Planeta similar à Terra pode existir em sistema solar próximo

22/04/2016 12:09
 
 
 
Um planeta similar à Terra pode estar se escondendo num sistema solar localizado a somente 16 anos luz de nós, de acordo com uma nova pesquisa.  A estrela, chamada Gliese 832, foi recentemente investigada por uma equipe de astrônomos que estava procurando por exoplanetas adicionais, os quais poderiam estar residindo entre dois outros planetas conhecidos neste sistema.  Um trabalho detalhando a descoberta foi publicado online, no dia 15 de abril, no periódico arXiv.
 
Gliese 832 é uma estrela anã vermelha com pouco menos da metade da massa e do raio do nosso Sol.  A estrela é orbitada por um planeta gigante similar a Júpiter, batizado de Gliese 832b, e por uma ‘super-Terra’, Gliese 832c.  O gigante gasoso, com uma massa de 0,64 de Júpiter, está orbitando a estrela à uma distância de 3,53 AU, enquanto o outro planeta é potencialmente rochoso, tendo por volta de cinco vezes a massa da Terra, e residindo muito próximo de sua estrela mãe – aproximadamente 0,16 AU (AU equivale à distância média entre a Terra e o Sol).
 
Agora, uma equipe de astrônomos, liderados por Suman Satyal da Universidade do Texas, reanalisou os dados disponíveis deste sistema próximo a nós, na esperança de encontrar mais mundos extrasolares que possam ser localizados no vasto espaço entre os dois conhecidos planetas.  Os pesquisadores conduziram simulações numéricas para conferir a possibilidade da existência de outros corpos celestes ao redor da estrela vermelha anã.
 
Gliese 832b e Gliese 832c foram descobertos através da técnica de velocidade radial, da qual os cientistas extraem os parâmetros orbitais, utilizando as soluções que melhor se encaixam.  Este parâmetros foram usados como condições iniciais para o início das simulações.
 
“Também usamos os dados integrados de evolução de tempo de parâmetros orbitais, para gerarmos as curvas sintéticas de velocidade radial dos planetas similares à Terra que são conhecidos no sistema.  Além disso, baseados na amplitude máxima da curva de velocidade radial obtida da observação do planeta interno, a massa e a distância aproximadas da estrela para o planeta que é similar à Terra foram computadas usando-se a assinatura da velocidade radial do movimento Kepleriano”, escreveram os pesquisadores no trabalho.
 
As computações da equipe revelaram que um planeta adicional parecido com a Terra, com uma configuração dinamicamente estável, poderia estar residindo à uma distância entre 0,25 a 2,0 AU da estrela.  De acordo com as mensurações, este mundo alienígena hipotético poderia ser mais massivo do que o nosso planeta, com uma massa entre 1 e 15 da Terra.
 
“Obtivemos várias curvas de velocidade radial para massas e distâncias variáveis para o planeta do meio”, disseram os astrônomos.
 
Por exemplo, se o planeta estiver localizado por volta de um AU da estrela, ele possui um limite de massa superior de 10 massas da Terra, e o sinal de velocidade radial gerado de 1,4 m/s.  Um planeta com aproximadamente a massa da Terra, na mesma localização, teria um sinal de velocidade radial de somente 0,14 m/s, assim muito menor.
 
Em geral, a existência deste possível planeta é apoiada pela estabilidade orbital de longa duração do sistema, pelas dinâmicas orbitais e pela análise de sinal de velocidade radial sintética.
 
Os cientistas enfatizaram que sua meta principal foi a de fornecer uma ideia geral para os observadores, de onde e o que procurar dentro deste sistema.  Eles concluíram que uma número significativamente grande de observações de velocidade radial, estudos de método de trânsito, bem como imageamento direto, ainda são necessários para confirmar a presença de possíveis novos planetas no sistema Gliese 832.

 

Fonte\ Fonte