Planeta anão Ceres pode ter profundezas 'vivas'

30/06/2016 19:48

Novas fotos de manchas brancas na superfície de Ceres mostram que o planeta contém sais formados na presença de água, o que indica que nas profundezas deste planeta-anão há água líquida, recursos hidrotermais de energia e grandes recursos de sódio, informa a NASA.

 

 

"É a primeira vez que vimos esse tipo de matéria fora da Terra em tanta quantidade. Os minerais que encontramos em manchas brilhantes na cratera de Occator, emergem em resultado do impacto de água sobre outros tipos de rochas. A presença de carbonatos na superfície de Ceres diz que nas suas profundezas ocorrem processos hidrotermais que lançaram estas substâncias para a superfície", disse Maria de Sanctis, copresidente da missão Dawn do Instituto Nacional de Astrofísica de Roma.

 

De Sanctis e seus colegas, sob liderança de Christopher Russell, chefe da missão Dawn, estudam já há mais de um ano umas misteriosas manchas brancas, descobertas pela sonda da NASA, em fevereiro do ano passado, ainda antes de se aproximar de Ceres. Entretanto, no fim do ano passado, Dawn desceu para a órbita mais baixa em redor de Ceres e descobriu que as manchas são compostas por uma mistura de sais e água.

Imagem do centro da cratera Occator, que é o local mais vistoso do planeta-anão Ceres. Faixas vermelhas significam grandes quantidades de carbonatos e as cinzentas - poucos carbonatos.

 

Estudos mais recentes, com a ajuda de Dawn, mostraram que antes o planeta era praticamente feito de soda. As manchas claras eram completamente compostas de carbonato e hidrocarbonato de sódio e as manchas escuras – de uma mistura de carbonatos de sódio com magnésio.
 
Assim, é possível que nas profundezas de Ceres haja grandes ou mesmo, na opinião de Sanctis, os maiores recursos de sódio do Sistema Solar, a maior parte dos quais foi lançada para a superfície do planeta menos de 100 milhões de anos atrás, quando foi criada a cratera Occator.
 
Com toda a certeza, num passado recente, as profundezas de Ceres estavam "vivas" e ali passavam processos hidrotermais, que esperamos possam ainda estar decorrendo. Isso pode ser verdade porque a densidade de Ceres é de apenas 2,1 g por centímetro cúbico. Isso indica que dentro do planeta pode haver grandes espaços vazios ou gelo e água sob sua superfície.
Como pôde a água em Ceres permanecer em estado líquido? Na opinião dos cientistas, o gelo no "coração" de Ceres pode ter sido descongelado pelo impacto do meteorito que criou a cratera de Occator. Essa água pode ter sido lançada para o espaço deixando sobre Ceres as manchas claras de soda que confundiram os cientistas por tanto tempo.