Reescrevendo a Historia : A verdadeira idade da civilização humana

08/09/2016 09:46

Uma nova descoberta pode mudar tudo o que sabemos sobre a idade da civilização humana, civilizações avançadas estiveram presentes a 1 milhão de anos atrás !!

 
 
 
 
Enquanto a maioria dos pesquisadores e estudiosos de todo o mundo concordam que a civilização humana tal como a conhecemos só exista há cerca de 12.000 anos em nosso planeta, existem inúmeras descobertas que apontam para um passado muito diferente. Há muitas descobertas que variam de templos, estruturas e artefatos que são evidências de civilizações avançadas que habitaram a Terra muito mais cedo do que os estudiosos tradicionais sugerem. No entanto, muitos destes achados incríveis têm sido considerados como impossíveis devido ao fato de que eles alteram a nossa história escrita ..
 
Nos últimos anos, muitos pesquisadores começaram a olhar para a história da civilização na Terra com uma mente aberta. Um desses pesquisadores é, sem dúvida, o Dr. Alexander Koltypin, um geólogo e diretor do Centro de Pesquisa de Ciências Naturais da Universidade Internacional Independente de Moscou de Ecologia e politologia. 
 
Durante sua longa carreira Dr. Koltypin estudou numerosas estruturas subterrâneas antigas, principalmente no Mediterrâneo, e identificou numerosas semelhanças entre elas, que o levou a acreditar que podem ser locais que foram interligados. Mas o mais incrivel nesse lugar é que as caracteristicas geologicas extremas o fizeram acreditar que estas mega-estruturas foram construídas por civilizações avançadas que habitavam a Terra milhões de anos atrás.
 
 
Dr. Koltypin argumenta que os arqueólogos "tradicionais" que trabalham na região são chamados para datar esses locais, olhando para a liquidação da rocha, detritos e os estratos de terra localizados na área e ao redor dela, e nisso, foram aplicadas algumas datas, quando, na verdade, os locais reais eram estruturas pré-históricas muito mais antigas.
 
Escrevendo em seu website Dr. Koltypin afirma: "Quando examinamos as construções ... nenhum de nós nem por um momento teve dúvida de que essas estruturas são muito mais antigas do que as ruínas dos cananeus, dos filisteus, hebraicos, romanos, bizantinos e outras cidades e assentamentos que estão em datas aproximadas.
 
Durante a sua viagem para o Mediterrâneo, Dr. Koltypin foi capaz de registrar com precisão as características presentes em diferentes locais antigos, algo que o permitiu comparar suas similaridades e detalhes que contam uma história alternativa incrível; aquela que tem sido firmemente rejeitado pelos estudiosos tradicionais.
 
Enquanto viajava perto das ruínas Hurvat Burgin, centro de Israel, Dr. Koltypin recordou um sentimento semelhante de quando ele subiu no topo da cidade da rocha Cavusin na Turquia. Quase um sentimento de Deja vu, o Dr. Koltypin disse: "Eu estava pessoalmente convencido mais uma vez que todos esses recortes retangulares, estruturas subterrâneas artificiais e destroços de megálitos espalhados por todas as partes foram  - ou faziam parte de - um complexo subterrâneo megalítico terrestre, que foi aberto pela erosão a uma profundidade de várias centenas de metros "
 
 
Em seu trabalho, Dr. Koltypin argumenta que nem todas as partes do complexo gigante estão localizadas no subsolo. Há algumas partes que vieram para cima no solo devido às mudanças geológicas que ocorreram ao longo da história do nosso planeta.
 
Dr. Koltypin continua explicando que certos locais na Turquia central e norte de Israel, foram expostas após o corte no solo de cerca de cem metros. "De acordo com minhas estimativas, tal profundidade de erosão dificilmente poderia ser formada em menos tempo do que 500.000 a 1 milhão de anos", ele escreveu em seu site.
 
Dr. Koltypin sugere que determinadas partes do complexo surgiram como um resultado dos processos de formação de montanhas. Segundo suas estimativas, há evidências para apoiar  que a composição do material de construção encontrada em Antalya Turquia, são de até um milhão anos, embora os estudiosos tradicionais se recusem a aceitar a idade, propondo que o local remonta à Idade Média.
 
Dr. Koltypin acrescenta ainda que, como resultado da crosta terrestre se movendo ao longo dos séculos, partes do complexo subterrâneo foram mergulhados no mar.
 
Dr. Koltypin sugere que a semelhança vista em inúmeras ruínas megalíticas é evidência de uma conexão profunda presente em locais antigos que foram conectados como um complexo pré-histórico gigante.
 
De acordo com Dr. Koltypin, numerosos blocos megalíticos pesando dezenas de toneladas poderiam ter sido diretamente ligados a complexos subterrâneos no passado distante.
 
 
"Esta circunstância me deu uma razão para chamar as estruturas subterrâneas e ruínas geograficamente relacionadas de paredes ciclópicas e edifícios, como um único complexo megalítico subterrânea-terrestre", escreve Dr. Koltypin em seu site.
 
Ele ainda acrescenta que as construções megalíticas que são vistas em todos os cantos do mundo, parecem superar, de longe, as capacidades tecnológicas de civilizações antigas .
 
Fazendo referência às capacidades tecnológicas dos antigos, Dr. Koltypin afirma as pedras se encaixam perfeitamente em algumas partes sem cimento, e os tetos, colunas, arcos, portas e outros elementos parecem estar além do trabalho de homens com cinzéis.
 
Somando-se o mistério desses locais incríveis, Dr. Koltypin observa que as estruturas construídas em outros locais como os romanos ou de outras civilizações são completamente primitivas comparadas a essa.