OVNIs já pousaram na Terra e os cientistas agora conseguiram provar isso

10/11/2017 09:51

Após varias e varias pesquisas foi concluido que a atividade extraterrestre é a única explicação para esse caso

 
 
Um cientista afirma ter provado que uma nave alienígena aterrissou na Terra, depois de investigar um caso desconcertante por quase 40 anos.
 
O Dr. Erol Faruk publicou em um livro as descobertas de sua investigação sobre uma substância deixada no chão após um famoso avistamento de OVNI, concluindo que a atividade extraterrestre é a única explicação.
 
No trabalho auto-publicado, The Compelling Scientific Evidence for UFOs (A Evidência Científica Convincente de OVNIs – título em tradução livro), o químico britânico, de ascendência turca, examinou em detalhes o caso do OVNI de Delphos, no estado de Kansas, EUA, ocorrido na noite de 2 de novembro de 1971.
 
Esse caso é considerado por alguns ovniólogos como um dos mais convincentes já registrados – devido ao anel queimado deixado no chão – supostamente quando o OVNI pousou.
 
A testemunha foi Ron Johnson, 16, que cuidava ovelhas na fazenda da família com o cão Snowball, quando às 19h00 viu um OVNI em forma de cogumelo de 1,80 m a 2,40 m de diâmetro no céu noturno.
 
O OVNI foi descrito como tendo luzes multicoloridas, e pairou cerca de 22 metros de distância entre árvores, a apenas alguns centímetros acima do solo. Então o objeto subiu, emitindo uma luz cegante.
 
Ron alertou seus pais que viram o desaparecer da vista.
 
Após, a família encontrou um anel brilhante no chão, onde o objeto havia pousado, e um material semelhante em árvores nas proximidades.
 
A família disse que o brilho ‘sentiu-se estranho, como uma crosta escorregadia, como se o solo estivesse cristalizado’, e a Sra. Johnson ficou com uma sensação anestésica e entorpecente na mão depois de tocar a substância.
 
Amostras de solo, as quais possuem uma profunda natureza repelente de água dentro do anel, foram enviadas para análise e armazenadas em vários laboratórios.
 
Outra testemunha também se apresentou, um homem chamado Lester Ensbarger da cidade de Minneapolis, que reportou ao vice-xerife Leonard Simpson de que, às 7h30 da mesma noite, viu uma luz brilhante descendo no céu em Delphos.
 
De acordo com o site ufocasebook.com:
 
"A experiência de Ron Johnson ainda é considerada como um dos casos de OVNI mais bem documentados do século passado, e ainda é inexplicável por qualquer meio convencional ou terreno."
 
O Dr. Faruk, que admite um interesse vital no fenômeno OVNI, focou seu trabalho em investigar a composição química do solo no anel.
 
Ele obteve alguns dos sólidos armazenados depois de solicita-los quando estava na Universidade de Nottingham.
 
 
Ele escreveu:
 
"Colocar água no solo afetado era como colocá-la em uma superfície de vidro, com a água espontaneamente formando gotas assentadas na superfície."
 
Embora tenha sido incapaz de identificar completamente o composto do solo, ele afirmou ter detectado “um composto orgânico altamente solúvel em água que é potencialmente quimioluminescente”.
 
Este composto poderia ter sido responsável pelo suposto brilho visto na época, disse ele.
 
O Dr. Faruk concluiu que havia três explicações possíveis – uma farsa, o anel era, de fato, um anel de fadas (um anel de fezes de sapos que ocorre naturalmente), ou uma verdadeira nave espacial alienígena tinha sido vista.
 
Ele disse que uma farsa seria improvável, devido às características incomuns do composto, e seu alongamento junto à direção do vento noturno.
 
Ele também descartou um anel de fungos, alegando que o “sal de metal alcalino solúvel em água, de um ácido carboxílico orgânico” encontrado no composto não seria produzido por um fungo.
 
Isso, ele disse, significava que a conclusão que foi um verdadeiro avistamento de OVNI é a mais favorável.
 
Ele escreveu:
 
"Uma imagem começa a surgir sobre o que aconteceu naquela noite. O objeto que pairava, atualmente de origem  desconhecida, parece ter contido na sua periferia uma solução aquosa de um composto instável cuja única função seria a emissão de luz."

 

Fonte