Se Marte já foi habitado, o que aconteceu?

13/08/2015 00:26

 

 

 

Após estudar o planeta vermelho por décadas, os cientistas admitem que existe a grande possibilidade de que um impacto de meteoro ou cometa alterou o destinho de Marte.  Comparado com a Terra, Marte é cheio de crateras de impacto, mas isso não é estranho, já que esse planeta tem uma posição muito inconfortável no nosso sistema solar, bem ao lado do cinturão de asteroides.
 
Devido a isto, Marte é constantemente bombardeado por asteroides, e diferentemente da Terra, Marte não possui uma lua grande para defendê-lo de ataques de asteroides.
 
Olhando para trás na história, sabemos que a Terra já foi impactada por uma enorme rocha espacial e alguns daqueles impactos possivelmente mudaram a história do nosso planeta.
 
Um dos melhores exemplos que conhecemos é a cratera de impacto de Chicxulub, localizada na península do Yucatan, no México, a qual os cientistas acreditam ter sido a razão principal para a extinção dos dinossauros.

 

Assim, se isso aconteceu aqui na Terra, não seria algo similar possível em Marte?  No planeta vermelho encontramos uma cratera de impacto bem interessante, localizada na região Lyot, e ela possui aproximadamente 200 km em diâmetro.
 
A área desta cratera de impacto nos conta o quão poderoso o impacto foi e ele poderia ser uma das causas principais do porquê de Marte ser um “deserto” hoje.
 
Este impacto de cometa pode ter causado uma profunda disrupção no sistema planetário de Marte. Ele teria sido um evento de mudança climática absolutamente devastador para o planeta.  Assim, seria possível que bem antes de ter perdido sua atmosfera, Marte abrigava a vida? Até mesmo civilizações que chamavam Marte de seu ‘lar’?
 
Estas são apenas algumas das questões que devem ser esclarecidas.
 
Em 20 de julho de 1976, após uma jornada de 10 meses, a sonda Viking I alcançou seu destino, Marte.  As imagens que a Viking enviou de volta para a Terra foram espetaculares, e algumas delas mostraram que Marte não era tão diferente da Terra.
 
Algumas regiões de Marte pareciam com lugares da Terra, como o Vale da Morte.  A história da sonda Viking I fica interessante após ela ter executado vários testes à procura de vida no planeta vermelho.  A Viking I retornou resultados controversos.  O Dr. Gil Levin projetou um dos testes que a sonda Viking desempenhou – um teste relativamente simples.  Ele explicou que microorganismos respiram bem como você ou eu, ou qualquer outro animal, e então eles exalam dióxido de carbono.
 
O que a NASA fez foi pegar uma pequena amostra do solo marciano, colocá-la dentro de um vasilhame, a qual foi monitorada por uma semana por sinais de ‘bolhas’ dentro do tubo.  Após 7 dias, o inesperado aconteceu.
 
O teste para encontrar vida em Marte foi positivo pelos critérios aceitos pela NASA, pois ‘bolhas’ foram registradas dentro do vasilhame da Viking I.  Embora este teste tenha retornado positivo para a existência de vida, outros testes com critérios diferentes mostraram resultados negativos.1
 
 
A NASA foi muito cautelosa sobre este assunto e optou por dizer: “Não há prova de vida em Marte”.
 
 
 
Alguns cientistas sugerem que Marte possa ter tido uma atmosfera similar à da Terra, e ela foi aniquilada há 65 milhões de anos.
 
Adicionando à esta sugestão, ideias foram formadas no passado, as quais mostram a possibilidade de que uma civilização uma vez habitou Marte, fugiu para a Terra à procura de abrigo.  Assim, isto nos torna os ‘marcianos’ que desesperadamente tentamos encontrar?
 
Alguns cientistas dizem ter encontrado evidências fortes de civilizações perdidas no planeta vermelho e, de fato, eles acreditam que podem ter encontrado uma assinatura nuclear na atmosfera marciana, que combina com a da Terra após um teste nuclear.
 
De acordo com cientistas há grandes traços de Xenon-129 em Marte, e o único processo conhecido que produz este elemento é uma explosão nuclear.  Seria esta somente outra coincidência que mostra o quão similar Marte é com a Terra?  Ou este fato estaria fornecendo evidência de que Marte foi muito diferente no passado?