Pesquisadores sugerem: Os seres humanos não são da Terra

10/08/2016 10:24

Após um balão voltar de um vôo de alta altitude, cientistas perceberam que ele foi coberto com formas de vida microscópicas que se originaram a partir do espaço.. Isso alimentou um grande debate sobre se a vida na Terra começou aqui ou em outro lugar no espaço.

 
 
Muitos cientistas argumentam que a vida se originou em Marte devido a um mineral encontrado em meteoritos marcianos, um conceito que é crucial para o gênese da vida. Outra experiência mostrou que os aminoácidos poderiam ter chegado com impactos de cometas.
 
O autor Dr. Ellis Silver argumenta que os seres humanos podem não ser "nativos" desse planeta - e podem ter chegado separadamente de outros lugares. Silver fornece argumentos baseados na fisiologia humana, sugerindo que não evoluímos juntamente com outras formas de vida na Terra, mas que, na verdade, viemos de outras partes do universo, trazidos aqui por seres extraterrestres dezenas de milhares de anos atrás.
 
 
Temos que começar a olhar para as coisas de uma maneira diferente, se queremos entender nosso propósito e origem, e que é exatamente o que Silver, um ambientalista que está atualmente trabalhando em um esforço para limpar resíduos de plástico no Oceano Pacífico, quer alcançar, provocando uma discussão entre os cientistas. Silver diz que seu livro é baseado em conceitos cientificos, que ilustra a diferença entre animais e seres humanos.
 
"A Terra aproximadamente atende às nossas necessidades como uma espécie, mas talvez não tão fortemente como aquele que nos trouxe até aqui pensava inicialmente," disse Silver em uma entrevista ao noticiario do Yahoo. 
 
 
Silver acredita que algumas das doenças crônicas que afetam a raça humana - como a dor nas costas - pode ser um sinal muito importante que sugere que os humanos realmente evoluiram em um mundo com muito menos gravidade. Silver também fala sobre outros traços humanos únicos, como o fato da cabeça dos bebês serem relativamente grandes, o que dificultava a vida das mulheres em dar à luz no passado, isso era frequentemente fatal para a mãe, criança ou ambos.
 
Silver argumenta que nenhuma outra espécie nativa na Terra tem este problema, apontando para os 223 genes extras em humanos, genes que não são encontrados em nenhuma outra espécie.
 
 
Silver acredita que a raça humana tem "grandes falhas" que são fortes evidências apontando para o fato de que não somos deste mundo.
 
"Estamos todos cronicamente doentes", diz Silver. "De fato, se você conseguir encontrar uma única pessoa que seja 100% saudável e não esteja sofrendo de alguma condição ou distúrbio eu ficaria extremamente surpreso - eu não tenho sido capaz de encontrar alguém assim.
 
Os livros de historia em si são interessantes, mas temos que começar a olhar para trás em pesquisas recentes, e novas descobertas em diferentes campos que sugerem que existe algo anormal na espécie humana. Muitos "links" ocultos no DNA poderiam muito bem sugerir que somos uma espécie que foi projetada ou programada. 
 
Existem inúmeras possibilidades sobre nossa origem. Em seu livro, Silver sugere que uma dessas possibilidades pode realmente ser "Alpha Centauri", o sistema estelar mais próximo do sol.
 
A humanidade é, supostamente, a espécie mais altamente desenvolvida do planeta, e mesmo assim ainda é surpreendentemente inadequada e mal equipada para o ambiente da Terra: somos fortemente prejudicados pela luz solar, uma forte antipatia natural á alimentos crus, altas taxas de doenças crônicas, e muito mais. Além disso, há um sentimento predominante entre muitas pessoas que sentem como se não fossem da Terra, ou vivem com um sentimento de que algo esta desajustado...
 
"A minha tese propõe que a raça humana não evoluiu como parte da linhagem de vida natural deste planeta, mas evoluiu em algum outro lugar e foi trazida para Terra, como Homo sapiens, completamente evoluído, entre 60.000 e 200.000 anos atrás", diz ele.