Warrens, usando seus vídeos pessoais da investigação. 

8. Maldição (2005)

 
Sinopse: Red River, Tennessee. Entre os anos 1818 e 1820 a família Bell foi visitada regularmente por uma presença desconhecida. No início eram apenas pequenos barulhos pela fazenda em que viviam e a visão de um estranho lobo negro de olhos amarelos. Logo este ser manteve contato físico com os integrantes da família, trazendo a eles sofrimento físico e psicológico. Aos poucos os ataques foram ganhando cada vez mais intensidade, com uma predileção especial pela caçula da família.
 
A história real em que foi baseado: Na primavera de 1817, John Bell mudou-se com a sua família para o estado americano do Tenesse. John, sua esposa Lucy e seus 3 filhos tiveram uma vida normal nos primeiros meses na nova casa. Os Bells começaram então a ouvir sons e tremores em sua propriedade. O mais incrível é que só acontecia ao redor da casa e durou semanas. Uma noite, seu filho Richard relata que um barulho tomou conta de seu quarto. Era impossível dormir antes das 3 horas da manhã, quando o barulho parava.
 
Os ataques com o tempo foram ficando cada vez mais violentos, de forma que os Bells, que antes guardavam segredo sobre o assunto, tiveram que pedir ajuda.
 
O religioso James Johnston foi o primeiro a tentar expulsar o fantasma. Com a ajuda de sua bíblia ele interrogava o fantasma em busca de respostas. Até um futuro presidente americano Andrew Jackson foi em 1819 observar os fenômenos.
 
O fantasma pareceu ficar mais ativo e era ouvido rindo por toda a casa. A vizinhança descobriu o caso e começou a chamar a coisa de a Bruxa dos Bells.
 
Segundo testemunhas, a bruxa jurou atormentar John Bell até sua morte, que ocorreu devido um enorme engano. Um frasco que continha seu remédio foi trocado por um veneno mortal. O médico foi chamado para investigar e seu veredito foi envenenamento acidental. Logo este engano foi atribuído a Bruxa dos Bells. A bruxa até no velório de John atormentou as pessoas, rindo de modo a ser ouvida por todos.

9. O Mistério da Passagem da Morte (2013)

 
Sinopse: Cinco ambiciosos estudantes universitários americanos, recebem uma bolsa para retornar ao local dos eventos originais*, na crença de que eles possam descobrir e documentar a verdade do que aconteceu na Passagem Dyatlov. Mas o que eles encontram é mais chocante do que qualquer coisa que poderiam ter imaginado. Sua jornada através dos Montes Urais, refazendo os passos dessa jornada malfadada, é atormentada por estranhos fenômenos cada vez mais assustadores, os quais sugerem que apesar de seus arredores desolados, eles não estão sozinhos. As forças por trás do incidente da Passagem Dyatlov estavam esperando por eles.
 
A história real em que foi baseado: Fevereiro de 1959 - Um grupo de nove alpinistas começa uma expedição pelos Montes Urais, na Rússia. Seu destino é uma montanha chamada Otorten, que na língua mansi local significa "Não vá até lá". Uma nevasca obrigou o grupo a acampar numa área chamada Kholat Syakhl, que em mansi significa "Montanha dos Mortos".
 
Dez dias depois, quando os nove aventureiros não chegaram ao seu destino, equipes militares de resgate fizeram buscas na área. Encontraram o acampamento abandonado e uma barraca destruída. Investigadores concluíram que a barraca fora cortada e rasgada a partir de dentro, e que os montanhistas pareciam ter fugido apenas de meias ou descalços.
 
Os investigadores seguiram a trilha até a orla da floresta, mas o que acabaram encontrando era além da imaginação...
 
Os nove estavam mortos. Foram descobertos por soldados soviéticos em vários estados que só podem ser descritos como de mutilação. Os corpos estavam queimados, alguns foram expostos à radiação, um montanhista teve a língua arrancada, estavam prematuramente envelhecidos. A pele deles estava laranja! O cabelo estava branco. O que podia explicar aquilo?
 
Três deles tinham ferimentos que podem ser causados quando alguém é atropelado por um carro veloz, mas eram ferimentos internos. As costelas estavam esmagadas, algumas penetraram os corações, mas as peles estavam intactas  Parecia que uma força havia sido dirigida a todos eles.
 
A explicação oficial foi de que os nove morreram de hipotermia, mas o investigador chefe se recusou a assinar o relatório e preferiu se retirar do inquérito.
 
Anos depois, membros do grupo de busca deram seu testemunho: Segundo eles, na noite do incidente estranhas esferas alaranjadas pairavam no céu.

10. Evocando Espíritos (2009)

 
Sinopse: Quando Matt (Kyle Gallner), filho de Sara (Virginia Madsen) e Peter Campbell (Martin Donovan), é diagnosticado com câncer, toda a família precisa se mudar para um local mais próximo da clínica onde realizará seu tratamento. Aos poucos Matt apresenta sintomas estranhos, tendo uma súbita mudança de comportamento. Ao pesquisar o passado da nova casa, Sara e Peter descobrem que ela fora um centro de pesquisas que procurava algo além do que o simples contato com espíritos.
 
A história real em que foi baseado: A Família Reeds mudou-se para uma casa em Southington, Connecticut no final dos anos 1980, a fim de viver mais perto de UConn , onde seu filho seria tratado de um câncer. Mas a casa escolhida era mal-assombrada. A família alegava que era atormentada por alguma forma de presença demoníaca. Equipamentos de autópsia foram descobertos no porão, e foi descoberto mais tarde que a casa tinha sido uma funerária.
 
Carmen descreveu os demônios que via: "Um dos demônios era muito magro, alto e não tinha quase nenhum cabelo, usava óculos redondos".
 
"Outro tinha cabelos pretos e olhos azuis, usava um terno risca de giz, e estava constantemente movendo a mão pra cima e para baixo. O de óculos tinha um sorriso muito grande, quase tocando os olhos".
 
A casa foi examinada por Ed e Lorraine Warren . De acordo com um documentário sobre o caso em 2009 pela NBC , os agentes funerários que trabalharam no necrotério estiveram envolvidos em necrofilia com os corpos, e a sala onde os dois filhos menores ficaram anteriormente era o show-room para caixões; o corredor era onde os corpos eram preparados para o funeral.
 
Lorraine Warren afirmou que, uma noite ouviu um barulho num quarto e quando Ed entrou para verificar, encontrou duas mulheres dançando em círculos e cantando, quando ele caminhou em direção a elas, elas desapareceram.
 
Em resposta ao filme, Lorraine disse que o caso real foi "muito, muito mais assustador do que qualquer filme poderia ser", e que o filme foi muito, muito vagamente baseado em sua experiência na casa.
 
Lorraine Warren disse à Associated Press que a casa ficou livre de qualquer presença depois de um exorcismo realizado em 1988.
 

 

Leia mais Mistérios/ Clique na Imagem