Tipos de Extraterrestre

23/02/2015 17:00
 
Na cultura pop são correntes as especulações sobre a existência de várias raças de seres alienígenas e até são nomeadas, i.e., haveria uma tipologia extraterrestre. Relatos sobre ocorrência de abduções são freqüentemente divulgados e quase sempre com destaque na mídia. Os que afirmam terem sido abduzidos ou tido algum tipo de contato costumam descrever, às vezes, pormenorizadamente, os seres e o evento em si. Mas não existem provas de que essas abduções realmente ocorram.
 
 
O campo científico1 parece dividir-se: uns são totalmente céticos em relação a existência de vida inteligente fora do planeta Terra, mas existem aqueles que levantam a hipótese de que possa ocorrer, justificando, inclusive, programas governamentais que investem recursos exorbitantes na busca de informações: o Programa SETI desenvolvido pela NASA é um deles.
 
Alguns consideram não ser nem especulação "científica" mas pura "ficção científica". Mas é, no mínimo, um dado sociológico relevantíssimo o fato de que uma parcela muito significativa da sociedade acredite na existência de seres extraterrestres, classifique-os, relatem contatos; da mesma forma que uma boa parcela da população acredita em seres mitológicos.
 
 
Meteorito ALH84001.
Entretanto, não é tão simples assim. Estruturas diferenciadas de pensamento convivem dentro de um mesmo universo cultural e passado o predomínio da corrente evolucionista as respostas para determinadas questões mudaram drasticamente. São inúmeras as crenças, e estas, dentro de uma mesma tradição cultural, apresentam, às vezes, muita diversidade, basta atentar para as dezenas, centenas, de denominações cristãs, ou das correntes que o islamismo apresenta.
 
A Física moderna tem um discurso muito similar, por exemplo, ao das mais refinadas cosmologias religiosas. Explicar isto é um dos grandes desafios que percorrem o campo científico a partir das últimas décadas do século XX. Os livros de Fritjof Capra fizeram imenso sucesso.
 
Tipologia extraterrestre e vida inteligente
 
Quando se fala de tipologia extraterrestre ou em vida fora do planeta Terra, o imaginário popular ainda reporta aos tipos recorrentes no campo da Ufologia: como estes tratados abaixo. Não se trata apenas disto. A vida fora da Terra é um objeto constituído no campo da ciência acadêmica que já conta com disciplinas especializadas, como a Exobiologia
 
Em busca de contato
 
O Projeto Argus3 é um consórcio envolvendo 5.000 pequenos radiotelescópios ao redor da Terra para que, coordenados, façam escuta radioastronômica, numa busca de sinais em microondas que sejam de possível origem extraterrestre inteligente.
 
Projeto Cíclope
 
O Projeto Cíclope,4 foi um projeto elaborado, em 1971, por uma equipe de cientistas da American Society for Engeneering Education, liderada pelos físicos Bernard M Oliver (1916-1995) e Jonh Billingham, no EUA. Este projeto não entrou em execução em virtude de alto custo que equivalia ao orçamento de todo o Programa Apollo. Seu objetivo era desenvolver os veículos de captação de sinais de uma civilização extraterrestre tecnológica. A NASA, entretanto, desenvolveu, posteriormente, um projeto muito mais ambicioso: o programa SETI.
 
Projeto Daedalus
 
O Projeto DaedalusPB, ou Projecto DédaloPE foi um estudo conduzido entre 1973 e 1978 pela Sociedade Interplanetária Britânica com intuito de projetar uma espaçonave interestelar com tecnologia da época ou disponível em poucos anos capaz de alcançar o seu destino no período de uma geração humana[1]. Uma missão não tripulada de 50 anos foi planejada. O objetivo seria alcançar a Estrela de Barnard a cerca de 5.9 anos-luz qual creditava-se abrigar ao menos um planeta, no entanto evidências posteriores não corroboraram a presença de um sistema planetário. Ademais seria uma missão científica não tripulada e deveria ter a flexibilidade de explorar também outras estrelas num determinado raio de ação. Cerca de uma dúzia de cientistas e engenheiros liderados por Alan Bond trabalharam no projeto determinando a propulsão por um foguete de fusão.5
 
Projeto Ozma
 
Primeiro grande projeto destinado a detectar os sinais provenientes de outras civilizações tecnologicamente desenvolvidas que podem existir na Galáxia. O projeto foi orientado pelo astrônomeo norte-americano Frank Drake, do Observatório Radioastronômico Nacional, que empregou uma antena-disco de 27 m de diâmetro, operando no comprimento de onda de 21cm (frequência de 1420 MHz) para procurar sinais de duas estrelas muito próximas, Epsilon Eridani e Tau Ceti.
 
    O argumento de tal escuta baseava-se no fato de que outras viculizações com tecnologia radioastronômica deveriam ter logicamente escolhido tal comprimento para emitir e receber as mensagens que por acaso desejassem transmitir.
 
Tipos recorrentes no campo da Ufologia
 
Pleiadianos : Os Pleiadianos são um elemento que ganhou popularidade com o movimento da nova era. Desde então tem aparecido com cada vez mais frequência na literatura, nos documentários e na televisão. Também faz parte do arcabouço terminológico dos ufólogos. Refere-se a um conjunto de extraterrestres originados do grupo de estrelas das Plêiades.1 Contrariando a má fama que os ETs costumam ter, diz-se que os Pleiadianos são seres altamente evoluídos, muito mais que os da espécie humana, e seus ancestrais fizeram parte de um universo que atingiu sua conclusão. Também são vistos como um grupo de seres iluminados que se dispuseram a ajudar os terráqueos a alcançar um novo estágio evolutivo.
 
 
Reptilianos : Os Reptilianos são um elemento comum em teorias de conspiração e nas pseudociências de criptozoologia e ufologia. São denominados por muitos termos dependendo do contexto, incluindo – Povo serpente, Homens cobra, Reptóides ou Draconianos (Ufologia), Dinossauróides, Povo Lagarto, e Homens Lagarto. 
 
 
Greys : Segundo a Ufologia, greys ou grays são seres extraterrestres que possuem como características principais baixa estatura (algo como 1,30 metro), cor da pele variando entre acinzentada a amendoada, olhos grandes e negros, boca fina e narinas mínimas, corpo desproporcionalmente pequeno e raquítico com relação ao tamanho da cabeça e mãos como garras com três ou quatro dedos. Os Greys seriam oriundos do sistema Zeta Reticuli.
 
 
 
Chupacabra : Chupa-cabra é uma suposta criatura responsável por ataques sistemáticos a animais rurais em regiões da América, como Porto Rico, Flórida, Nicarágua, Chile, México e Brasil. O nome da criatura deve-se à descoberta de várias cabras mortas em Porto Rico com marcas de dentadas no pescoço e o seu sangue drenado.