Slenderman - Lenda Urbana se espalha rapidamente pelos Estados Unidos

11/12/2014 00:10

Como nascem Lendas Urbanas?

Uma das mais populares lendas urbanas atualmente nos Estados Unidos, sobre o Slenderman, aparentemente surgiu em um concurso da internet quando os leitores do fórum "Something Awful" foram convidados a criar uma criatura sobrenatural em um tópico chamado "Crie uma Entidade Paranormal".

A idéia era trabalhar fotografias manipuladas e usá-las para enganar as pessoas em outros foruns, como se elas fossem autênticas. Os membros do fórum começaram a manipular através de photoshop imagens adicionando fantasmas e outras criaturas bizarras, usualmente acompanhadas de algum background ou explicação do que estava sendo visto.

Em 10 de junho de 2009 um membro do forum chamado Victor Surge enviou para o tópico duas fotografias e a história de uma criatura bizarra que atacava crianças.

Assim teria nascido o mito do Slenderman (algo que poderia ser traduzido como Homem Alongado).

A explicação suprida por Victor Surge à respeito das fotos enviadas detalhavam que no dia em que aquelas fotos foram tiradas, catorze crianças desapareceram. Ele também contou que a biblioteca onde a fotografia foi encontrada queimou por inteiro uma semana após a descoberta.

O Slenderman é descrito como uma criatura obscura, incrivelmente alta e magra. Dotada de longos braços que se estendem a distâncias impossíveis para agarrar suas presas (e algumas vezes retratados como se fossem tentáculos). Para alguns a coisa aparece vestida com uma espécie de terno e gravata escuros, mas em outras vezes ele é apenas uma sombra mais ou menos humanóide e delgada. Para adicionar um detalhe perturbador, o Slenderman não possui rosto. Sua face é um borrão desfigurado sem olhos, nariz ou boca que podem ser discernidos.

A principal motivação do Slenderman aparentemente era sequestrar e matar crianças. Ele era visto pouco antes do desaparecimento de uma criança ou do desaparecimento simultâneo de várias crianças de uma unica vez. A criatura parece preferir atacar em silêncio, espreitando à distância, oculto em florestas cobertas por nevoeiro espesso ou então em ambientes urbanos escuros como becos, vielas e sob viadutos. Nesses ambientes ele pode se misturar com a paisagem evitando ser visto claramente por testemunhas.

Crianças são capazes de perceber a sua presença ainda que adultos falhem em detectá-lo, exceto pelo acaso, como quando tiram fotografias ignorando que a criatura está no background observando. Por alguma razão a criatura sempre esta perto de uma área onde crianças se reúnem: parquinhos, escolas, jardins, playgrounds... Segundo o mito, crianças que passam a ser perseguidas pelo Slenderman experimentam pesadelos recorrentes antes de desaparecer sem deixar vestígios.

A lenda logo se espalhou pela internet e outras peculiaridades foram somadas a ele. Qualquer pessoa que via o Slenderman, quando criança passava a ser perseguida pelo resto da vida. Ele surgia em lugares inesperados, sempre observando ao longe, lentamente levando a pessoa a loucura. Por fim, quando a vítima estava prestes a perder a razão, o monstro aparecia para levá-la embora ou matá-la.

Logo, crianças não eram mais as únicas vítimas. Adultos e adolescentes passaram a ser assombrados pelo misterioso homem sem face. O mito rapidamente evoluiu e ufólogos se apoderaram dele considerando o Slenderman como um tipo de forma de vida extraterrestre interessada em recolher espécimes para algum tipo de experiência biológica.

A entidade também ganhou braços extras que brotavam de seus flancos ou do tórax como se fossem membros flexíveis semelhantes a tentáculos. "Uma vez que esses tentáculos agarram sua vítima, a envolvem rapidamente como uma gigantesca serpente constritora capaz de esmagar cada osso de seu corpo", diz um fórum. O Slenderman também ganhou poderes hipnóticos sendo capaz de mesmerizar suas vítimas com um olhar paralisante por tempo suficiente para que ele pudesse se aproximar e efetuar a captura da presa escolhida. Em outras fontes, ver o Slenderman causava uma onda de náusea incontrolável ou fraqueza que deixava a vítima incapaz de reagir e mesmo tentar escapar.

Há muita discussão sobre as motivações do Slenderman. Para alguns a criatura é movida por um desejo irracional de matar. Para outros ela precisa atacar humanos a fim de absorver seus corpos e garantir assim sua própria sobrevivência. Ele não devoraria suas vítimas, mas as absorveria inteiramente deixando nada além de poeira através de um processo de desintegração -- por isso nenhum cadáver jamais foi encontrado. Para outros, o Slenderman sequestra as suas vítimas e as carregava consigo para seu lugar de origem, outra realidade, outra dimensão, outro mundo...

Não demorou para que imagens da criatura começassem a circular pela internet através de fotografias e desenhos, bem como relatos de ataques e avistamentos. Logo blogs, páginas e vídeos começaram a pipocar no you-tube mostrando a diabólica entidade atormentando indivíduos capazes de perceber a sua presença ameaçadora. Uma coleção de vídeos chamada Marble Hornets narra a busca de um estudante de cinema que tenta provar que o mito é verdadeiro a partir da investigação do material de gravação pertencente a um colega desaparecido (uma vítima da entidade).

Há muitas interpretações sobre o Slenderman e alguns apontam para arquétipos presentes no folclore mundial. Há algo na lenda que remete à crença macabra da "figura sombria" espreitando os vivos. Essa crença era algo comum na Europa Medieval quando os camponeses acreditavam que a morte visitava os vilarejos observando suas vítimas poucos dias antes delas serem clamadas por sua foice. No século XVI, um artista chamado Hans Holbein produziu várias obras tendo como tema central a Dança da Morte -- o momento em que a morte conduz as suas vítimas em fila para o além.

A idéia de uma criatura que persegue crianças também não é nada nova. Ao longo dos tempos, lendas como a do Boogeyman (bicho papão) foram muito difundidas nas mais diferentes culturas, assumindo inúmeras formas e aspectos. Os Boogeyman sempre foram uma alusão assustadora para que as crianças não acreditassem em estranhos, uma forma de "educar" através do medo.

Recentemente lenda urbana e mito começaram a se manifestar no mundo real ou pelo menos é o que algumas pessoas acreditam.

Em Novembro de 2009, um rapaz telefonou para um programa de rádio ao vivo à respeito de pessoas com problemas psiquiátricos para relatar que sua namorada sofria alucinações com uma criatura semelhante ao Slenderman. Esse telefonema deu início a dezenas de outras ligações com pessoas afirmando ter testemunhado algo semelhante ou conhecer alguém que via algo parecido.

Uma das pessoas que telefonou foi uma moça chamada "JoAnne" que contou alguns detalhes sobre sua infância cheia de abusos e negligência até começar a relatar visões de uma entidade que a apavorava desde os cinco anos de idade.

"... eu o vejo desde que era uma menina, essa coisa demoníaca. Ele é como uma sombra muito alta. Não tem rosto, e seus braços são muito longos. Eu sinto quando ele vai aparecer, posso sentir quando ele está por perto. Consigo vê-lo no canto dos meus olhos esticando aqueles longos braços para me tocar, mas quando eu viro ele não está mais lá. Mas de alguma forma eu sei que um dia eu vou me deparar com ele, e então ele vai me apanhar... e eu vou morrer".

“JoAnne” afirmou que jamais havia ouvido falar da lenda do Slenderman ou de Marble Hornets. Antes de terminar a ligação aos prantos, ela disse:

"Eu tenho medo do que pode acontecer se ele me alcançar. Eu fico com tanto medo a ponto de não conseguir me mover. Às vezes eu penso que estou enlouquecendo. Tem noites que eu não consigo dormir e qualquer som faz com que eu dê um salto da cama. Eu estou tão assustada, preciso de ajuda!"

É claro, à primeira vista essas ligações não parecem mais do que brincadeiras de mau gosto feitas por pessoas que conheciam a lenda urbana e que queriam apenas espalhar o boato.

Mas então sobreveio um caso inesperado. Em janeiro de 2009 o serviço da Linha de Apoio aos Suicidas de Baltimore, Maryland recebeu a ligação de um rapaz que se identificou como "Mike" dizendo que era perseguido por uma "entidade estranha" ou "uma sombra alongada" e que pensava em cometer suicídio por não aguentar mais aquela situação. A ligação foi gravada e após alguns minutos de conversa Mike desligou o telefone abruptamente.

Não seria nada de mais, exceto que a polícia de Maryland no dia seguinte encontrou o corpo de um rapaz chamado Michael Horvath que cometeu suicídio se atirando do alto de uma ponte. Para alguns Horvath seria a pessoa que ligou para a Linha de Apoio em busca de ajuda. O caso ganhou certa notoriedade e entrevistas de canais de televisão com parentes e amigos do suicida apuraram que ele sofria de depressão profunda e tomava medicamentos para o controle de ansiedade.

Então vem a pergunta: será que a ficção está invadindo a realidade e a imaginação das pessoas? Será que a Lenda Urbana realmente está afetando a mente de pessoas sensíveis e naturalmente propensas a acreditar na existência dela? Ou mais sério ainda, seria possível que essa mesma lenda de alguma forma estivesse  tomando forma a partir do inconsciente coletivo, como uma espécie de Tulpa?

Algumas pessoas tem pesquisado as raízes dessa Lenda Urbana. Eles acreditam que seu suposto criador, Victor Surge, teria se inspirado em algo sobre o qual ele próprio ouviu falar e que o Slenderman não seria uma criação sua mas algo que já existia muito antes. Para reforçar essa teoria, apontam para estórias envolvendo a grotesca entidade anteriores a 2009, ano em que ela supostamente foi inventada.

Um conhecido "explorador do sobrenatural" que comanda um programa de televisão na TV à cabo americana, apresentou um especial sobre o Slenderman. Em um dos blocos, uma mulher que dizia ter tido encontros paranormais com a criatura foi entrevistada. A mulher, que preferia não se identificar pelo nome verdadeiro e ser chamada apenas de "Mary", disse que tinha experimentado vários encontros com a misteriosa entidade, uma criatura sombria com a face distorcida e longos braços que se esticavam. "Mary" contou que via essa criatura desde sua infância nos anos 90 quando vivia com a família em Ohio.

Após tratamento psicológico acabou reprimindo essas lembranças esquecendo o que havia acontecido. Mas essas memórias começaram a retornar quando ela teve uma nova experiência, já vivendo em Los Angeles. "Mary" contou ter visto o Slenderman em uma garagem rotativa no centro da cidade, observando-a à distância. Ela disse que a experiência foi tão traumática que ficou "congelada", sem ação precisando da ajuda de pessoas que a encontraram inconsciente. Mary buscou ajuda de especialistas que através de hipnose apuraram que ela tinha várias lembranças reprimidas da criatura. Desde então ela havia encontrado a criatura em pelo menos mais três ocasiões.

Mary aceitou ser hipnotizada no programa a fim de contar sua experiência e sob efeito de transe relatou a traumática experiência descrevendo aos prantos o horror que sentia diante da diabólica entidade. "Ele não tem rosto! Ah meu Deus, ele não tem rosto! Os braços dele! Eles estão se esticando, vindo para mim, oh, não... Socorro!"

A onda do Slenderman continuou se espalhando sendo explorada pelas redes e programas de televisão que se esforçavam para encontrar alegadas testemunhas da ação da criatura.

Um senhor de meia idade chamado Jasper Talbot, morador de Denver contou uma estória que teria ocorrido quando ele era criança pelos idos dos anos 50. Uma estória que o marcou para sempre:

"Quando eu era criança, com 5-6 anos, morava com meus pais em uma casa nos limites da cidade perto de uma floresta. Tínhamos um depósito de carvão nos fundos da propriedade em um terreno cercado. Em uma ocasião, meu pai mandou que eu e minha irmã mais velha buscássemos um saco de carvão. Eu odiava aquilo, mas fui.

Lembro até hoje que quando nos aproximamos, Buck, nosso pastor alemão, estava latindo. Encontramos a porta do depósito semi-aberta e tivemos uma sensação desagradável, como se alguém estivesse nos observando. Ficamos parados por alguns instantes com medo de nos virar enquanto Buck rosnava e latia. Minha irmã então me segurou forte pela mão, apertando com muita força. Sua face estava petrificada, a boca aberta em um grito que não conseguia sair e os olhos arregalados com terror inenarrável. Eu olhei na direção em que ela estava voltada e então vi também! Era horrível, estava nos observando por cima da cerca -- que media quase dois metros de altura. Mesmo assim, era tão alto que a cerca só chegava  na metade de seu peito. Ele vestia uma espécie de terno preto, seu rosto era um borrão de sombras onde só era possível divisar uma silhueta escura. Mas o pior eram os braços, pareciam duas longas cobras que serpenteavam se esgueirando por cima da cerca, os dedos tão longos que iam até quase o chão. Ele não disse nada, mas quando os braços se esticaram ainda mais, consegui gritar e minha irmã rompeu o transe em que estava.

Nós corremos para casa sem olhar para traz, corremos até entrar pela porta aos berros dizendo que o diabo estava atrás de nós. Meu pai foi até lá fora, ele sabia que seus filhos não eram mentirosos e que deveriam ter realmente visto alguma coisa que os assustou terrivelmente. Um estranho talvez. Ele levou com ele a arma e voltou alguns minutos depois com uma expressão pálida e perturbada. Meu pai sempre foi um homem sério e rígido que serviu na Coréia e viu algumas coisas realmente horríveis. Ele mandou que minha mãe ligasse para a polícia e trancasse a porta e até o momento que a viatura chegou, montou guarda na janela em silêncio. Meu pai nunca disse o que encontrou e se limitou a dizer que nosso cachorro havia fugido. Eu sempre soube que alguma coisa o havia perturbado muito e que nosso cão não iria simplesmente embora. Nós vivemos naquela casa por mais alguns meses e nos mudamos para uma outra mais próxima da cidade. Não sei até que ponto a decisão foi motivada pelo que aconteceu, mas tenho certeza que aquilo teve influência. Quando eu li à respeito dessa coisa que as pessoas estão falando eu a reconheci imediatamente. Nunca esqueci o que vi e sei que não imaginei nada daquilo."

Então o que está acontecendo? Encontros com uma entidade semelhante ao Slenderman poderiam estar acontecendo há décadas? Será que existe algum fundo de verdade nas narrativas feitas pelas testemunhas? Haveria uma presença demoníaca tomando forma para assustar crianças e fazer adultos desaparecer para sempre?

O Slenderman é uma lenda recente, sabemos como e onde ela surgiu, mas será que ela deixou de ser uma lenda e se tornou algo mais? Talvez nunca saibamos ao certo... o mais provável é que nada disso seja verdade, mas como saber ao certo o que espreita na escuridão?

Fonte: Mundotentacular