Os textos antigos sugerem que os astrônomos maias mapearam planetas 700 anos antes de Copérnico

18/08/2016 10:54
 
 
 
Os maias antigos eram uma das antigas civilizações mais avançadas que já existiram no planeta e aparentemente eles podem ter mapeado os planetas do nosso sistema solar a mais de 700 anos antes de Copérnico.
 
Os antigos maias se destacaram em agricultura, cerâmica, escrita (hieróglifo),  calendário, matemática e astrônomia - foram os astrônomos mais impressionantes do passado.
 
Embora não seja novidade entre os estudiosos de que os antigos maias criaram sofisticados mapas celestes e mapearam o céu com extrema precisão, a fim de calcular o comprimento de meses e anos, as suas realizações astronômicas podem ter sido subestimadas pelos acadêmicos em alguns pontos.
 
De acordo com um novo estudo, esta antiga civilização mesoamericana era tão avançada que os seus conhecimentos em astronomia rivalizavam com a aplicada pelo famoso astrônomo Copérnico 700 anos mais tarde.
 
De acordo com novos resultados, se descobriu provas conclusivas que indicam que os antigos astrônomos maias observavam os planetas em nosso sistema solar a mais de 1.000 anos atrás de uma forma que só foi observada seculos mais tarde pelo astrônomo Nicolau Copérnico.
 
Dr. Gerardo Aldana, um antropólogo da Universidade da Califórnia em Santa Barbara, analisou com grande cuidado a Tabela de Venus encontrada no Códice de Dresden e oferece uma nova interpretação sobre seu significado.
 
Dr Aldana oferece um pensamento completamente diferente, sugerindo que, em vez de simplesmente ser numerologia comum como muitos pesquisadores têm afirmado, o antigo texto ilustra observações astronômicas intrincadas feitas a partir da cidade de Chichen Itza.
 
De acordo com o Dr. Aldana, este tipo de observação astronômica pode ter sido desenvolvido pelo maia antigo muito mais cedo do que se imaginava, centenas de anos antes do famoso astrônomo Copérnico surgir com a ideia de que o nosso Sol se encontrava no centro do nosso sistema solar no início do século 16.
 
Falando sobre sua descoberta Dr Aldana sugere:
 
"Quando você vê-lo como um registro histórico, ele muda a interpretação. Eles estavam usando Vênus não apenas para traçar estritamente quando ele ia aparecer, mas eles estavam usando-o para os ciclos rituais. Eles tinham atividades rituais, e eles fariam certos eventos com base nas observações de Vênus".
 
No entanto, o Dr. Aldana indica que as interpretações tradicionais da Tabela Vênus e os hieróglifos presentes subestimam o valor científico alcançado pelos antigos  maias milhares de anos atrás
 
As descobertas do Dr. Aldana foram publicados no Jornal de Astronomia e Cultura.
 
Seu trabalho indica que o maia realizada astronomia em Chichen Itza, durante um período de tempo muito específico.
 
O antropólogo afirma que este período de estudo astronômico pode ter ocorrido sob o governo de K'ak 'U Pakal K'awiil, um dos governantes mais importantes da cidade.
 
"Esta é a parte que eu acho ser a mais gratificante, nós estamos olhando para o trabalho de um único indivíduo maia, e que poderíamos chama-lo de cientista, um astrônomo...." disse o Dr. Aldana.