O Telescópio de 6.000 anos de idade

30/06/2016 17:09

De acordo com um novo estudo, á 6.000 anos atrás câmaras megalíticas encontradas na Europa foram usadas como primeiro telescópio ja criado no mundo.

 
 
 
 
Parece que os primeiros telescópios foram criados a cerca de 6.000 anos atrás por astrônomos europeus antigos que criaram estruturas megalíticas maciças que focalizaram a luz, a fim de dar uma visão mais clara das estrelas e criar calendários.
 
De acordo com os astrônomos, as culturas da Idade da Pedra podem ter considerado as estrelas como um fenômeno muito importante, e observaram o seu movimento através de 'telescópios antigos gigantes', segundo a mais recente pesquisa . 
 
Os pesquisadores descobriram que ao incorporar os efeitos criados pelos corredores de como os olhos humanos percebem o brilho e as cores do céu noturno, os especialistas descobriram que esses túmulos teriam oferecido vistas ideais do cosmos.
 
 
Segundo os pesquisadores, passagens estreitas feitas nos "túmulos" ajudaram a focar a luz das estrelas dentro da câmara, atuando assim como telescópio, reforçando a visão de civilizações antigas em sua observação do cosmos.
 
Pesquisadores da Universidade de Nottingham Trent e da Universidade de Wales Trinity Saint David analisaram inumeras  "Seven-Stone Antas" localizadas na região do Alentejo, em Portugal.
 
Construções similares, também foram confirmadas existir na Espanha, são câmaras antigas construídos com a utilização de um número de placas de pedra megaliticas de granito, que foram colocadas em uma determinada posição, a fim de apontar na direção do arco do nascer do sol.
 
Enquanto os pesquisadores ainda não têm certeza sobre a forma como estas câmaras gigantes foram construídas há milhares de anos, uma teoria afirma que é erigida em pé uma enorme pedra, antes de inclinar as pedras verticais de ambos os lados, a fim de construir uma câmara.
 
Anteriormente, os arqueólogos acreditavam que estas câmaras megalíticas foram usados como túmulos, mas novas evidências sugerem que a sua finalidade era muito maior, como pesquisadores têm mostrado, estas tumbas são muito diferentes de outros túmulos neolíticos, devido à sua passagem clara e orientação específica.
 
"É uma surpresa que ninguém tenha investigado completamente como por exemplo o impacto da cor do céu noturno sobre o que pode ser visto a olho nu (dentro da câmara)", disse Kieran Simcox, um estudante na Nottingham Trent University encarregado do projeto.
 
Os pesquisadores descobriram que ao incorporar os efeitos criados pelos corredores de como os olhos humanos percebem o brilho e as cores do céu noturno, os especialistas descobriram que esses túmulos teriam oferecido as vistas mais ideais do cosmos.
 
"As orientações dos túmulos podem estar em alinhamento com Aldebarã, a estrela mais brilhante da constelação de Touro", explicou o Dr. Fabio Silva, da Universidade de Wales Trinity Saint David.
 
Exemplo "Seven-Stone Antas"
 
Os pesquisadores acreditam que isso foi extremamente importante para detectar periodos determinados do ano,  ou mesmo decidir quando era hora de ir para campos de caça, e coisas do gênero.
 
Tal conhecimento poderia ter sido interpretado como sagrado sugerem arqueólogos.
 
Os pesquisadores sugerem que estas ferramentas de pedra gigantes foram telescópios extremamente eficazes sem lentes, que apareceram a milhares de anos antes da humanidade inventar o "primeiro telescópio moderno."