Provas que realmente mostram que existe vida fora da Terra

28/07/2015 18:47
 
 
 
Luzes de Phoenix
 

Milhares de pessoas ligaram para polícia, 

congestionando as linhas telefônicas, para relatar 

estranhas luzes vindas de um objeto voador. Eles 

descreveram o objeto em forma de V, e como sendo 

capaz de mover-se muito rapidamente no céu

 

Em 13 de março de 1997, um dos avistamentos mais 

maciçamente testemunhado de OVNIs ocorreu nos 

céus sobre a cidade de Phoenix, Arizona. 

Testemunhado por milhares de pessoas e fotografado 

por centenas, não há dúvida de que algo foi visto sobre 

o céu de Phoenix, naquela noite. A questão permanece 

- o que eles viram?
 
Video sobre "Provas sobre vida fora da Terra"
 
.
Caso Roswell
 
O Caso Roswell, ou Incidente em Roswell é um dos casos 
mais famosos da ufologia mundial (em inglês:The Roswell 
UFO Incident), diz respeito a uma série de acontecimentos 
ocorridos em julho de 1947 na localidade de Roswell (Novo 
México, EUA), onde um OVNI teria caído.
 
 
No dia 8 de julho de 1947, em Roswell (Novo México, 
Estados Unidos), o jornal Roswell Daily Record publicou em 
primeira página a notícia de que o 509º Grupo de 
Bombardeiros da então Força Aérea do Exército dos EUA 
havia tomado posse dos destroços de um disco voador: 
RAAF (Roswell Army Air Field, Aeródromo Militar de 
Roswell) captura disco voador em rancho na região de 
Roswell, era o título da manchete.
 
 
A Batalha de Los Angeles.
 
Tudo aconteceu em 1942, quando um objeto não identificado foi 
avistado sobrevoando Hollywood. Acontece que o ataque a Pearl 
Harbor havia ocorrido apenas alguns meses antes, e os norte-
americanos estavam em um compreensível estado de apreensão.
 
Acreditando se tratar de mais um ataque japonês, os militares 
decidiram iluminar o céu com canhões de luz, que acabaram sendo 
confundidos com mais invasores ainda. Uma bateria antiaérea foi 
disparada, e o “enfrentamento” — que durou vários dias — ficou 
conhecido como A Batalha de Los Angeles.
 
Contudo, nenhuma nave inimiga foi abatida, e os nipônicos 
negaram veementemente ter enviado caças para aquela área. A 
versão oficial é de que o objeto não identificado não passava de 
um balão meteorológico, mas o fato de que os enfrentamentos 
tenham durado vários dias contra esse inimigo inofensivo sempre 
deixou uma grande dúvida no ar.
 
 
UFO do Mar Baltico
 
"Em 19 de junho passado, caçadores de tesouros 
submarinos descobriram um circulo de 12 metros de 
diâmetro numa profundidade de 87 metros no fundo do 
Mar Báltico."
 
- Possui um formato exterior circular em forma de disco;
- São 180 metros de circunferência;
- O objeto, que tem o formato de cogumelo e um diâmetro 
de 60 metros está sobre um pilar grosso com 8 metros de 
altura desde o leito do mar, com uma cúpula de 4 metros 
de espessura, formando um cogumelo.
- Sua altura total é de 12 metros;
- Possui cavidades similares a corredores dentro do objeto;
- As paredes são planas e certas áreas possuem um ângulo reto;
- Há formações visíveis no topo do objeto, que estão colocadas a 
90 graus e se parecem com passagens ou paredes, bem como algo 
que parece ser uma escadaria;
- Possui círculos de pedra, como ‘fogueiras’, de rocha dura e 
negra, com alguns centímetros de diâmetro, como 4 ou 5 pérolas 
num colar em várias disposições no topo da cúpula;
- Na parte superior da cúpula, deslocada para um dos lados, há 
uma formação de 4 metros de diâmetro apelidada de “The 
Meringue” (‘Meringue‘ significa ‘suspiro’, o doce de clara de 
ovos), cuja foto pode ser vista acima;
- Possui um buraco de vinte centímetros de diâmetro no topo do 
objeto, e não se sabe aonde ele termina dentro dele.
As últimas revelações sobre os ângulos reto, paredes de superfície 
perfeitamente plana e cavidades similares a corredores dentro do 
objeto são, de acordo com o site que publicou a notícia, “mais 
estranhas do que um OVNI poderia ser“.
 
 
Monstro de Flatwoods
 
O monstro de Flatwoods pode ser na verdade uma forma de extraterrestre. A 
criatura foi flagrada nas proximidades de um OVNI de grandes 
dimensões que pairava acima ou descansava no chão da cidade de 
Flatwoods, no condado de Braxton, em West Virginia, EUA, em 12 
de setembro de 1952. Segundo os relatos, a criatura era enorme; 
tinha pelo menos 3 metros de altura. Seu rosto lançava um brilho 
avermelhado, e seu corpo era verde. Sua cabeça tinha a forma de 
um coração, ou um Ás de Espadas, e os olhos não eram humanos. 
A criatura estava vestindo uma espécie de roupa escura, semelhante 
a uma saia. O monstro não carregava armas visíveis, mas seus 
braços avantajados terminavam em longos dedos com garra.
 
 
Betty e Vickie
 
Em 29 de dezembro de 1980, Betty Cash foi exposta à intensa radiação ao avistar um OVNI, 18 anos depois ela morre...assim renasce a polêmica sobre o incidente 
Betty Cash, uma das três pessoas que ficaram doentes após o encontro com um OVNI, próximo à Huffman, Texas, EUA, no dia 29 de dezembro de 1980, morreu no 18º aniversário do evento, em Birmingham, Alabama.
Ela teve a saúde muito abalada após o avistamento. Ela, juntamente com Vickie Landrum e seu neto Colby Landrum, encontraram um enorme OVNI sendo acompanhado por helicópteros militares numa rodovia escura em Piney Woods, Texas (caso conhecido como "Incidente Cash-Landrum").
Eles foram expostos à radiação do objeto, que causou terríveis problemas de saúde, como queimaduras, dor nos olhos, perda de cabelo, diarréia e vômitos. Embora tenham visto vários helicópteros militares com o OVNI, o governo americano negou qualquer conhecimento sobre o ocorrido ou deu qualquer ajuda à eles.
Na época do incidente, Betty Cash tinha seu próprio negócio em Dayton, Texas. Após o encontro, ela foi hospitalizada e tratada das queimaduras e outros males. A intensidade dos seus problemas de saúde era tão forte que ela foi forçada a fechar o seu negócio e nunca mais trabalhou. A sua vida tornou-se uma série de internações em hospitais, muitas delas para cuidados intensivos. Ela desenvolveu um câncer que foi tratado com sucesso, mas em novembro de 1998, teve uma recaída e no dia 29 de dezembro faleceu.
 
 
Operação Prato
 
O Fenômeno Chupa-chupa, no Pará provou 
pânico na população local e obrigou a Força 
Aérea Brasileira a enviar uma equipe especial 
para identificar a natureza do Fenômeno. Esta 
missão, intitulada Operação Prato, gerou 
aproximadamente 1000 páginas de 
documentação oficial, mais de 500 fotografias de 
discos voadores, desenhos, mapas, cópias de 
reportagens de jornais da época, e várias horas de 
filmes 8mm com filmagens de estranhos objetos.