Representações de seres alienígenas são encontradas em um dos sítios arqueológicos mais antigos do mundo...

07/06/2016 20:51
 
 
 Localizado na Armênia, em Karahunj, também conhecido como Zorats Karer, ou Stonehenge da Armênia, encontramos ruínas que têm causado reações controversas desde seu descobrimento.
 
Carahunge, ou Karahunj, é um sítio arqueológico antigo, o qual acredita-se ser mais antigo que o Stonehenge da Inglaterra, por pelo menos 3.500 anos, e que as pirâmides dos antigo Egito por impressionantes 3.500 anos.  Este complexo da antiguidade ocupa mais de 7 hectares e oferece aos seus visitantes esculturas estranhas criadas por civilizações antigas que habitaram a região há milhares de anos.
 
 
Muitos de seus visitantes concordam que este impressionante sítio antigo é muito similar a Stonehenge. A principal similaridade está nos curiosos padrões circulares das rochas. Bem como na Inglaterra, o verdadeiro propósito do local permanece um profundo mistério para os arqueólogos, os quais foram incapazes de resolver o mistério das pedras.
 
As teorias que tentam explicar o que era este sítio antigo há milhares de anos são abundantes, mas as mais aceitas são as de que este complexo da antiguidade, ou era um complexo astronômico, ou cerimonial. Porém, os pesquisadores não podem saber com certeza, devido à falta de informação e registros históricos.
 
 
O Stonehenge da Armênia é muito mais velho do que a versão da Inglaterra, e consiste de rochas similares talhadas de maneira rústica, posicionadas em duas elipses intercaladas.
 
De forma interessante, muitas das rochas encontradas em Karahunj possuem estranhos buracos cavados através delas, e alguns pesquisadores até mesmo traçam similaridades às rochas megalíticas descobertas no antigo Egito.
 
Muitas das rochas na Armênia possuem buracos através de seus topos, o que levou aos pesquisadores a acreditarem que elas foram usadas há milhares de anos para observações astronômicas.
 
Porém, se olharmos como o nome Karahunj é interpretado, compreenderemos que ele deriva de duas palavras armênias: car (ou kar), que significa rocha, e hunge (ou hoonch), que significa som. Assim, compreendemos que o nome do sítio antigo é traduzido como “Rochas Falantes”.  Isto é relacionado ao fato de que as rochas tendem a assoviar em dias de vento, devido aos buracos perfurados em diferentes ângulos.
 
 
 
O sítio foi oficialmente chamado de Observatório Karahunj, por decreto parlamentar em 2004.
 
Numerosas expedições têm estudado este sítio antigo. A pesquisa mais extensiva foi conduzida por Paris Herouni, e por Elma Parsamyan, do Observatório Biurakan.  Herouni concluiu que este sítio antigo foi “um templo com um grande e desenvolvido observatório, e também uma universidade”.
 
Herouni propôs um número de hipóteses interessantes e declarou que algumas das rochas do sítio imitam a maior estrela da constelação de Cygnus – a Deneb.
 
Curiosamente, alguns têm realmente observado semelhanças entre o "Observatório Karahunj" (Carahunge) e Göbekli Tepe, na Turquia . V. Vahradyan sugere que Gobekli Tepe mostra o mapa do céu noturno e da constelação de Cygnus, que no Observatório Karahunj representa a mesma constelação, espalhada pelo sitio arqueológico.
 
 
Há ainda detalhes incríveis que tornam este sítio antigo ainda mais interessante.  Entre as numerosas rochas lá encontradas há algumas cujas faces são esculpidas. Alguns dos seres humanoides representados em algumas das rochas são, de forma impressionante, muito similares às representações modernas dos alienígenas ‘grey’.  
 
Algumas das figuras humanoides esculpidas em Karahunj possuem cabeças alongadas, olhos amendoados e estão segurando o que parece ser algum tipo de artefato com rodas.