As 10 civilizações perdidas ao redor do mundo

15/07/2016 10:35

Muitas culturas em todo mundo falam de terras míticas, cidades submersas e reinos perdidos que desafiam a ciência... É possível que essas civilizações misteriosas vêm e vão, e todas elas realmente existiram no passado... Nos dias atuais muitos lugares que eram apenas lendas hoje se tornaram reais graças aos avanços da arqueologia ! Abaixo alguns lugares incriveis que podem ter se perdido com o tempo.... 

 
 
 
Atlântida era uma ilha mítica que se diz ter afundado e ido parar fundo do oceano. Foi mencionada pela primeira vez por Platão em torno de 350 aC, que escreveu sobre uma bela ilha no Oceano Atlântico, que foi engolida pelo mar em um dia e uma noite. Ele escreveu dois livros sobre a história e a cultura desta ilha mítica.
 
Outra cidade submersa era Ys, ela foi construído em um assentamento na costa do Douarnenez, França. O mito afirma que Gradlon, um rei da Cornualha, construiu uma cidade dentro destas paredes, a pedido de sua filha Dahut que amava o mar. No entanto, um dia uma onda tão alta como uma montanha desabou sobre Ys, arrastando a cidade para as profundezas do oceano.
 
Lemuria é o nome de uma terra perdida localizada em algum lugar no Índico ou Oceano Pacífico. A ilha não foi baseada em uma lenda, mas sim em conceitos cientificos. Embora Lemuria deixou de ser considerada uma hipótese científica válida, ela foi adotada por praticantes do ocultismo que acreditam que o misterioso continente realmente existiu no mundo antigo, mas se afundou sob o oceano como resultado de um evento cataclísmico.
 
Mu é o nome de um continente perdido hipotético proposto pelo viajante do século 19 Augustus Le Plongeon. Ele afirmou que várias civilizações antigas, como as do Egito e Mesoamérica, foram criadas por refugiados de Mu, que se localiza (segundo alguns) no Oceano Atlântico (outros sugerem o Pacífico). Hoje os cientistas descartam o conceito de Mu como fisicamente impossível, argumentando que um continente não pode nem afundar nem ser destruído em um curto espaço de tempo como foi contato.
 
 
Agartha é uma cidade lendária que se diz residir sob a superfície da terra. Foi mencionada pela primeira vez no ocidente por Alexandre Saint-Yves d'Alveydre que propôs que esta civilização subterrânea oculta conhecimentos secretos e riquezas. Segundo estudiosos Agartha é como um vasto complexo de cavernas debaixo do Tibet, habitada por criaturas sobrenaturais chamados asuras.
 
Em tradições tibetanas e budistas, Shambhala é um antigo reino escondido em algum lugar no interior da Ásia. Ele é mencionado em vários textos antigos, sendo a mais antiga das escrituras de carbono (que antecede muito Budismo). Eles vêem Shambhala como um reino puro que se situa na margem da realidade física, ligando este mundo com o outro (porta de passagem entre os reinos físicos e espirituais). Apenas os mais iluminados dos seres podem entrar neste paraíso, (na verdade, lamas tibetanos gastam uma grande parte de suas vidas em desenvolvimento espiritual antes de tentar a viagem a este reino mítico).
 
Hiperbórea era na mitologia grega uma terra mítica em um lugar ao norte muito distante. A Hiperbórea era perfeita, com o sol resplandecente 24 horas por dia. Os gregos pensavam que Bóreas, o deus do vento norte, vivia na Trácia. A Hiperbórea, portanto, era uma nação desconhecida, localizada na parte norte da Europa e da Ásia. Nos mapas gregos do período de Alexandre, o Grande, a Hiperbórea - mostrada por vezes como uma península, por vezes como uma ilha - localizava-se além da França, possuindo maior área latitudinal que longitudinal. Aparentemente a Hiperbórea é o resultado de uma combinação de noções do que hoje seria a Grã-Bretanha e a Escandinávia.
 
Thule foi mencionado pela primeira vez na geografia europeia clássica como uma região que ficava bem ao norte da Grã-Bretanha. Antes do século 19, muitos achavam que este lugar mistérioso era o inferno, cercado por furiosos vulcões no meio de um deserto. Por outro lado, após o século 18, que veio a ser conhecida como uma terra de abundância; onde os peixes são capturados em grandes quantidades, e existem extensas pastagens para a produção de carne e manteiga. A lenda de Thule, portanto, foi avaliada como sendo tanto o céu como o inferno. O termo "Ultima Thule" denota qualquer lugar distante que se encontra para além das "fronteiras do mundo conhecido".
 
 
Quando exploradores espanhóis chegaram à América do Sul no início do século 16 eles ouviram rumores de uma cidade perdida chamada El Dorado que estava cheia de ouro. O folclore local disse que cada vez que um novo governante era nomeado nesta cidade, ouro e pedras preciosas eram jogadas em um lago chamado Guativita. Este lago foi encontrado em 1545, por exploradores que conseguiram reduzir o seu nível o suficiente para encontrar centenas de peças de ouro ao longo das margens do lago. No entanto, as tentativas de drenar o lago ainda permaneceram sem sucesso, e a cidade de ouro continua a ser um lugar perdido.
 
Paititi refere-se a lendária cidade perdida localizada no leste dos Andes, escondida em algum lugar remoto das florestas tropicais do sudeste do Peru, norte da Bolívia e sudoeste do Brasil. No Peru a lenda de Paititi gira em torno da história do herói cultural Inkarrí que, depois de fundar Q'ero e Cuzco, recuou para a selva de Pantiacolla, para viver o resto de seus dias na cidade de Paititi. Outras variantes da lenda dizem que Paititi era um refúgio inca na zona entre a Bolívia e o Brasil.