Site diz que China revelou a existência de base alienígena na Lua

29/04/2016 22:30

Já imaginou o porquê de ninguém ter colocado o pé na Lua por décadas?  E por que não há nenhum posto avançado permanente já estabelecido por lá?  É porque a Lua não é um corpo celeste viável para explorar, ou talvez porque tudo mencionado acima já esteja acontecendo, mas não nos contaram a respeito?

 

 

 

A resposta para estas questões pode ser mais fácil do que se pensa, mas complexa ao mesmo tempo. o Dr. Michael Salla apontou que há um complexo industrial militar extraterrestre (sigla MIEC, em inglês) na superfície de nosso satélite natural, e há uma forte possibilidade de que um regime alienígena esteja atualmente operando na Lua, junto com humanos.

 

Para apoiar suas alegações e de muitos outros, os chineses liberaram uma foto intrigante do que parece ser um complexo artificial que está operando na superfície lunar.  A imagem representa mais uma confirmação das operações secretas conduzidas lá em cima, e pode também revelar que o governo chinês tem estado em contato com visitantes de outros mundos.  Isso, por sua vez, também explicaria o porquê da China ter investido intensamente em rádio telescópios.
 
Base lunar?
 
 
O seguinte relatório irá clarificar um pouco mais o assunto:
 
“Foram enviadas a  mim algumas fotos por uma fonte que alega que a China irá liberar imagens em alta resolução, tiradas pela sonda orbital lunar Chang’e-2, as quais mostram claramente prédios e estruturas na superfície da Lua.  Ela também alega que a NASA deliberadamente bombardeou importantes áreas da Lua, numa tentativa de destruir artefatos e instalações antigas.
 
“Fotos, ainda a serem liberadas, claramente mostram crateras de impacto nuclear e destroços de prédios causados por explosões, numa tentativa da NASA em destruir a verdade.  A China está indo em direção a um desacobertamento completo da realidade extraterrestre. Se estas imagens e imagens futuras forem verificadas como sendo genuínas, então a NASA deveria ser investigada por fraude e traição.  A China irá liberar todos os dados e imagens do Chang’e-2 nas semanas e meses seguinte. Vamos esperar que este seja o início de uma nova era.”
 
Há uma chance de que os governos do mundo tenham um pacto secreto na exploração da Lua por seus minerais.  Este pacto pode ter sido assinado por outras espécies de ETs que residem no Universo, o que poderia explicar porque esta aliança possui uma natureza secreta.  Porém, já que a ganância é uma característica comum entre humanos, não demorará muito até que alguém excluído da aliança finalmente revele para a humanidade este projeto secreto.
 
.
 
Inúmeros rumores falam de uma base alienígena localizada no lado oculto da Lua – o lado que nunca vemos – e não é segredo que, em 2009, a NASA publicamente bombardeou uma porção da Lua por razões que não ficaram claras.  Outras imagens que vazaram, originadas do quartel general da NASA, revelam estruturas diferentes encontradas lá, que provavelmente são de natureza artificial.
 
Entre as pessoas mais renomadas que falam sobre esta conspiração da Lua está Milton Cooper, um Oficial de Inteligência Naval, o qual revelou que a Comunidade de Inteligência Naval dos EUA sabe sobre a base alienígena.  O termo usado para descrevê-la é “Luna” e, de acordo com Cooper, seu objetivo principal é o de minerar o subsolo para encontrar certos materiais.  Ele também fala sobre enormes naves mãe encontradas na vizinhança da Lua, usadas pelos alienígenas para armazenar materiais, e também viajar até a Terra em pequenos ‘discos voadores’ a partir da  nave principal.
 
“LUNA: A base alienígena no lado oculto da Lua.  Ela foi vista e filmada pelos astronautas do projeto Apolo.  Lá existem uma base, uma operação de mineração que usa enormes máquinas, e a gigantesca nave alienígena descrita em relatos de avistamentos”, revelou Milton Cooper.
 
Assim, seria possível que aquilo que os chineses revelaram seja de fato uma pequena fração de uma instalação de operação de mineração, chamada Luna?  Ela lembra vividamente os aparelhos de perfuração usados pela nossa espécie, e não há ninguém para desbancar a foto, dizendo que ela mostra uma formação natural.