Textos sumérios antigos: tábuas de argila antigas revelam segredos sobre a vida alienígena

14/07/2016 14:47

Entre as muitas antigas tábuas de argila sumérias descobertas ao longo dos anos, há certos textos antigos que muitos acreditam ser a prova definitiva de civilizações alienígenas avançados que interagiram com humanos primitivos.

 

 

Sem dúvida, um dos enigmas mais controversos da arqueologia tradicional são as inúmeras tábuas cuneiformes descobertas nas ruínas da Babilônia no sul da Mesopotâmia, onde Sir Austen Henry Layard se deparou com um tesouro histórico em 1849.
 
Entre as várias tábuas encontrados no local, haviam inumeras histórias e lendas que têm uma estranha semelhança com relatos bíblicos da criação: divindades que vieram à Terra,  referências do Grande Dilúvio, a Arca, e o que muitos interpretaram como descrições de seres humanos híbridos e poderosos deuses.
 
A fim de entender o que esses textos estão realmente querendo dizer, os pesquisadores passaram a tentar compreender e traduzir esses símbolos que estão nas tabuas.
 
A língua suméria é considerada uma língua isolada em linguística que não parece pertencer a qualquer forma linguística conhecida. É uma língua única, assim como a história suméria .
 
Os investigadores estudaram a antiga língua suméria e tentaram fazer ligações com outros grupos de línguas, mas sem sucesso.
 
Os sumérios inventaram os hieróglifos pictóricos que mais tarde foram transformados em escrita cuneiforme. Juntamente com o antigo sistema de escrita egípcia, a Antiga Suméria pode competir como a língua escrita mais antiga conhecida.
 
Os sumérios são considerados por muitos como os criadores do nosso mundo civilizado, aqueles que introduziram os primeiros passos em nossas vidas modernas.
 
Sabe-se também que as antigas civilizações que floresceram na Mesopotâmia se apaixonaram pelo cosmos e introduziram o universo como uma parte fundamental em sua vida cotidiana.
 
No entanto, existe uma conexão real entre os antigos sumérios e "Deuses extraterrestres" ?
 
A ideia de que as civilizações antigas interagiram de uma maneira ou de outra com civilizações extraterrestres avançadas, vêm do pesquisador e autor Zecharia Sitchin, que introduziu o que hoje é conhecido como a Teoria do Antigo Astronauta (Alien).
 
Em suas numerosas obras, Sitchin atribuiu o início da antiga sociedade mesopotâmica a raça de seres extraterrestres, conhecidos como os Anunnakis, que vieram à Terra de um planeta distante em nosso sistema solar chamado de "Nibiru".
 
No entanto, a natureza e a origem dos Anunnakis são temas de muitos debates entre os pesquisadores em todo o mundo. Entre muitos, os Anunnakis são considerados metáforas de mitos antigos, mas as histórias sobre os Anunnakis podem ser encontradas em vários outros textos antigos, entre eles o livro de Gênesis, apenas com seus nomes alterados ou modificados.
 
Muitas pessoas ao redor do mundo concluíram que a civilização Anunnaki e o planeta Nibiru são reais. Na verdade, muitos afirmam que os Anunnakis são uma raça poderosa de seres extraterrestres que geneticamente modificaram os primeiros seres humanos no passado distante, a fim de criar uma espécie de escravo na Terra. Alguns até se referem a uma prova que sugere que estas historias são reais, apontando para o dilúvio global catastrófico que ocorreu a cerca de 10.000 anos atrás.
 
Este cataclismo poderia ser o responsável por uma significativa perda de vidas humanas e poderia ter sido o botão de reset nos seres humanos antigos, como se tivéssemos sido forçados a começar de novo a partir do zero.
 
Mas se os Anunnakis antigos existiram no passado, onde estão eles agora? Se a humanidade é o resultado de manipulações genéticas por uma espécie alienígena altamente avançada, porque eles não permanecem em contato com a sua criação?
 
Muitas pessoas apontam para as inúmeras culturas antigas em todo o mundo como os antigos egípcios, incas, maias, astecas e outras culturas na África, Ásia e América do Norte, que partilham de uma história em comum, onde "os deuses criadores" que vieram do céu, estão destinados á voltar um dia.
 
De acordo com a pesquisa feita por Sitchin, o Anunnaki evoluiu depois que Nibiru entrou no sistema solar e chegou pela primeira vez na Terra, provavelmente, 450.000 anos atrás, à procura de minerais, especialmente ouro, que foram encontrados e extraídos da África. Sitchin afirma que esses "deuses" eram as bases de trabalhadores da expedição colonial que vieram a Terra do planeta Nibiru.
 
Esta teoria, no entanto, tem sido firmemente rejeitado e classificado como um absurdo por numerosos academicos e estudiosos desde que foi mencionada.
 
Curiosamente, a verdade é que recentemente as descobertas em vários campos como a arqueologia, biologia, genética e história, apontam para existencia de muitos elos perdidos que estudiosos não têm sido capazes de explicar.