Relacionam o "Stonehenge" do Deserto de Gobi com a Adoração ao Sol

04/04/2015 22:03

Cerca de 200 formações de pedra fascinaram os arqueólogos desde que foram descobertas no Deserto de Gobi no ano de 2003. Conhecidos como os "Estranhos Círculos de Pedra" pelos habitantes locais em Turpan, as estruturas variam em tamanho e forma. O porquê, como e para que servem os círculos, ainda permanece um mistério.
 
Existem mais de 200 círculos de pedra no Deserto de Gobi. Agora, um especialista sugeriu que os círculos seriam utilizados por primitivos nômades para adorar e render culto ao Sol, e que inclusive, dentro dos limites de pedras, poderiam ter executado algum tipo de sacrifício ritual (ainda que ignore que tipo de sacrifício).
 
Os círculos estão localizados nas Montanhas a leste da cidade de Turpan, noroeste da China, e cobrem uma extensão de mais de 6.6 km2.
Graças à tecnologia dos drones, na atualidade conseguiram uma vista única das estruturas em uma tentativa de entender e revelar suas origens. Assista ao vídeo.
 
 
Os especialistas acreditam que os círculos tenham relação direta com as tradições históricas locais, ainda quem não entrem em um acordo quanto à antiguidade que possuem. Alguns foram escavados com o objetivo de confirmar ou descartar sua função como lugares fúnebres. De fato, a tumba de Gengis Khan que está sendo procurada atualmente na vizinha Mongólia, poderia estar, segundo os arqueólogos, marcada com este tipo de formações rochosas.
 
"Não tenho dúvidas que foram feitos pelo homem e puderam servir para marcar sepulturas, ao menos. Na Mongolia, as escavações ocasionalmente encontraram tumbas no centro dos círculos", explica Volker Heyd, arqueólogo da Universidade de Bristol. "Outros, possivelmente a maioria, denotam serem locais sagrados da paisagem com propriedades espirituais especiais, ou talvez, eram um lugar de reunião para adoradores e ritualistas". Volker pensa que as primeiras estruturas no Deserto de Gobi alcançariam uma antiguidade de ao menos 4.500 anos.
 
O Círculo do Sol 
 
Um dos círculos de pedra é especificamente conhecido como o "Círculo do Sol". Está formado por quatro círculos concêntricos; o maior mede 8 metros de diâmetro e o mais pequeno está no interior e parcialmente destruído. A sudeste dessa formação, existem múltiplos círculos de tamanhos variados.
 
Círculo do Sol, o "Stonehenge" chinês.
Devido à forma do "Círculo do Sol", e à falta de evidência de corpos enterrados ali, o especialista local (Cujo nome não foi mencionado. Minuto 0:25) opina que os círculos, ou ao menos uma fração importante dos mesmos, constituíram locais onde os ancestrais nômades levaram a cabo sacrifícios rituais.
 
"Ao longo da Ásia Central, esses círculos são lugares de sacrifício", assinalou. "Imagino que este (o Círculo do Sol) era um local onde se adorava ao deus Sol". Localizados cerimoniosamente em terras altas, os círculos foram comparados com o Stonehenge da Grã-Bretanha, cujas origens e propósito também são largamente debatidos.
 
E o paralelismo não é pouca coisa ao considerar que, do mesmo modo que Stonehenge, as rochas dos círculos na China não pertencem ao deserto onde foram erigidos, mas sim, que foram levadas ali de outra parte. O "Círculo do Sol" está formado por 200 destas misteriosas rochas.