Os lugares mais misteriosos do Mundo - Cisternerne

16/03/2016 13:26
 
 
Enterrada sob o Monte Frederiksberg, no coração do parque Søndermarken, em Copenhague, há um espaço subterrâneo enorme que antes continha até 16 milhões de litros de água para os moradores de Copenhague. Antes da cisterna ter sido construída, Copenhague teve alguns dos principais problemas de água durante os anos 1800. Entre outras palavras, a fonte de água ficou fortemente poluída, e como a cidade cresceu verticalmente tornou-se cada vez mais difícil para a água alcançar os andares superiores. Quando uma epidemia de cólera em 1853 ceifou a vida de mais de 4.700 moradores foi tomada a decisão de construir uma nova cisterna para melhorar a água potável de Copenhague.
 
 
O Monte Frederiksberg foi escolhido como o local para o novo reservatório por causa de sua altura e a escavação começou em 1856. O reservatório foi concluído três anos depois. Inicialmente, o reservatório era uma piscina aberta de água mas em 1889 foi coberto com uma estrutura de betão moldado para minimizar a probabilidade de poluição e infecção.
 
 
A cisterna deixou de funcionar como reservatório de água potável em 1933, mas não foi drenada até 1981. Em 1996, em conexão com o status de Copenhague como a Capital Cultural Européia, e através de uma iniciativa conjunta entre a cidade de Frederiksberg e o proprietário de galeria Max Seidenfaden , o reservatório de água subterrâneo foi colocado em uso como um espaço de exposição. Desde então, a cisterna tem realizado exposições de arte e eventos diversos com a arquitetura e a atmosfera interna sendo seu ponto forte.
 
 
A cisterna tem um espaço de 4.320 metros quadrados. Seu teto é de 4,2 metros de altura, a partir do qual ficam pendurados estalactites e estalagmites que se formaram a partir de mais de cem anos acumulando sal desde que esse espaço foi inundado com água. Quando a cisterna foi convertida em um museu estas estruturas delicadas eram, e ainda são, imperturbadas.
 

 

Fonte